InícioGrupo EspecialEmbalada por mais um show da bateria, comunidade da Vila Isabel dá...

Embalada por mais um show da bateria, comunidade da Vila Isabel dá aula de canto no primeiro ensaio do ano

Por Rafael Soares e Maria Clara

A Unidos de Vila Isabel começou o ano com força total. No primeiro ensaio de rua de 2024, a escola mostrou mais uma vez que é uma das grandes candidatas ao título do carnaval carioca. O treino, que começou pouco antes das 22h, teve uma arrancada avassaladora. Como não poderia ser diferente, o samba foi um dos maiores destaques, comandados por Tinga e seu carro de som com maestria. A bateria do mestre Macaco Branco novamente deu uma aula de ritmo, impulsionando uma harmonia de alto nível.

“Foi um grande ensaio. Eu gostei muito! Estamos praticamente três/quatro semanas sem ensaiar desde quando entramos de recesso no final do ano e para o primeiro ensaio do ano a galera mesmo sem estar tocando esse tempo todo, foi maravilhoso. Parece que a galera não parou nenhum momento. É legal porque é um trabalho que a gente vê que está surtindo efeito. Aquele trabalho de formiguinha que a gente faz lá desde abril e eu fico muito feliz e pelos ensaios que estamos fazendo, se o desfile fosse amanhã nós poderíamos já representar muito bem a nossa escola e se Deus quiser trazer a nota máxima para ajudar a trazer esse tão sonhado título aí para a Vila Isabel. Não vejo pontos assim que tenham que melhorar. Acho que é praticar, praticar e praticar para cada vez mais. Claro que a perfeição não existe na vida, perfeito é Deus, mas a gente chegar um pouquinho próximo ali da perfeição e fazer um grande desfile, com a nossa comunidade que está cantando muito, nosso carro de som afinadíssimo, sob a batuta com o comando do Tinga, junto ao Douglas, que é o diretor Musical, a ‘Swingueira de Noel’, todos os ritmistas, diretores e coordenadores empenhados. É um grande trabalho e a nossa comunidade cantando a plenos pulmões”, garantiu mestre Macaco Branco.

A Vila Isabel levará novamente para a Marquês de Sapucaí o enredo “Gbalá – Viagem ao templo da criação”, de autoria do saudoso carnavalesco Oswaldo Jardim no ano de 1993. Neste ano, o carnavalesco Paulo Barros será o responsável pelo trabalho. A azul e branca será a terceira agremiação a desfilar na segunda-feira de carnaval, dia 12 de fevereiro, buscando o quarto título em sua história.

Yuri Maia, um dos diretores de harmonia da escola

“Uma reedição de samba acaba dobrando a cobrança, tanto da diretoria, quanto por parte da comunidade. Porque muitas pessoas dizem saber o samba, até por ter desfilado naquela época. Isso pode ser ruim para o trabalho. Então, isso nos faz dobrar a nossa exigência. É um trabalho que nos cobra um pouco mais, para que a gente não deixe a galera acreditar que já sabe e não precisa ensaiar. A gente sabe que isso é um desafio, mas estamos vendo a resposta que a nossa comunidade está dando. Ainda não está 100% do que pretendemos levar para a avenida, mas estamos muito perto do que a gente quer como melhor”, avaliou Yuri Maia, um dos diretores de harmonia da escola.

Harmonia

É impressionante o nível de harmonia da comunidade da Vila Isabel. Todas as alas cantam a bela obra musical com muita facilidade, mostrando ter o samba na ponta da língua. É uma harmonia muito potente, que pode ser ouvida desde o começo do cortejo até o seu final. Todos mostrando muita garra e alegria ao entoar o samba. O ponto alto certamente é o refrão principal “Gbala é resgatar, salvar/E a criança, esperança de Oxalá/Gbala, resgatar, salvar/A criança é a esperança de Oxalá”, cantado com uma força incrível. Mas é importante destacar que todas as partes têm um nível de harmonia muito alto. A integração da equipe do carro de som com a bateria e a comunidade é plena.

“Saio desse ensaio de hoje muito feliz. Contente pela resposta que a comunidade tem dado para a gente. Era um samba muito desafiador lá no início do projeto. E a gente está vendo que a nossa comunidade está provando que é muito fácil com eles presentes e juntos conosco. Mostrando a força do nosso morro, a força da nossa comunidade. É importante demais para a gente voltar com essa força. Iniciamos os ensaios de canto e evolução na quadra esse ano. Fizemos dois, com alas divididas. E aí voltamos, dando esse pontapé inicial na rua. Daqui para a frente é só rua. E temos o ensaio técnico à vista. Vamos continuar trabalhando. Acho que estamos 90% preparados. Vamos buscar esses 10% ainda para chegar na avenida e brigar mais uma vez pelo título do carnaval”, disse o diretor de harmonia Yuri Maia.

Evolução

Mais uma vez a Vila Isabel faz uma evolução muito competente em seu ensaio. O ritmo do desfile foi ótimo, na medida certa. Sem qualquer tipo de correria ou lentidão. Nenhum buraco foi aberto entre as alas. Todos os componentes mostraram bastante desenvoltura, espontaneidade e animação. Foram poucas alas coreografadas, o que deixou tudo ainda mais fluido. Como já é costume, várias alas traziam adereços, como balões e pompons, que deram todo um efeito especial no cortejo. Os componentes eram recebidos com muita festa ao final do treino, já na entrada da quadra da escola.

Samba-enredo

Considerado um dos melhores sambas da história da Vila Isabel, “Gbalá” segue tendo um rendimento excelente através da atuação de sua comunidade em conjunto com o time de cantores e os ritmistas. A obra tem uma letra muito fácil, o que contribui bastante para que todos possam cantar com muita força e segurança. A melodia, com suas belas nuances, impulsiona ainda mais esse desempenho. A bateria comandada pelo mestre Macaco Branco mostrou uma cadência perfeita para a harmonia da escola, e também um leque de bossas bem encaixadas no samba, que adicionam muita energia nos desfilantes.

“Está muito lindo. Vocês podem conferir isso aqui. A comunidade está feliz demais com nosso enredo e com nosso samba. A gente sempre procura fazer o melhor até o dia do desfile. Vamos fazer de tudo para chegar lá e buscar nosso sonho que é ser campeão do carnaval mais uma vez. A comunidade está querendo muito esse título. E a emoção de cantar esse samba é muito grande. O Gera fala que foi um desfile muito bonito na época. Eu também desfilei, em outro setor, na ala mesmo. E será bonito mais uma vez. Uma honra cantar esse samba de 1993 do Martinho da Vila”, comentou Tinga.

Outros destaques

Tanto a equipe da comissão de frente, quanto o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira da Vila Isabel não compareceram ao treino desta quarta-feira. Eles estavam ensaiando na Marquês de Sapucaí. O ensaio de rua foi iniciado pelo segundo casal da escola, que teve uma atuação segura.

Antes de começar seu treino, a Vila fez uma homenagem a componentes que desfilaram em 1993, como alguns integrantes da bateria e o cantor Gera, que foi o intérprete oficial na época. Todos eles receberam placas comemorativas, além de muitos aplausos da comunidade e do rufar da bateria. Personagens fundamentais da Vila, que ajudaram a construir a história de uma das escolas de samba mais importantes do país.

- ads-

Unidos da Tijuca renova com mestre Casagrande

A Unidos da Tijuca anunciou a renovação com mestre Casagrande para o desfile do ano que vem. Ele segue no comando da bateria "Pura...

Nícolas Gonçalves acerta com Tucuruvi para fazer parceria com dupla de artistas da escola

Além da renovação de Dione Leite e Yago Duarte, o Tucuruvi anunciou a chegada do carnavalesco Nícolas Gonçalves que estará na parceria com a...

Tucuruvi anuncia renovação de carnavalescos para o desfile de 2025

O Tucuruvi anunciou nesta segunda-feira a renovação da dupla de carnavalescos, Dione Leite e Yago Duarte, para o desfile do ano que vem. Confira...