O casal Marcinho e Cris Caldas e a bateria Não Existe Mais Quente foram os grandes destaques do ensaio técnico da Mocidade Independente de Padre Miguel neste domingo no Sambódromo. A Estrela Guia de Padre Miguel foi a segunda a ensaiar na noite que teve três agremiações treinando no retorno dos ensaios ao templo sagrado do samba carioca. A escola precisa estar atenta ao rendimento de sua harmonia.

Comissão de Frente

Saulo Finelon e Jorge Teixeira se encaminham para o quinto trabalho seguido à frente da comissão de frente da Mocidade. A coreografia escolhida para o ensaio foi a que mais causou reação e interatividade com o público na noite de ensaios na Sapucaí. Os movimentos eram bastante rápidos e sincronizados, além dos dançarinos demonstrarem uma interpretação bastante marcada de trechos do samba-enredo.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Marcinho e Cris Caldas mostraram que os 40 pontos obtidos no desfile de 2018 não foram uma mera obra do acaso. A dupla foi a melhor da noite a se apresentar na Marquês de Sapucaí. Eles realizaram uma dança tecnicamente perfeita, mesclando movimentos coreográficos com a dança clássica do casal. A indumentária de Cris chamou a atenção pela saia, que ao girar da porta-bandeira dava um efeito belíssimo na pista.

“O que nos propomos a fazer hoje fizemos e bem. Não podia ser melhor. Estamos muito felizes e gratos. e tem os muita coisa a ajustar até o desfile. Fomos pegos de surpresa com esse ensaio técnico em cima da hora. Ainda estamos na construção da coreografia. Não fizemos coreografia oficial hoje”, disse o mestre-sala.

“O que nós ensaiamos foi o planejado. Ainda vamos mudar algumas coisas até o desfile. A roupa está pronta. Só teremos mais uma prova. É uma roupa que o Louzada nos deixou muito a vontade. Estamos ensaiando bastante”, completou a porta-bandeira.

Harmonia

Quem acompanha os ensaios de comunidade da Mocidade sabe que a agremiação vem cantando forte seu samba-enredo. A escola estava até mantendo esse alto padrão no início do ensaio, mas inexplicavelmente as alas que vieram atrás do carro de som não cantaram como as primeiras, causando um desequilíbrio na harmonia e deixando a análise do quesito apenas regular.

“Esse samba é maravilhoso. É difícil não cantar. Eu fui brincar com o público e vi toda escola, todas as alas cantando, se expressando e algumas até se emocionando. A Mocidade, o público, o componente, eles estão com ânsia de campeonato, estão com secura desse campeonato. Isso é uma coisa muito bonita, porque é um canto que vem de dentro. A escola ainda vai cantar mais. Faltando 20 dias para o carnaval, eu acho que nestas três semanas ainda vamos botar muita gente pra cantar e ainda vai ser muito melhor na Avenida. Também tenho muitos exercícios pra fazer, muita natação, minha fono pra abrir o meu pulmão, e sempre pedir a força a Deus e aos Orixás”, afirmou o intérprete Wander Pires.

Samba-Enredo

Boa apresentação da obra da Mocidade na avenida, embora a execução tenha se dado em um andamento um pouco atrás. É preciso compreender que essa é a característica histórica da bateria da escola, mas talvez se executado um pouco mais na frente possa trazer um resultado ainda melhor. Wander Pires e o carro de som da Mocidade estiveram em uma noite perfeita.

“Foi bom. Eu me preparei para esse momento. O ensaio de hoje foi uma surpresa, mas estamos desde de julho ensaiando. Depois que escolheram nosso hino, ele me ajudou muito também, não posso negar. A escola bateu o martelo no samba certo. Eu comecei a elaborar as bossas e a direção da escola abraçou o andamento da bateria que foi 142, 144 BPM (batidas por minuto). Eu não tinha dúvidas de que seria diferente. Nós estamos vindo desde lá da comunidade com esse mesmo andamento e com a precisão da bossa bem executada. Eu estou muito feliz com o resultado”, explicou mestre Dudu.

Evolução

Quesito onde a Mocidade enfrenta problemas crônicos (perdeu pontos importantes no desfile de 2018) teve um ótimo desempenho esta noite no Sambódromo. A escola se apresentou sem maiores problemas na técnica de desfile e as alas passaram desenvoltas ao estilo da verde e branca de Padre Miguel.

Outros Destaques

A Mocidade foi quem mais teve dificuldades em iniciar o seu ensaio. A demora irritou o vice-presidente Rodrigo Pacheco, que reclamou e depois pediu desculpa pelo desabafo.

De visual novo, Camila Silva passou feito um furacão pela avenida. As paradinhas de mestre Dudu levantaram as arquibancadas. A torcida organizada da Mocidade estava localizada no setor 2 e fez uma bonita festa. A escola não deixou de homenagear os mortos de maneira trágica no CT do Flamengo na sexta-feira. Os componentes estavam com uma tarja preta e uma faixa trazia uma mensagem de luto.

A Mocidade Independente de Padre Miguel encerrará os desfiles de 2019 do Grupo Especial na segunda de carnaval. Alexandre Louzada é o carnavalesco responsável pelo desenvolvimento do enredo ‘Eu sou o Tempo. Tempo é Vida’.

Por Guilherme Ayupp, Eduardo Fonseca, Juliana Cardoso, Lucas Santos e Vinicius Vasconcelos. Fotos: Magaiver Fernandes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui