Hexacampeão do carnaval paulistano, Jorge Freitas, mais uma vez, está de casa nova: em 2023, ele estreará na Dragões da Real. A escola, que será a última a desfilar nas noites da folia de São Paulo, também encerrou as apresentações na festa de lançamento do CD das escolas de samba, no dia 03 de dezembro. No dia, o profissional concedeu entrevista exclusiva ao CARNAVALESCO.

O casamento entre carnavalesco e escola foi exaltado por Freitas. Sem esconder a competência de quem conquistou seis vezes o Grupo Especial da cidade, ele aproveitou para destacar a organização da agremiação da Zona Oeste de São Paulo falando da responsabilidade de chegar à casa nova.

“A escola já tem uma qualidade muito boa. Eu implantei o estilo Jorge Freitas, super bem aceito. Desde o momento em que houve a contratação, eles já sabiam que eu iria implantar o estilo. Essa disciplina, essa coordenação que a escola já tinha e tem, junto com o trabalho do profissional Jorge Freitas, tem muito a acrescentar para o carnaval”, pontuou.

Em outro momento, mais um aspecto do casamento entre escola e profissional foi citado. Comentando sobre a dinâmica toda especial dos ensaios na Vila Anastácio, Freitas pontuou que o conhecimento dele somado aos eventos da agremiação são interessantes para todos os envolvidos.

“O carnaval é muito recíproco. Quando você se doa e passa algo, você aprende algo bom. Foi exatamente isso o que aconteceu: com a minha experiência, aprendi muito com
a comunidade da Dragões da Real, assim como eles também entenderam o que gosto e valorizam isso”, destacou.

Escolas de samba tradicionais e desportivas: tem diferença?

Os seis títulos de Freitas no carnaval paulistano foram conquistados por quatro escolas distintas. Duas delas ligadas a escolas de samba desportivas (duas taças na Gaviões da Fiel e outras duas na Mancha Verde) e outras duas em agremiações ligadas à localidade (Rosas de Ouro e Império de Casa Verde).

Para o carnavalesco, o importante é o trabalho realizado em cada instituição, sem qualquer mudança no cronograma de acordo com o “berço” da escola. O experiente carnavalesco também destacou que não vê dificuldade alguma no desenvolvimento de um desfile em agremiações desportivas ou em escolas ligadas ao bairro.

“O trabalho do profissional Jorge Freitas sempre leva em consideração apenas o carnaval. Eu sou contratado para fazer o carnaval. Eu não tenho problemas em trabalhar com escolas de samba tradicional, ‘raiz’ ou com aquelas oriundas a times de futebol. Não importa onde eu esteja, o trabalho é o mesmo. E, graças a Deus, eu consigo implantar o trabalho do profissional Jorge Freitas por todas as agremiações pelas quais eu passei”, finalizou.

A Dragões da Real busca o título inédito do Grupo Especial em 2023 com o enredo “Paraíso Paraibano – João Pessoa, a porta do sol das Américas”. A escola já foi vice-campeã em duas oportunidades, nos anos de 2017 (quando terminou a apuração com o mesmo número de pontos da campeã, a Acadêmicos do Tatuapé) e em 2019 (um décimo atrás da Mancha Verde).