InícioIntendenteFlor da Mina do Andaraí faz desfile bonito, mas tem harmonia irregular

Flor da Mina do Andaraí faz desfile bonito, mas tem harmonia irregular

A escola Flor da Mina do Andaraí apresentou o enredo “Renascença Clube – O Quilombo Urbano da Resistência Negra”, falando do clube carioca que abraçava negros, diferente de outros locais. Um desfile visualmente bonito, que soube contar a história de um lugar que abrigava a elite negra intelectual. A agremiação passou animada, mas, em algumas alas, vários componentes não cantaram o belo samba, o que pode fazer perder pontos em harmonia.

Fotos: Divulgação/Superliga

Comissão de Frente

Com fantasia de “Renascença Ancestral”, a CF trouxe casais negros simbolizando as famílias que idealizam a fundação no Rena e uma figura mítica que junta a dança e o samba. Os componentes fizeram uma apresentação forte e que foi aplaudida pelos jurados e o público. Os coreógrafos foram Ana Gregório e Márcio Deflawegah.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O casal formado por Matheus Oliveira da Silva e Thamires Viela Ribeiro com a fantasia Sankofa (forma de manifestar resistência por meio do mantimento da arte), fez um bailado envolvente e o tempo todo olharam um nos olhos do outro, em perfeita sincronia. A cada dança foram aplaudidos.

Enredo

O enredo foi desenvolvido pelo carnavalesco Yuri Nascimento. A escola conseguiu contar, a cada ala, a história do Renascença Clube e o que ele significou para o povo negro. Quem via o conjunto entendia o que estava passando.

Fantasias

O conjunto das fantasias expressou todas as fases do clube, do concurso de Miss Guanabara 1954, os bailes funk, Samba do Trabalhador e Dança Afro, por exemplo. Fantasias de fácil leitura, bonitas e de bom acabamento, que permitiram que os componentes evoluíssem.

Harmonia

Apesar do belo samba, em algumas alas, componentes não conseguiam cantá-lo e desfilaram de boca fechada, apenas evoluindo. Embora em outras, os componentes cantassem com força, sendo aplaudidos pelo público. No todo, a escola foi irregular no quesito.

Samba-enredo

O samba foi composto por Totonho, Célio do Balanço, Lilico do Balanço, Ronie Oliveira, Matheus Lebre e Giovani. O refrão “O quilombo que te abraça ante a força do opressor”, foi bem cantado pelos componentes e foi acompanhado pelo público nas arquibancadas, impulsionado pelas vozes dos intérpretes Pse Diminuta e Carlinhos Aniceto.

Evolução

A agremiação verde, vermelha e branca do Andaraí evoluiu de forma animada e tranquila, tendo vários setores aplaudidos pelas arquibancadas. Os componentes sambaram durante todo o desfile e chegaram à dispersão com 38 minutos.

Outros destaques

As alegorias primaram pela riqueza de detalhes e o bom acabamento, ajudando a contar o enredo. O segundo carro trouxe a Miss Guanabara 1964, Vera Lúcia Couto. O terceiro, o músico Moacyr Luz, como destaque principal no carro que falou do Quilombo Urbano da Resistência.

- ads-

É a bateria do Zaca! Mestre Serginho se diz contente pela proposta diferente e conquista do Estrela do Carnaval

A “Bateria do Zaca” vive uma fase espetacular. É o segundo ano consecutivo em que a batucada comandada por mestre Serginho conquista os 40...

‘Reflete a alma e a ancestralidade que o Salgueiro tanto valoriza’, diz Jorge Silveira sobre o enredo para o Carnaval 2025

O carnavalesco Jorge Silveira falou sobre o enredo do Salgueiro para o Carnaval 2025, que foi divulgado na noite desta sexta-feira. Intitulado "Salgueiro de...

Conheça o enredo do Salgueiro para o Carnaval 2025

“De corpo fechado”: preparo o tacho de óleo de oliva, arruda, guiné, alecrim, carqueja, alho e cravo. Com o sinal da cruz na fronte,...