A Colorado do Brás, que passou pela avenida na última sexta-feira, saiu com o dever totalmente cumprido. O clima na dispersão, após o término do desfile, foi de muita emoção por parte dos componentes e personalidades da escola. Como enredo, a agremiação levou o enredo “Carolina – A Cinderela negra do Canindé”. Pessoas que trabalham diretamente dentro da escola, como o presidente Ka e o diretor de carnaval, Jairo Rozen, disseram que a comunidade do Canindé realizou o melhor desfile de sua história.

Jairo Rozen, diretor de carnaval da Colorado, avaliou o desfile. “A gente veio disposto a fazer o maior desfile da história da Colorado e cumprimos a nossa missão. Depois de dois anos, sem pisar no Anhembi, foi histórico pra gente falar de Carolina de Jesus, lutar contra a intolerância, preconceito e racismo. Hoje a gente entregou o sapatinho da Cinderela da Carolina de Jesus e, se Deus quiser, ela vai entregar pra gente a melhor colocação da história da nossa escola. Eu vou sempre exaltar o Chitão Martins (intérprete), a ala musical, nosso samba pra cima e alegre, mas a plástica que o André Machado deu para a escola, mudando completamente nosso paradigma, vai ficar marcado e vai mudar o rumo da Colorado. O destino da escola é alcançar a melhor colocação da sua história. Agora é aguardar os jurados dizerem qual vai ser essa colocação”, disse.

Chitão Martins, intérprete da agremiação, falou sobre o samba-enredo dentro do desfile e, também, os 10 anos que está completando na Colorado do Brás. “O samba funcionou muito bem, passou muito alegre, a arquibancada veio junto, a bateria encaixou. Foi um belo espetáculo e eu fiquei muito feliz com o resultado da ala musical, da matéria. Eu peguei a Colorado desde a UESP, fui crescendo, amadurecendo e fomos junto até o Grupo Especial. Sou muito grato à escola, porque geralmente quando as escolas chegam no Grupo Especial, vão procurar um cantor de nome, mas o presidente Ka acreditou no meu trabalho e o resultado está aí. Hoje o pessoal me considera um bom cantor e eu fico feliz com isso”, comentou.

Allan Meira, diretor de bateria, avaliou a apresentação e falou do seu entrosamento com o intérprete Chitão Martins. “É muito emocionante desfilar depois de quase dois anos e meio. A escola veio muito bonita e eu acho que foi o melhor carnaval que a escola já fez. A bateria fez tudo que a gente ensaiou, acredito que sem erro nenhum. Estou meio extasiado ainda para saber o resultado, mas acredito que a Colorado vai conseguir o melhor objetivo. Sobre o Chitão, são seis ou sete carnavais ao lado do Chitão e é uma pessoa sensacional. O sincronismo acaba vindo com o tempo, a gente sempre se deu bem. Espero que essa parceria continue por muitos”, analisou.

Chorando, o mestre-sala Ruhanan Pontes, conversou brevemente. “Acho que foi um desfile muito bom. O mais emocionante da minha vida. Parece que a imagem de Carolina desceu aqui, porque a história dela é incrível. A Ana Paula (porta-bandeira), depois da minha mãe, é o maior amor da minha vida. O que ela faz por mim e o que já fez, não tem ideia”. disse

Presidente Ka, contou toda a emoção que o desfile levou. “Estou desde os cinco anos de idade na escola e posso falar com propriedade, foi o melhor desfile. Existia uma Colorado antes de Carolina de Jesus e agora existe outra com o André Machado (carnavalesco). Foi muita luta para colocar a escola na avenida e é um choro de dever cumprido. Nosso objetivo é alcançar o nosso espaço e mostrar que não podemos ser subestimados. Estamos trabalhando para mudar esse conceito”, observou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui