Mulher, preta, favelada e bissexual. A professora Mariana Ribeiro, mais conhecida pelo apelido Mari Mola, fez história ao ser eleita Rainha do Carnaval de 2023. Nascida e criada no Morro do Tuiuti, a jovem iniciou a sua trajetória no mundo do samba ainda criança, aos 07 anos, na sua escola do coração, a Paraíso do Tuiuti. A partir daí, nunca mais deixou a folia. Já como passista da azul e amarela de São Cristóvão, sonhava com a realeza, porém tal sonho lhe parecia distante. Agora, depois de passar mais de oito meses no cargo e prestes a entregar a faixa e a coroa para uma outra menina, a beldade avaliou o seu próprio reinado e se disse contente com o legado que deixa.

Foto: Diogo Sampaio/CARNAVALESCO

“Falo para todo mundo que, para mim, o reinado começou a acabar assim que foi anunciada a data deste concurso, porque acho que a partir daí a coroa já passa a pertencer a todas as candidatas e me torno uma mera acompanhante desta disputa, assistindo e batendo palmas para todas essas meninas. E o balanço que eu faço desse período como Rainha do Carnaval é muito pessoal, porque o de fora só o público pode fazer. Então, tendo isso em visto, acho que o principal legado foi o meu amadurecimento. Hoje, me sinto muito mais profissional depois dessa Corte, consigo me ver mais assim. Esse concurso me fez crescer muito como pessoa, como profissional de samba, como mulher. É um divisor de águas. Por isso, acho tão importante todas essas meninas fazerem parte, pertencerem a esse palco, pois amadurece muito a gente”, declarou Mari Mola em entrevista concedida a reportagem do site CARNAVALESCO.

Fotos: Alexandre Macieira e Fernando Maia/Riotur

Para a edição deste ano, o concurso da Corte do Carnaval do Rio de Janeiro passou por uma profunda reformulação. Entre as alterações, a competição foi antecipada de dezembro para agosto e um novo modelo de disputa implementado. Nele, cada escola de samba e bloco carnavalesco pode indicar uma representante. Ao todo, mais de 100 mulheres se inscreveram e passaram por diversas etapas até que apenas dez sobraram na grande final. Ao comentar essas mudanças, Mari Mola elogiou a maior representatividade do novo formato e explicou a decisão de não participar.

“Foi mudada a regra também, eu poderia vir de novo lutar pela minha pela coroa, mas eu não achei necessário. A partir do momento que o concurso mudou o formato, isso aqui virou um palco pertencente a todas as meninas que acreditavam, mas que achavam impossível. Acreditavam lá dentro das suas casas, dos seus corações, que poderiam ser sim Rainha do Carnaval. Fiquei muito feliz e entendi que não precisava vir. Acredito que todas as passistas são unidas, claro que dentro das suas vertentes, cada uma na sua diferença. Porém, dentro da sua essência, todas sabem o porquê de ser passista, o amor que elas carregam. Portanto, tenho certeza que qualquer que seja a menina que bote a coroa na cabeça vai carregar isso com o mesmo cuidado e dedicação que carreguei. Então, acho que o balanço que eu faço desse novo modelo, novo formato, é de felicidade, de ter meninas como eu, que vão tratar isso daqui com muito amor”, avaliou.

Ainda na conversa com a reportagem do site CARNAVALESCO, Mari Mola fez uma análise geral das candidatas a Rainha do Carnaval de 2024. Ao ser questionada sobre qual conselho daria para a vencedora, a beldade não titubeou em dizer que o fundamental é ter felicidade naquilo que se está fazendo e representando.

“Tive a oportunidade de conversar com as candidatas e o conselho que dei foi para serem felizes, porque o mais importante é ter alegria dentro disso tudo. A gente aprende na marra, tem que ir para todas as escolas, tem toda a correria, mas o mais importante é ser feliz. Quando vai acabando, como é o meu caso agora, vai batendo uma tristeza, o coração fica apertado. Vou ter o carinho do público, mas dentro da minha escola de origem. No entanto, o carinho que você recebe estando na Corte, sendo a Rainha do Carnaval, é diferenciado. Por isso, desejo que a vencedora viva ao máximo e seja feliz a cada momento que tiver no cargo, porque a experiência, o sentimento, é algo diferente de quando a gente está dentro das escolas”, afirmou.

Atualmente, Mari Mola trabalha dando aulas de samba e viajando pelo mundo representando a folia carioca. Com o fim do reinado, a beldade voltará ainda a exercer o cargo de musa na Paraíso do Tuiuti. No entanto, se engana quem pensa que a jovem não tem planos mais ambiciosos para o futuro. Entre as metas estão a criação de um projeto para ajudar meninas da comunidade na preparação para concursos como o da Corte e chegar ao posto de rainha de bateria de uma agremiação.

“Estou trabalhando muito, graças a Deus, graças a esse palco, a essa coroa e essa faixa. Fora do posto, pretendo trabalhar muito mais, não tiro da minha vida a possibilidade de um dia ser rainha de bateria, que é um dos meus grandes sonhos, mas até o presente momento eu volto a ser musa da Paraíso do Tuiuti. Mas, estou com meu leque aberto, agora com uma coroa e uma faixa no currículo, para no futuro, quem sabe, ser uma rainha de bateria ou fazer um trabalho bem interessante dentro das comunidades. A minha vontade é preparar meninas para pisarem nesse palco e se entenderem rainhas, independente da coroação. Então, eu acho que o meu futuro é incerto, porque sou muito intensa, hoje quero uma coisa e amanhã outra, mas algo que não muda nunca é o meu desejo de ver mais meninas de comunidade brilhando por aí e se aceitando como as rainhas que são”, pontuou.

A grande final do concurso para Rainha do Carnaval de 2024 acontecerá nesta sexta-feira, dia 01º de setembro, na Cidade do Samba. Assim como nas outras etapas, o evento terá entrada totalmente gratuita. A vencedora, além do título e da coroa, levará para casa um prêmio de R$ 45 mil. Já a segunda e terceira colocadas escolhidas pelo júri e por meio do voto popular serão nomeadas Princesas e irão faturar a quantia de R$ 32.500 cada.