A gestão de Pedro Silva à frente da Superliga Carnavalesca do Brasil vem rendendo bons frutos, não somente nos avanços que a entidade que organiza os desfiles das Séries Prata, Bronze e grupo de Avaliação tem mostrado com eventos, até então inéditos para as 81 escolas que integram a instituição, mas também na construção de parcerias institucionais e corporativas.

Foto: Divulgação

A convite da organização da 66ª Feria de Cali, evento que acontece desde 1950, o gestor está na cidade colombiana para conhecer o festival que é o evento cultural mais importante da região e reúne, anualmente, milhares de pessoas ao longo dos 5 dias de realização. É uma celebração da identidade cultural da região, famosa pela maratona de salsa, pelos desfiles a cavalo e pelas festas dançantes.

“Está sendo uma troca de experiências necessária, construtiva, educadora. A música e a dança também são fortes elementos dentro da cultura e arte colombiana, assim como são no Brasil, e a salsa, sem dúvida é ponto de referência em comparação ao samba não apenas no aspecto cultural, mas também social, pois é um ritmo popular inserido em todas as camadas da sociedade colombiana, principalmente em suas comunidades carentes”.

Segunda maior cidade negra da América Latina, Cali é conhecida como a capital mundial da salsa. O local onde acontecem as apresentações chama-se “salsódromo”, por onde passam cerca de 200 mil pessoas por noite. Segundo Pedro, toda a construção do evento, é muito similar ao Carnaval da Intendente Magalhães, principalmente por conta da atmosfera popular.

“A chegada da Superliga à Colômbia a convite da Secretaria de Cultura de Santiago de Cali, com o apoio da RioTur, promove uma conexão entre as culturas de Brasil e Colômbia, exaltando a força da arte latino-americana e, esta conexão entre as duas festas, chama à semelhança a infraestrutra, público e principalmente impacto e comportamento social. Sem dúvida voltaremos ao Rio de Janeiro com ótimas lembranças na bagagem, deixando também um pouquinho da nossa arte e vivência, concretizando essa feliz união entre nossos povo através da arte”, diz Pedro.

Além do gestor, integram também a comitiva brasileira, Patrícia Ramos e Tati Rosa, representando o carnaval carioca através da Riotur, e Kaxitu Campos, presidente da Federação Nacional do Samba (Fenasamba).