InícioGrupo EspecialTia Glorinha do Salgueiro brilha na avenida fantasiada de 'flor da abolição'

Tia Glorinha do Salgueiro brilha na avenida fantasiada de ‘flor da abolição’

Carregando os ramos das camélias do Leblon, as baianas do Salgueiro entraram brilhantemente na avenida. As flores que são cultivadas no Quilombo, antigas terras do comerciante José Seixas, foram vendidas a fim de angariar lucros para a causa abolicionista.

Representando as “Camélias do Leblon”, a fantasia da ala das baianas tem um significado de muita importância, pois é o orgulho de suas origens e a liberdade conquistada pelos escravizados. Na frente da ala, a Tia Glorinha representava “Camélia, a flor da Abolição”, ela trouxe o símbolo da luta pela libertação dos escravos.

Em uma entrevista muito especial dada para o site CARNAVALESCO, a responsável pela ala das baianas do Salgueiro contou o que achou do figurino e a importância dele na temática afro: “A fantasia está de acordo com o enredo, quando vi o protótipo fiquei conferindo se estava bom ou não. Procurei ajustar tudo para que tivéssemos uma evolução maravilhosa na avenida. Com esse enredo e a nossa roupa, lembrei o tempo que eu era menina e recordei todas essas coisas”.

Desfilando há 9 anos na ala das baianas do Salgueiro, a dona de casa Dina, de 77 anos, exaltou o quão satisfeita está com o enredo da escola. “O nosso figurino está impecável, consegui evoluir e sei que foi tudo bem pensado pela nossa presidente da ala. Esse enredo não é a resistência do Salgueiro, e sim de toda a nossa luta e também a minha como mulher negra”.

A ala das baianas por muitas vezes são compostas pelas senhoras que possuem mais idade, só que na do Salgueiro foi misturado o velho e o novo. Pela primeira vez desfilando na ala das baianas, a advogada Luana Peixoto, de 35 anos, relata como foi essa experiência.

“É incrível estar nessa ala, pois além disso é meu primeiro desfile também. É uma energia muito boa e sei que o Salgueiro veio para brigar pelo título. Estou muito honrada e grata de estar aqui e ano que vem estarei de volta novamente”.

Essa tradicional ala costuma ganhar bastante prêmios e Tia Glorinha expõe sua opinião sobre essas premiações: “Eu sou muito mãezona, tenho carinho e carisma por todos. Acredito que ser responsável pela ala influencia nisso, mas pego muito no pé na questão de ensaios, pois temos obrigação de ensaiar sempre. Claro que tem algumas exceções e tudo bem. A premiação é importante porque ganhamos mais reconhecimento e por isso que a ala das baianas costuma ganhar prêmios, pelo jeito que brilhamos na avenida e de tudo que acontece antes do desfile também”.

- ads-

Sinopse da Beija-Flor de Nilópolis para o Carnaval 2025

Enredo: “LAÍLA DE TODOS OS SANTOS, LAÍLA DE TODOS OS SAMBAS” INTRODUÇÃO / JUSTIFICATIVA "Veje bem", A importância do Laíla para o Samba e o Carnaval é...

Cícero e Lara comentam enredo da UPM para o Carnaval 2025: ‘Foi amor à primeira vista’

Cícero Costa e Lara Mara, pai e filha, são diretores de carnaval da Unidos de Padre Miguel. A escola, em preparação para o Carnaval...

Fazendo jus ao nome escola de samba, Tarcísio Zanon encontra receita para os enredos da Viradouro

Tarcísio Zanon, carnavalesco da Viradouro desde 2020, conversou com o site CARNAVALESCO e revelou o que esperar da Vermelho e Branco de Niterói para...