InícioSão PauloEnsaio? Peruche dá aula de chão em apresentação quase sem erros no...

Ensaio? Peruche dá aula de chão em apresentação quase sem erros no Anhembi

Filial do Samba chegou ao Sambódromo pronta para o desfile oficial e surpreendeu torcedores nas arquibancadas

Terceira escola a desfilar no ensaio técnico do último sábado, a Unidos do Peruche teve pouquíssimos erros no Anhembi. Com a comunidade verde e amarela cantando forte e com a agremiação inteira afiada, a Filial do Samba impressionou em diversos aspectos quem assistiu à apresentação. Com o enredo “A Essência Que Me Seduz”, a instituição será a oitava a desfilar no Grupo de Acesso II, no dia 11 de fevereiro.

Harmonia

O samba-enredo, elogiado pela crítica carnavalesca, rendeu muito bem no ensaio técnico. Muito bem cantado, ele colaborou para a empolgação de boa parte dos componentes. Se houve irregularidade no canto, ela se deve nos níveis “ótimo” e “muito bom”, já que as alas cantavam com efusividade. Até mesmo as destaques da bateria cantavam com força a canção. O chão da Filial do Samba foi um dos grandes destaques do ensaio técnico. Mesmo no último setor os componentes mostravam-se bastante animados.

Samba

Simples e facilmente decorável, a canção caiu nas graças do componente – que, como dito acima, corresponderam com bastante força. A torcida da escola presente no Anhembi também apoiou, e diversos torcedores cantaram nas arquibancadas. Alex Soares, intérprete da agremiação da Zona Norte e de atuação segura, sequer precisou de muitos cacos para animar componentes e torcedores.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Girando no sentido horário, Kawe Lacorte e Nathalia Bete seguem evoluindo na escola. Promovidos à primeiro casal a partir do desfile de 2020 advindos do terceiro posto entre os casais da verde-e-amarelo da Zona Norte, foi possível notar bastante sincronia, interação com o samba, comunicação entre os integrantes, leveza, sorrisos e muitos giros – mais que a média dos casais. Ambos olhavam fixamente para a cabine de jurados não apenas ao se apresentes para as torres, mostrando confiança. Foi notado um único (e sutil) erro: ao abrir o pavilhão em frente à Arquibancada Monumental, uma rajada de vento bateu e Kawe (de dança bastante firme, deslizando bastante o pé e indo até o limite no bailado) tomou um tempo extra para exibi-la.

Comissão de Frente

Sem fantasias, mas com uniformidade na parte superior do corpo (com uma roupa dourada com detalhes pretos idêntica a todos) e com vestimentas pretas na parte de baixo, a comissão de frente perucheana teve majoritariamente mulheres de aparência jovem. Uma dela, por vezes, se distanciava para fazer uma coreografia solo. Atrás dos integrantes, três pessoas carregavam um pano – provavelmente identificando um tripé. Não foram identificados erros em uma exibição bastante segura, mas que não chamou atenção como o canto da escola, por exemplo – o que ajuda a ganhar pontos no quesito.

Evolução

Quando a sirene para o começo do desfile foi soada, a escola ainda estava executando um samba de quadra – o que a faria perder pontos no dia do desfile. Como citado anterior, a evolução da Comissão de Frente pareceu um pouco morosa, o que foi ajustado conforme o ensaio técnico evoluía. A saída dos primeiros componentes da passarela, porém, não afetou o ritmo da evolução perucheana. Alas com pompons (como a posicionada atrás da Velha Guarda) ajudavam no quesito. Ao contrário de outras escolas, havia equilíbrio entre alas coreografadas e mais soltas.

Outros Destaques

– Mauro Xuxa, carnavalesco da escola, borrifava perfume na avenida (em virtude do enredo)
– Bateria Rolo Compressor começou o desfile executando poucas bossas, mas fez três convenções no final do ensaio – talvez comemorando a grande exibição dos ritmistas de Mestre Acerola.
– Na bateria, havia equilíbrio entre cuícas com e sem revestimento – as anteriores tinham predominância de instrumentos sem revestimento.
– Chamou atenção o alto número de ritmistas na Rolo Compressor.
– Ao contrário do que é muito comum no carnaval paulistano, os ritmistas não encerraram o desfile. Até mesmo um carro alegórico e um casal de mestre-sala e porta-bandeira veio depois da bateria.
– A ala das baianas veio fantasiada e girando bastante

- ads-

Rodrigo Meiners não é mais carnavalesco dos Gaviões da Fiel

A direção dos Gaviões da Fiel anunciou a saída do carnavalesco Rodrigo Meiners. Confira abaixo a publicação da escola. "Gostaríamos de informar que o carnavalesco...

Viradouro: arte do enredo de 2025 virá de Pernambuco

A arte do enredo da atual campeã do Carnaval do Rio de Janeiro será escolhida através de um concurso cultural promovido pela Viradouro em...

Festa de premiação do Estrela do Carnaval e Destaques do Ano em São Paulo revela espetáculo das escolas de samba

Por Gustavo Lima e Will Ferreira. Fotos de Fábio Martins/CARNAVALESCO Muitos pensam que toda segunda-feira é um dia frio, triste e melancólico. O último 22...