Foto: Allan Duffes/Site CARNAVALESCO

Está chegando a hora de conhecer o hino que vai embalar o enredo “O arrepeio do cabra que o excomungado tratou com má -querença e o santíssimo não deu guarida “ desenvolvido pelo carnavalesco Leandro Vieira para o desfile de 2023 da Rainha de Ramos. O carnavalesco, que está de volta a agremiação, dessa vez no Grupo Especial, sabe que um bom samba é fundamental para as aspirações de título da escola. Leandro Vieira define como um desejo da quadra o requisito principal em relação ao samba vencedor.

 
” Eu estou satisfeitíssimo com a safra da Imperatriz. Isso é sempre motivo de alegria para um carnavalesco que produz um enredo autoral. Em uma disputa em andamento é natural que as obras vão se afunilando. A Imperatriz tem uma disputa voltada para os interesses da comunidade, e isso é bacana, porque as decisões atendem aos interesses da quadra, que são os interesses da comunidade que frequenta a escola. O que precisa ter neste samba campeão é o abraço da quadra, vontade da quadra de cantar algo que vai ser mais importante para quem frequenta a quadra da Imperatriz”, apontou o carnavalesco.
 
O coordenador de carnaval André Bonatti, também listou algumas características que o samba campeão deve ter na Imperatriz.
 
“A gente precisa ter alguns ingredientes. Primeiro que seja um samba que conte o nosso enredo muito bem. Que conte na Avenida aquilo que o carnavalesco vai mostrar. Segundo, é garbo, porque a Imperatriz gosta de sambas que mantêm a identidade da escola, ela está no ritmo, ela está na música, tem que ter essa identidade musical com a Imperatriz, que o componente a reconheça naquilo que a gente cante. E, pra mim, um bom samba é aquele que ultrapassa as barreiras da Sapucaí. É aquele que vai tocar na festa do CARNAVALESCO, que vai tocar no fim de ano na festa das pessoas. Tem que ser aquele samba que nós tenhamos vontade de escutar fora da Avenida”, entende André Bonatti.
 
Outro que também opinou foi o diretor de carnaval Mauro Amorim e apontou o que precisa ter na obra escolhida.
 
“Enredo, tocar o coração das pessoas. Tem que ser um samba que toque o coração das pessoas e que a escola se una em prol do samba. A gente está com grandes obras aqui, vai ser muito difícil escolher”, opina o diretor de carnaval da Imperatriz. 
 
Em 2023, a Imperatriz será a quarta escola a desfilar na segunda noite do Grupo Especial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui