A atriz Samara Trindade Monteiro Barbosa, de 19 anos, é a representante do Acadêmicos da Rocinha no concurso que irá eleger a Rainha do Carnaval do Rio de Janeiro de 2024 e está entre as dez finalistas da competição. Participante do projeto cultural Biarte e do grupo Nós do Morro, a jovem iniciou a trajetória no mundo do samba em 2020, quando ingressou no “Realmente Samba Rocinha”, uma iniciativa promovida pela princesinha da Zona Sul. Atualmente, ela integra o grupo de passistas da agremiação. Após a classificação para a decisão da competição que vai formar a Corte da folia carioca, a candidata conversou com o site CARNAVALESCO e passou por uma bateria de perguntas.

Fotos: Alexandre Macieira e Luciola Villela/Riotur

A grande final do concurso para Rainha do Carnaval acontecerá nesta sexta-feira, dia 01º de setembro, na Cidade do Samba, e assim como nas outras etapas o evento terá entrada totalmente gratuita. A vencedora, além do título e da coroa, levará para casa um prêmio de R$ 45 mil. Já a segunda e terceira colocadas escolhidas pelo júri e por meio do voto popular serão nomeadas Princesas e irão faturar a quantia de R$ 32.500 cada. Confira abaixo a entrevista completa.

CARNAVALESCO: O que representa para você estar na final do concurso?

Samara Trindade: “É esquisito para mim, é bem louco chegar nessa final. Nunca imaginei estar em um concurso como esse, só estou no mundo do samba há três anos. Então, nem sonhava que a estratégia do concurso ia mudar, que eu seria escolhida pela minha agremiação pra estar aqui, mas me sinto muito feliz e muito honrada de ter tido essa baita oportunidade. Estar vivendo todo esse processo está sendo muito gostoso”.

CARNAVALESCO: Já tem uma ideia de como será sua fantasia para final?

Samara Trindade: “Para ser sincera, eu não botava fé que ia chegar até aqui, mas a minha família sempre me apoiou muito. Toda a minha equipe, que é basicamente a minha família, ficou buscando, procurando saber mais sobre esse concurso e tentando angariar recursos. Ainda não estou totalmente a par da situação, mas pretendo vir com uma fantasia representando minha borboleta encantada. Não sei de valores exatos e pode ser que isso mude”.

CARNAVALESCO: Qual foi o melhor momento da disputa até agora e o mais difícil?

Samara Trindade: “Acho que não tive um momento triste no concurso. Foi tudo uma montanha russa de emoção, mas nunca de um lado negativo, sempre um misto de sensações para o lado positivo. E quanto ao ponto alto foi ver a minha comunidade me abraçando, ver o apoio da minha família, ver o empenho de toda torcida se locomovendo, todas as postagens, as pessoas acreditando em mim e me conhecendo através do meu trabalho, da minha arte. Isso foi extremamente marcante”.

CARNAVALESCO: Como conseguiu conciliar a rotina do concurso com a vida normal?

Samara Trindade: “A minha mãe queria me matar. Eu, para ser sincera, acho que eu não conciliei direito. Quase não dormi, abri mão de várias coisas, fiquei ensaiando por diversas horas do dia… Como eu disse, sou nova no samba, então tenho que me dedicar 30 mil vezes mais do que esse povo que está aqui sambando desde sempre e que admiro tanto. Basicamente é isso”.

CARNAVALESCO: O que pretende fazer de preparação até a final?

Samara Trindade: “Minha preparação para final é continuar nesses ensaios loucos. O Pedro Telles, que é meu diretor na Acadêmicos da Rocinha, se disponibilizou para me ajudar. Ele trabalha até 01h, mora em São Gonçalo, o emprego dele é por lá e vem para o Rio, atravessa a Ponte, para me ensaiar. A gente fica madrugadas ensaiando, mas é tudo em prol de um objetivo maior e dá fé que ele tem em mim. Então, isso já me motiva a não dormir. E voltando ao assunto de conciliar, sou artista de teatro, tenho o meu projeto que sou a gestora e professora, também faço Nós Do Morro, onde eu tenho aulas, e agora também tenho as aulas de samba voltadas para o concurso e as do projeto da Rocinha. É muita coisa. Como já falei, a minha mãe, às vezes, ficou com vontade de me matar ao longo do processo, porque ela acha que eu sou muito nova para fazer tanta coisa. Porém, é arte que eu acredito. O jeito, então, é continuar mesmo sem dormir e ensaiar até não aguentar mais”.

CARNAVALESCO: Qual sua opinião sobre os comentários de internet que criticam algumas candidatas que fazem passos marcados e sambam no estilo “Tiktok”?

Samara Trindade: “A dança do samba ainda está sendo desmistificada. A gente tem o Samba e Vivência, com o Patrick Carvalho, onde ele está desmistificando um pouco a dança do samba e a gente está começando a dar nomes a movimentos. Por isso, acho precipitado qualquer crítica ou comentário nesse sentido, até porque cada um tem um corpo, cada um tem um jeito de dançar e aos poucos a gente vai descobrindo coisas. O samba está sendo descoberto agora, a gente ainda tem muitos passos novos, então pode ser que essa dança do TikTok se transforme em uma dança do samba, assim como uma dança do samba se transforme em um passo do TikTok. Acho que a arte está aí para transformar e passar por essas mutações o tempo inteiro”.

CARNAVALESCO: Se ganhar, o que fará com o prêmio de R$ 45 mil?

Samara Trindade: “Para ser sincera, eu nem sei quantos zeros tem. Eu não faço ideia do que vou fazer exatamente com esse prêmio, mas com certeza vou investir boa parte desse dinheiro para ajudar minha família e pensar em um futuro. A gente não vive do agora, o presente passa muito rápido, então é investir mesmo”.