InícioSão PauloUnidos de Vila Maria demonstra evolução em determinados quesitos e bateria se...

Unidos de Vila Maria demonstra evolução em determinados quesitos e bateria se destaca mesmo com chuva

Por Matheus Mattos. Fotos: Felipe Araújo

Segunda agremiação do especial a realizar o seu ensaio, a Unidos de Vila Maria mostrou que evoluiu em alguns pontos desde o último ensaio técnico, principalmente no quesito de evolução. Graciosidade do casal e desempenho mais cautelo da bateria foram notados na noite.

Comissão de Frente

A ala optou por trazer o quadripé oficial, que impressiona pela grandiosidade. Porém apenas a forma foi apresentada, provocando uma curiosidade nos sambistas que só podem ver a estética original no desfile. A performance e o entrosamento dos bailarinos mostram não ser uma preocupação, desempenho no qual foi satisfatório.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O casal oficial, Éverson e Laís, veio fantasiado. As cores, lilás e verde, proporcionaram um belo visual para a dupla. A chuva prejudicou a Lais, que sentiu o peso da fantasia no final. Os dois mantém uma característica muito forte de simpatia e entrosamento com a arquibancada, a porta-bandeira por sua vez interage diretamente com a plateia que a assiste.

Harmonia

O quesito foi um ponto que houve melhoras, porém isso se restringiu no segundo e quarto setor, parte onde os componentes mais cantaram e reagiram com empolgação. Houve uma clara queda nos demais setores, com a correção, a escola tem tudo para alcançar a nota máxima.

Evolução

A Unidos de Vila Maria mantém boa organização entre as alas, porém o terceiro setor da escola estava um pouco desorganizado, com componentes perdidos. A falha foi concertada nos setores seguintes, e por isso mostrou que erro foi um detalhe de desatenção. No trecho “VIVA A NAÇÃO PERUANA”, os componentes movimentam os braços, onde toda escola fazia. Andar constante e boa separação entre as alas também puderam ser notadas.

Bateria

A Bateria Cadência da Villa, comandada pelo mestre Moleza, não economizou nas bossas enquanto esteve na pista, mas no recuo valorizou o canto e a sustentação da escola. É visível o domínio que o mestre tem sob seus ritmistas, e a confiança transparece no rosto. Um destaque foi a coreografia na virada de 3, retomada da bossa, que causou muita empolgação nos ritmistas e diretores. A bossa do final do segundo refrão, no momento em que entra no refrão de cabeça, animou os integrantes todas as vezes que realizada. A chuva atrapalhou a afinação dos surdos de marcação, adversidade que não prejudicou o desempenho.

Samba-enredo

Como dito nas últimas crônicas, o samba proporciona um sentimento positivo para a comunidade, onde os componentes cantam felizes. O intérprete Wander Pires optou por vir em cima do carro de som, ao lado do time de cordas.

- ads-

Império Serrano anuncia que Darlin não é mais rainha de bateria da escola

O Império Serrano anunciou nesta sexta-feira que Darlin Ferrattry não segue cono rainha de bateria para o Carnaval 2025. Veja o comunicado da escola. "A...

Carnavalescos da Grande Rio promovem visita mediada em exposição neste sábado

Neste sábado, 02 de março, às 14h, acontecerá uma visita mediada pela exposição "Laroyê, Grande Rio!", em exibição no Museu de Arte do Rio,...

União da Ilha anuncia saída do casal de mestre-sala e porta-bandeira

A União da Ilha anunciou nesta sexta-feira a saída do casal de mestre-sala e porta-bandeira, Thiaguinho e Amanda. A dupla recebeu o prêmio "Estrela...