Depois de quatro carnavais de muito sucesso como primeira porta-bandeira da Unidos do Porto da Pedra, Cintya Santos chega à Mangueira com status de grande estrela e com a responsabilidade de substituir Squel de oito carnavais seguidos pela escola e com a conquista de dois campeonatos. Muito festejada, a dupla com o mestre mestre-sala Matheus Olivério recebeu o nome de ”Casal Furacão”.

Fotos: Lucas Santos/Site CARNAVALESCO

Ao site CARNAVALESCO, Cintya apresenta a dupla como , e promete escrever seu nome nas páginas históricas da verde e rosa. “Responsabilidade grande essa (substituir a Squel). Hoje na Mangueira, é a Cintya Santos, é a Cintya Furacão. E eu vou escrever a minha história na Mangueira. É essa a responsabilidade que eu tenho, estou nascendo de novo, e eu quero que vocês olhem para mim e vejam a Cintya Furacão que será um furacão na Avenida”, promete a artista.

A porta-bandeira se emocionou quando foi apresentada oficialmente à comunidade, tendo até dificuldade de agradecer o carinho por conta das lágrimas que lhe caíam sob o rosto. Cintya fez questão de frisar o tamanho do feito que conquistou em sua carreira chegando ao cargo de primeira porta-bandeira da Estação Primeira de Mangueira.

“O sentimento é de gratidão e realização. Realização profissional, realização do sonho de ser porta-bandeira. E hoje pisar o solo sagrado da maior escola de samba do planeta, porque é do planeta mesmo, eu recebi mensagem do mundo todo, então é gratificante você ver o seu trabalho sendo reconhecido. Estou muito feliz”, completa a porta-bandeira.

Seu mestre-sala, Matheus Olivério, que segue na escola para mais um carnaval, é só elogios à nova parceira de dança. “A Cintya é um ser humano fantástico, tirando isso é uma porta-bandeira competente, absurdamente talentosa, premiada, merece estar aqui, e tenho o privilégio de dançar com ela. Estou muito feliz com a parceria. O Casal Furacão está na pista, para trabalhar, para honrar essa escola”, garante o mestre-sala.

Cintya retribui o elogio à Matheus Olivério falando do que mais lhe impressionou no novo parceiro depois de algumas semanas já de trabalho.

“É o malandreado dele, o riscado é diferenciado. Já estávamos trabalhando para que a gente tivesse o espetáculo (primeira dança na feijoada da Mangueira), e vou falar que estou apaixonada por ele. É um companheiro, é um amigo, é um incentivador. Ele é um mestre-sala que te incentiva o tempo todo. Eu me sinto uma grande porta-bandeira ao lado dele. O Matheus é único”, descreve Cintya.

O mestre-sala Matheus Olivério também fez questão de deixar uma mensagem especial para a antiga parceira de bailado, Squel, que resolveu se aposentar da função este ano por questões particulares.

“É uma decisão dela e a gente tem que respeitar, é um momento difícil que ela está passando, espero que ela esteja melhor, que ela melhore e que ela seja muito feliz na caminhada dela”.

A bailarina Cláudia Mota, responsável também pela comissão de frente da Mangueira, terá a função de coreografar o “Casal Furacão” para o Carnaval 2023.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui