Em reunião plenária na sede da Liga das Escolas de Samba (Liesa) os presidentes das 13 escolas que vão desfilar no Carnaval 2020 assinaram o regulamento para os desfiles do ano que vem. A principal novidade é a mudança no número de notas que vão ser lidas na apuração (cinco e não quatro como em 2019), na quarta-feira de cinzas, e o corte de um módulo de jurados (saiu o módulo que ficava no setor 8 das arquibancadas).

“As escolas assinaram o regulamento do Carnaval 2020. Ficou decidido em plenário que teremos cinco julgadores, as cinco notas vão ser lidas, válidas, e vamos eliminar a maior e menor nota para a contagem do resultado. Vamos ter três cabines de julgamento. A primeira no setor 3 das arquibancadas com cabines duplas, uma simples no setor 6 e duas cabines duplas no setor 10. O único sorteio que será feito é o do posicionamento de cada jurado”, explicou o presidente da Liesa, Jorge Castanheira.

O dirigente também falou sobre a presença dos carnavalescos das 13 escolas de samba na sede da Liesa e abordou o momento que vive o carnaval do Rio de Janeiro.

“As escolas estão enfrentando dificuldades para tocar o carnaval pela falta de recursos. Estamos trocando experiências diante do grande desafio que se tornou fazer o carnaval. Fazer evento no Rio de Janeiro e no Brasil não é tão simples e estamos tentando nos superar a cada ano, buscando solução para melhorar o espetáculo e fazer os ensaios técnicos. O encontro com os carnavalescos é para buscar cada vez mais a participação e gerar o impacto nos desfiles. Temos que manter a resistência do carnaval e o conceito de festa e alegria para o nosso Rio de Janeiro e país. Quem está na ponta, lá no barracão, está amassado com essa crise, mas estão se superando e fazendo grandes espetáculos. Com mais diálogo estamos tentando transformar e virarmos logo essa página triste no samba do Rio de Janeiro”, disse Castanheira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui