InícioSérie OuroVigário Geral faz desfile alegre com show da bateria, mas deixa a...

Vigário Geral faz desfile alegre com show da bateria, mas deixa a desejar na parte plástica

A Acadêmicos de Vigário Geral foi a terceira agremiação a desfilar nesta sexta-feira de carnaval, com enredo “A Fantástica Fábrica da Alegria”. O que se viu pela Sapucaí foi uma abordagem bem leve e divertida do universo infantil. Os destaques do desfile ficaram por conta da bateria Swing Puro de mestre Luygui e do casal de mestre-sala e porta-bandeira Diego Jenkins e Thainá Teixeira, porém a parte plástica da tricolor deixou um pouco a desejar. A escola encerrou sua passagem pela avenida com 53 minutos. * VEJA FOTOS DO DESFILE

Mestre-sala e porta-bandeira

O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Diego Jenkins e Thainá Teixeira, estava com a fantasia intitulada “Vigário Geral, Fonte de Alegria”. Os dois utilizavam uma luxuosa roupa nas cores da escola. A saia dela, inclusive, levava o pavilhão da Vigário. A ideia da vestimenta deles dentro do enredo foi justamente ressaltar a importância da escola como um núcleo fomentador de alegria e orgulho para toda a sua comunidade. A apresentação do casal esbanjou graciosidade, alegria e muita leveza nos movimentos executados em frente aos módulos de julgamento durou cerca de 2’10” em frente ao módulo de julgamento.

LEIA MATÉRIAS ESPECIAIS
* Vigário Geral representa brincadeiras de rua em fantasia com peteca, pião e bolhas de sabão
* Bateria da Vigário Geral representa a infância fantasiada de Chapolin
* Personagens que marcaram gerações no cinema e TV são revividos em alegoria da Vigário Geral
* Componentes da Ala ‘O mundo anda muito sério’ da Vigário Geral levam o nome da ala ao pé da letra

Bateria

Comandada por mestre Luygui, a Swing Puro realizou uma belíssima exibição ao longo da passarela. As bossas foram muito bem executadas, dentre elas um “apagão” durante o trecho: “Ê, guri, o teu mundo é agora. Ê, menino, vem brincar de carnaval”, que impulsionou a escola a cantar junto o refrão principal. A bateria da Vigário veio homenageando o icônico personagem Chapolin Colarado, uma espécie de herói atrapalhado que marcou várias gerações. À frente do naipe de cuícas, vieram dois ritmistas, um tocando xequerê e o outro tocando pratos.

Samba-Enredo

A Vigário Geral trouxe para a avenida de desfiles um samba bastante alegre e animado, conforme pedia o enredo. A obra foi muito bem interpretada por Tem Tem Jr., que veio vestido de rei, e seu time de canto. O carro de som buscou ao longo de toda passarela contagiar os componentes da Vigário. O samba-enredo foi composto em parceria por Junior Fionda, Tem Tem Sampaio, Marcelo Adnet, Marcelinho Santos, Romeu Almeida, Fábio Turko, Orlando Ambrósio, Kelly Grande Rio, Silvana Aleixo e David Rei das Cestas.

Comissão de frente

Coreografada por Anderson Big, a comissão de frente da Vigário é composta por 15 componentes masculinos com o figurino batizado de “Vem Brincar de Carnaval”. O “Sr. Foliwonka”, dono da fantástica fábrica de alegria, e seus 14 funcionários, “Loompaticuns”, divertiram o público enquanto apresentavam a escola. Os funcionários vieram vestidos com uma roupa vermelha e prateada, com cabelos verdes e uma maquiagem facial cor de abóbora. Eles empurravam latões de lixo ao longo da avenida, que continham palavras como “amor”, “felicidade”, “diversão”, “arte”, “traquinagem”…

O Sr. Foliwonka veio a frente do grupo, e estava trajado de sobretudo e cartola bordô, com muito brilho. No início da coreografia, os funcionários retiravam lanternas das latas de lixo. Em certo momento, as tampas das latas eram abertas e podia-se ler o nome da escola: Vigário Geral. Na segunda parte da apresentação, os integrantes retiravas das latas brinquedos infantis como “pipas”, “bichos de pelúcia”, “bolas”, “carrinho”, “aviãozinho”… Ao final da coreografia, parte do grupo se abaixava na frente das latas, enquanto a outra parte levantava bonecos inspirados nos segmentos das escolas, convidando o público da Sapucaí a brincar de carnaval. Ao todo, a comissão de frente levou cerca de 2’30” para concluir sua exibição em frente a cada uma das três cabines de jurados.

Harmonia

A harmonia da Vigário Geral apresentou certa oscilação no canto do samba-enredo, em que os refrões eram cantados com mais vigor e intensidade pelos seus componentes. Especialmente a parte do samba que diz: “Veste a fantasia, Teu herói é ser humano” até “Vem ser criança na minha Vigário Geral”. As alas que mais cantaram durante o desfile da escola foram: a ala 1 “O mundo anda muito sério”, a ala 4 “Funcionários da Fábrica de Alegria” e a ala 9 “O Palhaço o que é, Ladrão de mulher”. Já as alas “O mundo anda muito sério” e “Heroínas Superpoderosas” poderiam ter mostrado um canto mais intenso.

