InícioGrupo EspecialVereador propõe Projeto de Lei para criação de renda mínima emergencial para...

Vereador propõe Projeto de Lei para criação de renda mínima emergencial para os profissionais do carnaval

Vereador Vitor Hugo (MDB), recém eleito e sambista, propôs a criação da renda mínima emergencial, no valor de um salário mínimo, para os profissionais do carnaval

Os profissionais da cadeia produtiva do carnaval sofrem com o avanço da pandemia e os mais de 365 dias de abandono por parte do poder público. Aderecistas, costureiras, ferreiros, pintores, carnavalescos, cantores, mestre de bateria, casais de mestre-sala e porta-bandeira, passistas e demais produtores do Maior Espetáculo da Terra não conseguiram até hoje um auxílio concreto para suportarem o cancelamento dos desfiles, eventos e dos trabalhos nos barracões. Agora, a novidade é que o vereador Vitor Hugo (MDB), recém eleito e sambista, propôs um Projeto de Lei para criação da renda mínima emergencial, no valor de um salário mínimo, para os profissionais do carnaval.

Ao site CARNAVALESCO, o vereador que também é compositor de samba-enredo na Imperatriz Leopoldinense explicou como funcionaria essa renda mínima.

“A proposta trata-se de um auxílio emergencial para todos os profissionais que trabalham diretamente com o carnaval, enquanto durarem os efeitos do estado de calamidade no município. Entendo que o trabalho de produção do carnaval dura o ano inteiro, assim sendo, com o cancelamento do evento, como esses profissionais estão suprindo suas necessidades? Foi esse questionamento que me motivou a criar esse projeto. Ele engloba todos os trabalhadores que comprovarem o vínculo com as atividades específicas de produção do carnaval”, disse.

O vereador afirmou que o Projeto de Lei caminhará com todos os trâmites da casa. “Estou articulando com a casa para encontrar meio de acelerar o processo”, garantiu. De acordo com o regimento, a proposta passará pelas comissões de Justiça e Redação, Administração e Assuntos Ligados ao Servidor Público, Higiene Saúde Pública e Bem-Estar Social, Trabalho e Emprego, Turismo e Finanças Orçamento e Fiscalização Financeira.

“Sou compositor da Imperatriz Leopoldinense, conheço de perto a realidade dos trabalhadores do carnaval. Tenho um grande grupo de colaboradores trabalhando nesse sentido. E, claro, estamos com o gabinete aberto para o recebimento de propostas para criação de de eventos com regras sanitárias e que fomentem a indústria das escolas de samba ainda nesse período de pandemia”.

Segundo o vereador Vitor Hugo, após a pandemia, a ideia é trabalhar todas demandas do carnaval na Câmara.

“Podemos propor audiências públicas e provocar um debate que leve o executivo a entender a realidade desse setor, e colaborar para encontrarmos, juntos, uma solução”.

- ads-

Salgueiro oferece curso gratuito sobre Imposto de Renda para Pessoa Física

O Projeto Salgueiro Social, do GRES Acadêmicos do Salgueiro, em parceria com o Centro Universário Internacional Signorelli, dá início neste mês de abril a...

Leia a sinopse do enredo da Portela sobre Milton Nascimento para o Carnaval 2025

Cantar será buscar o caminho que vai dar no Sol Uma homenagem a Milton Nascimento “Só quem toma um sonho Como sua forma de viver Pode desvendar o...

Três novos enredistas se juntam à equipe da Beija-Flor de Nilópolis para o Carnaval de 2025

A Beija-Flor de Nilópolis anuncia a chegada de três novos talentos que formam a equipe de enredistas para o Carnaval de 2025. Bianca Behrenda,...