No próximo carnaval a Portela falará do seu centenário, através do enredo “O azul que vem do infinito”, do casal de carnavalescos Márcia e Renato Lage. A grandiosa história da Azul e Branca de Oswaldo Cruz e Madureira será retratada na avenida com um samba de autoria de Wanderley Monteiro, Vinicius Ferreira, Rafael Gigante, Edmar Jr, Bira e Marcelão. O site CARNAVALESCO esteve presente na gravação da faixa e conta alguns bastidores.

Marca registrada da Portela, o intérprete Gilsinho foi considerado por muitos o responsável por elevar o samba da escola no último carnaval, na gravação e também na avenida seu desempenho foi extremamente elogiado. Gilsinho falou sobre a preparação para gravar a faixa que irá embalar o centenário da águia altaneira.

“Sempre tem uma preparação especial, a gente bebe bastante água, já vem sabendo o samba, já com todas as modificações e grava tudo com calma pra não ter erro, para não ter nenhum tipo de transtorno no decorrer da gravação. Na hora da gravação usa mais a técnica e deixa a emoção mais pra avenida, mais pra pro ao vivo. Nada de demorar na hora da gravação é usar só a técnica mesmo, deixar a emoção totalmente pro ao vivo mesmo, pra avenida”, disse Gilsinho.

Sobre as modificações ocorridas no samba, o cantor pontuou que foi uma decisão da diretoria e que serviram para enquadrar o samba ao enredo, ele aproveitou para dizer a parte que mais gosta na obra.

“As modificações partiram da diretoria, foram questões técnicas, mais questões do sobre o enredo mesmo do que sobre o samba. O samba é muito certinho, muito correto, tinham essas modificações pra fazer, mas são coisas que diz respeito ao enredo mesmo. A parte final é muito bonita, né? Ser Portela é tanto mais que nem cabe explicação, basta ver os baluartes pra chorar de Emoção. A parte mais legal do samba é essa, acho até que vai levantar mais ainda a galera”, pontuou Gilsinho.

O vice-presidente da Portela, Junior Escafura comentou sobre a gravação, disse confiar muito em Gilsinho e na bateria do mestre Nilo Sérgio, ele ainda falou sobre as mudanças ocorridas no samba.

“Na verdade, acho que o Gilsinho já tá dentro do samba, a bateria também, era o samba da preferência do segmento da escola, do Gilsinho, da bateria. Acho que tá todo mundo já bem afiado pra fazer uma grande gravação. Nós fizemos algumas mudanças, mas foi uma questão para o entendimento melhor do enredo. Só por isso só”, disse Escafura.

Escafura prometeu uma grande gravação, a altura do que a Portela merece, ele ainda comentou e sobre a dosagem entre a emoção e técnica na hora de gravar a faixa.

“Na Portela é sempre difícil conter emoção. É emoção o tempo inteiro, mas o Gilsinho especificamente tem que se concentrar muito pra fazer uma grande gravação e ele é um cantor que grava muito bem. É muito afinado. Então ele é muito concentrado pra isso. E a emoção flui realmente mais na quadra com a comunidade e principalmente na Sapucaí”, finalizou Escafura.

Mestre Nilo promete reviver desenhos antigos na Tabajara do Samba

Mestre de bateria da Portela há muitos carnavais, Nilo Sérgio falou ao CARNAVALESCO sobre o que ele preparou de especial para agravação da faixa oficial da escola, segundo o mestre, desenhos antigos na terceira e nos tamborins estarão presentes, ele acredita que quem conhece um pouco o estilo da Portela irá identificar esses desenhos. Ele também falou qual o andamento colocou na Tabajara do Samba para a gravação.

“A gravação está 142 BPM. No desenho de tamborim são os desenhos antigos da Portela e também tem coisa nova, estamos ensaiados e vamos colocar em prática, colocamos desenhos antigos pra poder dar ênfase no centenário, tem muita história aí. Fizemos algumas bossas para a gravação, tem uma bossa pro Madureira sobe o pelo, tem um negócio ali das terceiras, a gente tentando botar as terceiras antiga da Portela, fizemos uma um negócio junto com o tamborim e quem escutar, quem conhece a Portela um pouco no passado vai identificar a terceira da Portel. Os tamborins também, é isso que nós tentamos, na verdade estamos trazendo o máximo dos cem anos da Portela para dentro dessa gravação”, disse Nilo Sérgio.

Alceu Maia, um dos responsáveis pela produção da faixa, falou ao CARNAVALESCO, sobre a gravação da Portela, ele elogiou bastante o enredo, disse que a gravação é bem tradicional e que serão feitas algumas homenagens.

“Samba é sempre samba, não tem muito mistério. Esse samba da Portela tem uma característica mais tradicional, é Portela falando dela, da sua velha-guarda e personalidades, um deles é o Osmar do Cavaco e vamos fazer uma homenagem a ele, o cavaquinho dele é algo muito singular, um cavaquinho velha-guarda, então vamos começar com dois cavaquinhos tocando nessa onda, durante o samba vai rolar o samba nessa levada. O enredo ajuda muito, o samba é a cara da Portela e o Nilo foi bem sagaz em tudo que se propôs”, disse Alceu.

Em 2023 a Portela será a segunda escola a desfilar na segunda noite de desfiles do
Grupo Especial.