Coube à Unidos de Vila Isabel a responsabilidade de abrir a noite de ensaios técnicos no Sambódromo para a temporada 2019. E a azul e branca do bairro de Noel não decepcionou o público que se fez presente na Marquês de Sapucaí para acompanhar a volta do programa mais querido por todos os sambistas. A bateria Swingueira de Noel e o canto da comunidade foram os grandes destaques da apresentação da Vila.

“É uma emoção muito grande estar de volta à Vila Isabel. Já foi uma emoção muito grande o primeiro ensaio na 28 de Setembro, é uma emoção maior ainda o ensaio na Sapucaí e tenho certeza que no dia do desfile vai ser uma emoção maior para toda escola e para mim particularmente. Tecnicamente ocorreu tudo bem, as apresentações, os módulos, a cronometragem, enfim, tudo que a gente tinha proposto aconteceu. Agora vamos ver. Carnaval para disputar título a gente tem”, assegurou o diretor de carnaval Wilsinho Alves.

Comissão de Frente

O grupo coreografado por Patrick Carvalho, que volta à escola depois de uma passagem arrebatadora pelo Paraíso do Tuiuti, realizou uma movimentação sincronizada e bastante ágil. O chamado pivô da comissão soltava alguns gritos em partes específicas do samba-enredo, gerando uma interatividade direta com o público. No final da coreografia, havia uma deixa para a apresentação do casal.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Raphael Rodrigues e Denadir Garcia levaram os guardiões também para o ensaio técnico. A porta-bandeira demonstrou que está recuperada do acidente sofrido em um ensaio de rua da agremiação onde torceu o pé. Ela demonstrou perícia e movimentos muito rápidos. Raphael também deslizou pela pista e a apresentação da dupla se deu de maneira tecnicamente perfeita. Enquanto o casal se apresentava, os guardiões se movimentavam em círculo em torno da dupla.

“O ensaio foi muito positivo. Foi uma prévia. Misturamos algo do dia oficial e um pouco de pra poder brincar com o público também. Pois, nem todo mundo que veio hoje, poderá vir no dia do desfile”, disse a porta-bandeira.

Harmonia

Uma bela atuação da harmonia da Vila Isabel na Marquês de Sapucaí. A escola parece estar recuperando o padrão de canto que possuía entre 2011 e 2014, quando era top 3 no Grupo Especial. O destaque vai para as alas iniciais que deixaram excelente impressão na Avenida impulsionando bastante as que vinham atrás, finalizando o ensaio com muita competência.

“O ensaio foi maravilhoso. Tudo o que a gente está fazendo na 28 de setembro realizamos aqui. Um samba alegre, funcional. Acho que hoje muita gente fala de samba bonito, samba bom, samba ruim e esquece que o samba muita das vezes é para o desfile. O samba tem que ser funcional para o desfile. E o samba da Vila da condições de se fazer um grande desfile. Ele tem uma boa melodia, uma boa letra e é alegre. Um samba completo que com certeza vai levar a Vila Isabel para uma boa evolução e um bom desfile”, garantiu o intérprete Tinga, que também falou da volta para Vila.

“A emoção é muito grande, sempre. Fiquei cinco anos na Unidos da Tijuca, tenho um respeito muito grande e fiz o que eu pude. O coração também aperta. Mas aqui é um pouco diferente, é a minha escola do coração, onde tudo começou”.

Samba-Enredo

O samba da Vila Isabel mudou bastante desde a escolha e vem tendo bom rendimento nos ensaios de rua na 28 de Setembro. Na Marquês de Sapucaí manteve o padrão, impulsionado por um excelente entrosamento entre o carro de som comandado por Tinga e a bateria sob a regência de mestre Macaco Branco. O andamento um pouco mais atrás da bateria só ajudou a obra a crescer.

“Achei o ensaio excelente, execução perfeita, afinação do início ao fim, tudo certinho do jeito que a gente planejava. Se Deus quiser vai dar tudo certinho no dia oficial. Isso que foi apresentado na Avenida é quase tudo que vai vir na Avenida, mas terá mais algumas surpresinhas que eu não posso contar agora. É tudo isso e mais um pouquinho. Tem ainda a cerejinha do bolo”, explicou mestre Macaco Branco, que também comentou a estreia na Avenida com a Vila.

“Já deu pra sentir a energia, a família na frisa vibrando, batendo palmas, os amigos torcendo, mandando beijo, chorando. É muito gratificante essa energia recíproca da arquibancada para a bateria Swingueira de Noel”.

Evolução

Alguns aspectos precisam ser melhor observados pela Vila se quiser brigar pelo título do carnaval. As apresentações da comissão e do casal foram longas, o que deixou o início da escola um pouco arrastado no que diz respeito à técnica de desfile. Isso pode ser notado também quando o casal e a comissão se apresentavam nas demais cabines. Outras escolas já foram punidas no quesito por esse excesso de demora. Quando a escola andava as alas estavam desenvoltas e brincando bastante.

Outros Destaques

A grande atração do ensaio técnico, como de hábito, foi a rainha de bateria Sabrina Sato. Ainda no período de resguardo após a maternidade a musa foi ovacionada pelo público e deu certo trabalho à equipe de disciplina da agremiação devido ao assédio dos fotógrafos.

A ala de baianas não economizou no capricho e passou com uma bela roupa, com a camisa do enredo customizada. O diretor de carnaval Wilsinho agradeceu à Liesa o empenho pela realização dos ensaios e fez um inflamado discurso para mexer com os brios dos componentes.

Edson Pereira estava radiante e cantando bastante o samba da escola. Musa da escola, Dandara Oliveira, como sempre, deu um show de samba no pé e amor pela Vila. Bernardo Rossi, prefeito de Petrópolis, participou do ensaio técnico.

A Unidos de Vila Isabel será a segunda escola a desfilar na segunda-feira de carnaval do Grupo Especial com o enredo ‘Em nome do pai, do filho e dos santos – A Vila canta a cidade de Pedro’. O desenvolvimento será do carnavalesco estreante na escola, Edson Pereira.

Por Guilherme Ayupp, Eduardo Fonseca, Danilo Freitas, Juliana Cardoso, Vinicius Vasconcelos e Lucas Santos. Fotos: Allan Duffes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui