InícioSão PauloComissão de Frente é o destaque do ensaio da Dragões da Real

Comissão de Frente é o destaque do ensaio da Dragões da Real

Com a presença dos Demônios da Garoa, Dragões mostra seus trunfos na luta pelo título

A Dragões da Real realizou no último domingo seu primeiro ensaio técnico no Sambódromo do Anhembi. Embalada pelo enredo em homenagem ao sambista Adoniran Barbosa, a comunidade de Gente Feliz mostrou grandes atributos para lutar pelo primeiro título no Grupo Especial, do qual encerrará a primeira noite de desfiles. Mas o canto da escola precisará passar por ajustes caso queiram alcançar seu principal objetivo.

Dragões da Real de alma lavada

A chuva do início da noite não foi ignorada pelo diretor de carnaval, Márcio Santana, ao analisar o desempenho da escola. Mas a mesma foi vista com bons olhos, e se alegrou pela presença em bom número da comunidade no ensaio. “Primeiro vamos falar da meteorologia, né. A chuva veio pra lavar. Lavar toda amargura, angústia e o sofrimento desses dois anos com tanta dificuldade e também sem o samba. Passada a chuva a escola aconteceu. A gente trabalhou muito pra que a gente tivesse a comunidade aguerrida, envolvida e empenhada, e isso eu acho que foi fundamental. Se eu tivesse que destacar qualquer coisa do nosso ensaio foi a presença da nossa comunidade”, celebrou.

Ao falar dos pontos de destaque da apresentação da Dragões, Marcos também observou não apenas o tempo sem desfilar, mas também as excepcionalidades que o carnaval de 2022 reserva para as escolas. “Eu colocaria a evolução e o canto da escola no mesmo pé. Evolução foi muito boa. É claro que depois de dois anos a gente perde a mão e tem algumas correções a serem feitas. É um carnaval novo, porque a gente tem a dinâmica de só ter quatro alegorias, diminuição no número de componentes. Então naturalmente a evolução tem que passar por algumas correções. O canto foi contínuo e linear, e isso pra gente foi muito positivo. É claro que a gente espera mais, a gente pode mais, e tenho certeza que no nosso próximo ensaio técnico a gente vem numa progressiva, numa evolução, para que no dia do desfile a gente esteja 100% para realizar o maior desfile de nossas vidas”, acrescentou.

O amor do diretor pela escola tricolor ficou evidente ao falar do sentimento de estar de volta ao Sambódromo. “Eu vou ser bem sincero. Eu sou um apaixonado pela escola. Minha história de vida se confunde com a do samba e em muitos momentos eu tive que controlar a emoção para não chorar. A gente tenta ter a frieza da técnica, mas a emoção fala alta quando a gente pisa aqui, a sirene toca, o portão abre. É um filme que passa dos dois anos que estivemos afastados”, concluiu.

Um momento para se divertir e não esquecer

A Dragões da Real sofreu um desfalque importante no ensaioe. A porta-bandeira, Evelyn Silva, sofreu uma pequena torção durante o ensaio de quadra do dia anterior. Para que a titular possa repousar e estar recuperada para o próximo ensaio técnico, nada melhor do que contar com a amiga de infância Ianca Bastos para acompanhar o mestre-sala Rubens de Castro. “Hoje foi meu ensaio técnico como uma convidada para representar minha amiga Evelyn. Estou muito agradecida por essa oportunidade. Somos amigas desde onze anos de idade, e para mim foi uma experiência maravilhosa. Espero que a Dragões venha com tudo, e está vindo. Está maravilhosa”, disse Ianca.

Rubens também aproveitou para curtir o momento. Dançou com tranquilidade, interagiu com o público de maneira muito bem humorada e falou sobre o clima da escola neste ensaio. “O carnaval volta com tudo. O ensaio técnico, para qualquer pessoa hoje que pisou nessa avenida, é de emoção. O próximo ensaio é técnico, esse é para lavar a alma, de voltar, e resgatar esse Sambódromo que é nosso, não é de ninguém não. Com a nossa Ianca, ensaiar foi uma diversão de muita responsabilidade segurar o pavilhão. Os passos que a gente ensaia todos os dias, eu e a Evelyn, é muito mecanizado. Não tem como trazer nada que é nosso para a Ianca, não teria sentido”, declarou.

Fotos Felipe Araujo/Divulgação Liga-SP

O mestre-sala exaltou a sua acompanhante da noite ao falar sobre o que mais gostou no ensaio. “O reconhecimento do público para essa moça que veio apenas substituir a Evelyn. Ela foi aplaudida como reconhecimento e agradecimento. Isso que é legal, o carnaval é para isso, carnaval é humano, não é de negócios, é isso que a gente espera”, exaltou.

Ianca esbanjava felicidade e não escondeu a importância daquele momento para ela. “O ponto alto foi a experiência que eu adquiri hoje. Fui muito agradecida por essa oportunidade, estou muito feliz. Estou feliz de a Evelyn confiar em mim para ser a primeira porta-bandeira. Então estou sem palavras. Só agradecimento mesmo”, finalizou.

Se um já fez história, imagine só 200

Só mesmo tendo Tornado como mestre para dar conta de 200 Adonirans Barbosa, que serão os ritmistas caracterizados da bateria Ritmo que Incendeia nesse carnaval. Focado em garantir a nota 10, com quatro bossas e o regulamento “debaixo do braço”, o comandante foirigoroso ao analisar o desempenho de seus pupilos. “Temos sempre que melhorar. Hoje eu daria 9.9. Vamos melhorar mais, temos que melhorar. Pode, deve e vamos melhorar. Faltou um pouco mais de tesão, só isso. A chuva atrapalhou um pouco, mas não foi só para a gente, para as outras coirmãs também. E foi isso, de resto foi bem ensaiada, bem tocada, o ritmo do começo ao fim maravilhoso, e é isso carnaval”, comentou.

Durante o ensaio, a bateria realizou alguns “paradões”, onde só se ouvia o time de canto e a comunidade. Mestre Tornado falou a respeito, e também exaltou o homenageado da escola. “O legal é isso. A escola está cantando, a escola e bateria abraçaram as bossas e a comunidade está junto. Esse foi o ritmo do começo ao fim. Manutenção do ritmo, que não caiu, além da escola cantar. A escola cantou, está vibrando, e isso é maravilhoso. Adoniran é maravilhoso, 100 anos do cara, então a gente tem que lembrar desse ano”, encerrou.

E além disso, tem outra coisa…

Dono de uma das vozes mais icônicas do carnaval paulistano, Renê Sobral dessa vez foi acompanhado dos lendários Demônios da Garoa no time de canto da Dragões da Real. Juntos, esquentaram a bateria ao som de clássicos de Adoniran Barbosa, e fizeram um conjunto esplendoroso no ensaio. O intérprete não escondeu o nervosismo inicial que sentiu ao dar sua resenha sobre o andamento do samba no ensaio, mas aproveitou para enaltecer a sua comunidade de gente feliz. “Eu estava um pouco apreensivo, principalmente porque ficamos muito tempo sem ensaiar. Com pouco tempo de ensaio de quadra, sendo que quase não tivemos ensaio de rua, ensaio de canto ‘à vera’, a gente fica um pouco apreensivo. Mas eu me surpreendi com a garra da escola hoje. O povo estava cantando muito, o povo caiu dentro do samba, que deu um resultado muito positivo no efeito de melodia, de canto e no efeito da emoção. Então estou muito feliz com o resultado do ensaio hoje. Estamos rumando no caminho certo”, manifestou.

Renê é um profissional exigente, que sabe que pode obter sempre resultados melhores. Fez observações sobre pontos a serem ajustados, mas aproveitou para falar do que mais gostou de ver na avenida. “Eu sou sempre do lado de pegar no pé do componente pra ele cantar cada vez mais. Então acredito que dá pra ele cantar mais, dá para esperar um efeito melhor. Tem alguns acertos de melodia que precisamos fazer com a comunidade, mas que no decorrer nós vamos acertando. Nesse ensaio foi bom, e no próximo será melhor ainda. Além disso, eu gostei muito da nossa entonação quando damos uma ênfase no ‘Dragões amanheço em teus braços, eternizando nossos laços’. Ficou maravilhoso, o povo cantou e foi de arrepiar”, concluiu.

Evolução brilhante, comissão cativante, mas o canto pode melhorar

A Dragões da Real vem batendo na trave já há alguns anos. Ignoremos colocação final de desfile, pois no final são sempre poucos décimos que separaram a escola do título tão sonhado. Mesmo tão jovem, já são 10 anos de Grupo Especial e ninguém ignora a capacidade da tricolor de fazer grandes desfiles.

Sua comissão de frente deixará bem claro para o público do que se trata o enredo. É Adoniran Barbosa na sua plena essência, relembrando os bons tempos que marcaram a carreira de um dos artistas mais importantes da história do samba paulistano. A equipe exibiu uma dança impecável, que ficou bem casada com o pequeno, porém funcional tripé que utilizarão na apresentação. Foi sem dúvidas o ponto alto do ensaio.

Em se tratando de harmonia, alguns pontos precisam ser observados. O primeiro setor da escola apresentou canto irregular, que foi crescendo exponencialmente conforme os componentes passavam. Destaque positivo para as alas que retratarão coirmãs que estiveram presentes nos antigos carnavais, onde até mesmo a pioneira Lavapés foi lembrada. O canto foi forte e vieram com roupas fazendo referência a essas agremiações. Talvez, a ala das baianas vir logo atrás do carro Abre-alas possa não ter sido uma solução adequada, mas quem sabe no segundo ensaio o alto astral da parte final se espalhe para o começo.

Sempre é importante destacar que a equipe que comanda a Dragões da Real é bastante esforçada, e aprendeu a fazer carnaval de acordo com o que é preciso para as notas atingirem o esperado. Subestimar a capacidade deles de voar e se superar pode ser um erro fatal para as concorrentes ao troféu principal. Coirmãs, cuidado para não se tornarem ‘taubas de tiro ao Álvaro’ dessa gente feliz…

- ads-

Ellen Beatriz continua à frente da ala de passistas da Unidos de Bangu para o Carnaval 2025

Dando continuidade ao seu preparo para o Carnaval 2025, a Unidos de Bangu anuncia a renovação da coordenadora da ala de passistas, Ellen Beatriz....

Luiz Carlos Amâncio assume direção geral de harmonia na Vizinha Faladeira para o Carnaval 2025

A Vizinha Faladeira anuncia a contratação do o experiente Luiz Carlos Amâncio para a direção geral de Harmonia para o desfile do ano que...

Compositores do Tucuruvi festejam Estrela do Carnaval de ‘Melhor Samba do Especial de SP em 2024’

Muitos pensam que o encerramento dos desfiles de escolas de samba de São Paulo em 2024 não teria arquibancadas cheias nem emoção já na...