Evolução

A Acadêmicos de Vigário Geral começou o seu desfile com uma evolução correta, aproveitando todos os espaços da avenida Marquês de Sapucaí. O desfile ocorreu sem grandes problemas, fluindo de uma forma espontânea e alegre por toda a pista. Muitas musas desfilaram entre as alas como destaque de chão, o que evitou com que elas pudessem embolar na passarela. A agremiação optou por não realizar o recuo de bateria no segundo box, passando direto rumo à Praça da Apoteose. Uma integrante da ala 9 “O palhaço o que é, Ladrão de mulher” escorregou na pista molhada e infelizmente precisou deixar o desfile.

Fantasias

Foi apresentado um belo e colorido conjunto de fantasias de durante o desfile da agremiação tricolor. Destaque para os figurinos da Ala 5 “Brincadeira de Rua” e da Ala 7 “São Cosme e São Damião”, que eram de fácil leitura e muito bom gosto. Além da fantasia da Ala das Baianas “Fadas e Seres Místicos da Alegria”, toda em dourado e branco, muito bem acabada, e que causou um interessante efeito visual na avenida.

Porém, o restante das fantasias da Vigário não apresentou o mesmo padrão na execução dos figurinos idealizados pelos carnavalescos. As alas “O mundo anda muito sério”, “São Cosme e Damião”, “A turma do sítio” e a bateria “Vigarista Colorado” tiveram problemas com o adereço de cabeça. Alguns componentes perderam o “chapéu” durante o desfile, comprometendo a uniformidade visual da escola.

Alegorias

O carro abre-alas era uma espécie de “Fantástica Fábrica da Alegria”, repleta de cores, brinquedos infantis e engrenagens. A parte frontal da alegoria trazia um boneco de marionete vestido com as cores da escola. Nas laterais do carro, composições representavam os “Ingredientes da Alegria”. E na parte superior, havia um grande ursinho de pelúcia. A segunda alegoria da Vigário foi batizada de “O Circo”, e rende homenagem para uma das formas artísticas mais antigas da humanidade.

Artistas circenses das mais diversas especialidades (da equipe do Circo Palhaço Topetão) vieram no carro, interagindo com o público e distribuindo guloseimas. No entanto, algumas composições desfilaram com calçado normal. A alegoria trouxe ainda a velha guarda nas suas laterais. Por fim, o terceiro carro “A Felicidade que vem das páginas e das telas” simbolizou os heróis e personagens que ganham vida nos livros, filmes e jogos. No alto da alegoria, havia uma escultura do personagem Wood, do filme Buzz Lightyear.

Enredo

O enredo da Vigário Geral foi inspirado na obra de Roald Dahl, “A Fantástica Fábrica de Chocolate”, sendo desenvolvido pelo trio de carnavalescos Alexandre Costa, Lino Sales e Marcus do Val. “A Fantástica Fábrica da Alegria” teve como fio condutor do desfile o garoto Samir, que vagueia buscando os divertimentos naturais da infância para driblar as dores da vida real. Assim como no livro de Roald (que depois virou filme), o menino de Vigário Geral encontra um bilhete premiado que lhe dá acesso a tal Fábrica da Alegria, onde ele pode brincar e viver momentos de felicidade.

A partir de então, a escola passou a recordar de clássicos brinquedos e brincadeiras que fizeram parte da infância de muita gente. Em seguida, o universo circense entrou em cena na avenida, trazendo toda a magia presente nos picadeiros. Em outro momento do desfile, a Vigário fez alusão aos personagens de filmes, livros, desenhos e jogos que fazem a cabeça da garotada de hoje em dia, cada vez mais conectada. Ao final da jornada, o menino Samir chega à avenida Marquês de Sapucaí para brincar o carnaval.

Outros Destaques

Égili Oliveira veio como a “Rainha da Alegria”, que com todo seu vigor, desenvoltura e samba no pé representou a fonte principal de energia da fábrica de alegria. Sua fantasia era extremamente colorida dos pés à cabeça, simbolizando a união das cores e energias em prol da felicidade. A atriz e professora de afro-samba arrancou aplausos por onde passava ao exibir toda a potência de seu samba no pé.

O quarto casal de mestre-sala e porta-bandeira, Josias Araujo e Sophia Canuto, levantou o público que assistia ao desfile da Vigário Geral. A dupla veio vestida de “Soldadinho de Chumbo e Bailarina de Papel”, em referência ao conto de Hans Christian Andersen. Na concentração, a agremiação tricolor esquentou com a música do “Balão Mágico”.

- ads-

Torrão amado quer o décimo título! Diretor deseja que Salgueiro encerre uma das noites de desfiles no Carnaval 2025

Após retornar ao desfile das campeãs em 2024 com o quarto lugar conquistado, o Salgueiro já se prepara para o Carnaval de 2025. Um...

Unidos de Padre Miguel preparada para brilhar e abrir os desfiles do Grupo Especial no Carnaval 2025

A Unidos de Padre Miguel venceu a Série Ouro do Carnaval 2024 do Rio de Janeiro e estará de volta ao Grupo Especial (já...