Por Lucas Sampaio e fotos de Fábio Martins

A X-9 Paulistana realizou seu ensaio técnico na última quinta no Sambódromo do Anhembi em preparação para o carnaval de 2024. O bom desempenho da ala musical e a comissão de frente animada foram destaques do treinamento da agremiação da Parada Inglesa, que fechou os portões após 54 minutos na Avenida. A X-9 será a sexta escola a desfilar no dia 3 de fevereiro pelo Grupo de Acesso 2 de São Paulo com o enredo “Nordestino Sim, Nordestinado Jamais!”, assinado por uma comissão de carnaval.

Iniciando as atividades na Passarela do Samba no feriado de aniversário da cidade de São Paulo, a X-9 enfrentou problemas principalmente com a evolução, que precisam de maior atenção nos preparativos até o dia do desfile oficial.

Comissão de Frente

A abertura do desfile da X-9 estará a cargo de uma comissão de frente que fará uma coreografia de um único ato marcando o samba. Atrizes e atores demonstraram uma sintonia muito boa de movimentos, com um protagonista recebendo destaque à frente dos demais, mas sem ofuscar a irreverência do coletivo, que parte atuava sozinho, parte em duplas. Em dado momento, parte do grupo se deitava no chão para juntos formarem a frase “boa noite” com seus corpos, chamando bastante atenção. Com danças no melhor estilo nordestino em parte da atuação, o quesito teve desempenho seguro e pode render boas notas para a escola.

Mestre-sala e Porta-bandeira

Igor Sena e Julia Mary tiveram atuação segura no geral ao longo da pista. No primeiro módulo, o casal da X-9 fez uma apresentação com muito boa sintonia e cumprindo os requisitos da dança demonstrando confiança, com direito a passos marcados dentro do estilo do samba. O vento passou a querer atrapalhar a porta-bandeira conforme avançavam pela Avenida, e a dupla não cravou a finalização de um giro ao final da dança no terceiro módulo, onde até então estavam tendo outra boa atuação. Nada que não possa ser corrigido até o dia do desfile, afinal, ambos parecem acreditar muito no trabalho um do outro, o que é um elemento de sucesso para garantir as notas que a escola almeja.

Harmonia

Desempenho aquém da X-9 no quesito. O canto da escola como um todo se mostrou discreto, sem nenhum momento de explosão ao longo do ensaio. Não houve apostas em apagões ou bossas mais ousadas que estimulassem a comunidade a elevar o tom do canto. O ótimo samba da escola merecia ser cantado com mais vigor.

Evolução

Quesito mais preocupante da X-9 Paulistana ao longo de todo ensaio. Em ao menos dois pontos da pista houve espaçamentos que não se consertaram ao longo de todo o treinamento. O espaço entre a comissão de frente e a ala que veio em seguida se manteve amplo e constante. A ala que se posicionou logo atrás da bateria também não se aproximava do carro de som, e a morosidade da escola a partir desse ponto atrasou inclusive o fechamento do espaço gerado pela entrada dos ritmistas no recuo, apesar dos esforços do segundo casal e da rainha de bateria para ganhar tempo. Por toda a Avenida era explícito o pedido constante de diretores de ala para que houvesse mais compactação dentro das próprias alas.

Samba-enredo

Uma atuação fantástica da ala musical liderada por Daniel Collete e Helber Medeiros. A dupla demonstrou sintonia e defendeu o samba da X-9 Paulistana com muita eficiência, e tornam o quesito mais um para a escola ter segurança em relação ao desfile oficial. Os intérpretes, junto da bateria, podem ser a chave para que a escola corrija os problemas de canto apresentados pela harmonia.

Outros destaques

A bateria “Pulsação Nota Mil” teve boa atuação ao aplicar bossas animadas ao longo do ensaio. Enredos que falam de Nordeste tendem a ter características bem próprias das baterias inspiradas pelos ritmos regionais, e com os ritmistas da X-9 Paulistana não foi diferente.