Uma das principais potências do carnaval de São Paulo na atualidade, a Acadêmicos do Tatuapé confira na força da sua comunidade para o Carnaval 2024. O público que compareceu à Festa do Lançamento dos Sambas-Enredo do Carnaval de 2024, em dezembro, foi agraciado por mais uma atuação de alto nível da ala musical, que guiou os desfilantes a clamarem o samba sobre Mata de São João de forma imponente.

Foto: Magaiver Fernandes/CARNAVALESCO

Cara nova na bateria com filosofia já conhecida

O trabalho de longo prazo responsável pelo sucesso da tradicional escola da Zona Leste envolve a formação de um time de lideranças que segue o mesmo há vários anos. Para 2024, porém, a bateria “Qualidade Especial” será liderada pelo mestre Léo Cupim, que apesar de novo da função se criou como sambista na Tatuapé. Em conversa com o site CARNAVALESCO, o novo líder dos ritmistas da agremiação falou sobre como vem sendo assumir esse papel.

“É um papel muito importante e é muito especial. Eu venho da ala das crianças, passei a desfilar em ala, passei a ritmista, passei a diretor de bateria, saí da escola, voltei como ritmista a convite do mestre Igor, voltei a ser diretor de bateria e substituir ele é uma honra. Estar em casa me motiva mais ainda e isso é maravilhoso”, declarou o mestre.

A Tatuapé é uma escola que construiu sua identidade baseada em definições coletivas em prol da unidade, e na bateria não é diferente. Leó Cupim afirma que essa filosofia explica sua escolha para a função de mestre de bateria.

“A nossa escola tem, por filosofia dela, a nossa característica. Justamente pela mudança repentina, escolher alguém da casa é para manter essa mesma filosofia, esse mesmo trabalho que vem sendo desempenhado há algum tempo e é um sucesso. A gente espera manter essas características, esse sucesso que a gente vem tendo na pista”, explicou.

O trabalho de Diego e Jussara para sempre se superar

Um quesito que segue firme e embalado por uma fase fantástica é o defendido por Diego e Jussara, primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira da Tatuapé. Uma sequência de tantos anos garantindo a nota máxima faz os olhares se voltarem para eles, mas a dupla faz questão de exaltar o empenho de todos guardiões de pavilhão ao falar da condução de seu trabalho.

“Essa questão de ser um dos casais mais visados não é bem por aí. Todos os casais sejam eles de São Paulo, Rio de Janeiro, aqueles que ostentam o pavilhão, independente de ser oficial, segundo, terceiro, ou juvenil, todos têm o seu valor. Todos trabalham arduamente para poder passar por aquela pista. Com relação aos nossos ensaios, nós nos cobramos muito, somos muito detalhistas em tudo que a gente faz. ‘Pára, volta, não, a mão está errada, não, o braço está errado’. ‘Ah, o seu ficou um pouco mais alto, o seu um pouco mais baixo. Vamos acertar o plano do braço’, e assim a gente vai. A gente procura representar o nosso pavilhão todos os anos da melhor maneira possível, e a gente trabalha muito para isso porque é como os nossos próprios presidentes falam. Todo desfile tem que ser o melhor desfile de nossas vidas”, afirmou Diego.

O casal não pretende se acomodar para 2024, garantindo que estão se preparando para mais uma apresentação de alto nível.

“Tem coisa boa vindo aí. Tem uma coreografia bem dentro do nosso enredo, bem dentro da nossa fantasia que eu tenho certeza que vai emocionar muita gente”, garantiu Jussara.