O mês de julho começou e vou fazer artigos sobre cada escola de samba do Grupo Especial e essa fase de preparação para os desfiles do ano que vem. A primeira é a Unidos de Padre Miguel. Não escondo que é uma alegria gigantesca ver o Boi Vermelho no Grupo Especial, fato inédito no modelo Liesa. Acredito que 99,9% dos sambistas também aguardavam esse momento. Foi emocionante ver a escola ocupando, enfim, o barracão na Cidade do Samba. Porém, foi feio demais ver o espaço todo destruído.

Foto: João Gabriel/Divulgação Riotur

A Porto da Pedra fez reforma no barracão, que desde 2006 não passava por obras, e teve o custo pago por ela. Assim, ela teria que ser ressarcida? Não houve acordo com a UPM. Deveria? Por que a escola que sobe ainda tem que gastar para trabalhar em um espaço com dignidade e foi conquistado na pista da Sapucaí? A Liesa não tinha que ser a fiscalizadora? Ela que gere o espaço. Apesar da justificativa da escola de São Gonçalo não é aceitável que uma coirmã não trabalhe em parceria com a outra. Por isso, considero que a Liesa deve definir uma regra. Explico. A partir do Carnaval 2025, a escola que cair do grupo só receberá os 10% finais da subvenção da Prefeitura do Rio, quando entregar a chave do barracão e houver uma vistoria por parte da Liga. Será que isso acontece? Espero que sim. Porque, infelizmente, a UPM perdeu muito tempo e teve que gastar para reformar novamente o espaço.

Foto: Eduardo Hollanda/Divulgação Rio Carnaval

Entrando nos quesitos da UPM para 2025 gostei muito da contratação do Alexandre Louzada e mais ainda da manutenção do Lucas Milato. Acredito que possa dar muito certo a experiência de um com a juventude do outro. O relacionamento não é problema. Vejo uma troca bem legal entre eles. O enredo que conta a trajetória da africana Iyá Nassô e do emblemático Terreiro da Casa Branca do Engenho Velho é um acerto. A turma da Vintém adora o afro e sabe fazer como ninguém fazer essa temática na parte plástica. Aliás, acho que o conjunto de fantasias e alegorias da escola será um dos pontos mais fortes da UPM em 2025.

Foto: Eduardo Hollanda/Divulgação Rio Carnaval

Já conhecemos que o Boi Vermelho não teme ninguém. Assim, sem medo do julgamento, a direção da escola foi honrosa em manter o casal de mestre-sala e porta-bandeira, Vinicius e Jéssica, e, decidir sem pestanejar a permanência de mestre Dinho. São pilares da UPM. Sonharam juntos com a escola no Especial, conquistaram na Avenida e merecem viver a realidade do desfile na elite do carnaval carioca. Não é o casal, nem a bateria, que devem mudar. O julgamento que precisa urgentemente avaliar o que acontece na pista, esquecendo de uma vez por todas o pré-conceito, o preconceito e o “peso” da bandeira. É fundamental que a imprensa e demais escolas cobrem isso da Liga e do corpo de julgadores. A nova Liesa tem a obrigação de resolver esse incômodo julgamento antecipado.

Foto: Aline Fonseca/Divulgação Riotur

A UPM sabe que caiu no dia mais disputado do Carnaval 2025. Afinal, o domingo terá além dela, a Imperatriz Leopoldinense (atual vice), a Viradouro (atual campeã) e a Mangueira, a segunda maior vencedora da história do carnaval. É desafiador “enfrentar” essas gigantes. Agora, se tem uma escola que os sambistas sabem que faz carnaval é a UPM. Lá, não tem historinha, a escola pensa grande. Se é difícil competir com as três citadas, pode ser recompensador fazer uma apresentação arrasadora e jogar a batata quente no colo das outras. Acredito que é muito possível sair da Sapucaí, na madrugada de segunda-feira, embasbacado com o que foi apresentado pela UPM. Porém, eu também sei que um erro na pista, como um buraco (bate na madeira), será fatal. Visto o que aconteceu com a Porto da Pedra, que fez um grande desfile, mas o buraco não deixou possibilidade de manutenção no Especial. Para o Boi Vermelho, o desfile tem que ser erro zero e impecável.

Foto: Rafael Catarcione/Divulgação Prefeitura do Rio

A comissão de frente foi reforçada. O coreógrafo Sérgio Lobato traz toda experiência e bons trabalhos. Importante ver também que David Lima, que comandou a comissão por mais de 10 anos, foi nomeado diretor artístico. O carro de som segue sob comando do experiente Bruno Ribas. O cantor, além de seus auxiliares, fizeram um belo trabalho em 2024.

Foto: Eduardo Hollanda/Divulgação Rio Carnaval

Vamos aguardar os sambas concorrentes, ouvir a safra da UPM, a escolha da obra de 2025, e sentir todo o amor da comunidade da Vintém. É óbvio que queremos o desfile, o clima da Avenida, mas acho fundamental desfrutar de todos os momentos da Unidos de Padre Miguel no pré-carnaval 2025. Não deixar de analisar, elogiar quando merecer, criticar quando houver erro, porém, acima de tudo, comemorar que o dia da Vila Vintém chegou e a escola que ensina a amar o samba é uma das 12 agremiações do Grupo Especial do Rio de Janeiro.

Sinope do enredo da Unidos de Padre Miguel para o Carnaval 2025

Carnavalescos da Unidos de Padre Miguel, Alexandre Louzada e Lucas Milato contam sobre parceria rumo ao Carnaval de 2025

Cria sonha e conquista! Emocionada, Dedê Marinho comemora ser a nova rainha de bateria da Unidos de Padre Miguel: ‘sempre foi meu refúgio e minha cura’

Emoção e determinação! Vinicius e Jéssica vão estrear no Grupo Especial pela Unidos de Padre Miguel

Unidos de Padre Miguel anuncia Vânia Reis como coreógrafa do primeiro casal para o Carnaval 2025

Júlio Assis é o novo diretor musical da Unidos de Padre Miguel