InícioSão PauloSPRitmo: Projeto reúne os maiores músicos paulistanos e mantém intuito de referência...

SPRitmo: Projeto reúne os maiores músicos paulistanos e mantém intuito de referência para os jovens

Por Matheus Mattos

Visando a valorização do samba nacional, um grupo de amigos resolveu criar o projeto “SP Ritmo”. Anualmente realizam gravações de clipes musicais, sempre misturado com ritmo percussivo. Um dos idealizadores, Dennys Silva, garante que a intenção sempre foi mostrar um lado pouco visto dentro da música.

“A nossa intenção é exatamente de dar a referência para essa galera que está chegando agora, ensinar o respeito que tem ter, fazer o certo. Passar a ideia de que a música não é uma competição, é um ambiente pra unir a galera. ”,
afirma.

O mestre Robson Zoinho, também idealizador, acrescenta: “A gente sabe que não dá para unir todo mundo, mas tem muita gente em São Paulo que trabalha com percussão, que é músico, percussionista, então tínhamos que tomar essa iniciativa”.

Caminhando para a sua 3° edição, o projeto traz grandes nomes do carnaval e do samba paulistano. O clip postado recentemente contou com a presença dos mestres: Zoinho, Sombra, Tadeu, Moleza, Neninho, Guma, Acerola de Angola, Beto, Klemen Gioz, Vitor Velloso, Marcel Bonfim e outros nomes importantes, como: Oswaldinho da Cuíca, Paulinho Sampagode, Fabiano Sorriso, Talita Badia, Wellington Cezar, Caffé, etc.

O último trabalho foi separado em quatro partes. O primeiro vídeo é uma grande homenagem à velha-guarda do samba, eles gravaram um pequeno clip onde tocavam diferentes naipes e encerravam com uma declaração de cada personalidade. A segunda parte é uma espécie de mistura da música popular com a música erudita, onde tiveram a participação de músicos da UNESP. O clip musical apareceu na terceira parte, eles gravaram a música “Meu Dom”, composta pelo Paulinho Sampagode com diferentes arranjos musicais. O cantor Nego Branco ficou encarregado de dar voz à canção. O vídeo tradicional e carro chefe do SP Ritmo encerrou o material, trazendo diferentes bossas e arranjos com cada naipe separado.

O músico Dennys Silva revela que já está pensando na próxima edição e diz também que o SPRitmo cresceu mais do que imaginava.

“O projeto já ganhou muita notoriedade, conseguimos vários patrocinadores. Temos um projeto muito ambicioso pra 2019, mas precisamos ter cautela pra trabalhar, por isso não estamos divulgando ainda. É claro que o projeto está indo pra um outro lado, a galera procura pra shows, viagens, workshops e tudo mais. Mas o pessoal sabe que isso tudo não deixa de ser uma reunião de amigos”, conclui.

Responsável pela criação dos arranjos, junto ao Zoinho e Dennys, o Mestre Fernando Neninho diz que as criações são criadas do nada e revela também que o processo de ensinar o breque foi fácil por só contar com músicos no time:

“Sempre que posso contribuir com algum arranjo eu me coloco à disposição. Minhas criações são repentinas, costumo dizer e comparar com a do compositor. Quando vem a inspiração de algum arranjo geralmente tenho uma boa memória, procuro finalizar e mandar pra algum amigo ou diretor. Como tem muito ritmistas e músicos de alta patente, a demora não faz parte do nosso vocabulário. A pilha é tão grande que a firma vai lá com o psicológico preparado pra não dar mole. Dennys e o Zoinho gravam os arranjos antes e
manda pra geral também, fica muito mais fácil”.

Estreante no projeto, o Mestre Vitor Velloso conta como foi feito o convite e destaca felicidade.

“O convite foi feito em uma mesa na hora do almoço no dia que estávamos gravado a faixa da Imperador do Ipiranga para o CD oficial do carnaval. Fiquei muito feliz com o convite , o projeto é tão forte que não é qualquer um que entra, é uma parada entre amigos, não é pra qualquer um. É algo tão forte que agradeço o Dennys e ao Zoinho até hoje”.

Antes do processo da gravação, Vitor destaca uma situação engraçada que passou.

“Eu não falei isso pra ninguém, mas os caras esqueceram de mandar os vídeos dos arranjos, foi até engraçado” (risos). “Eu cheguei no Klemen e perguntei sobre os vídeos, ai eles viram que tinham me esquecido. Os caras tiveram que me passar de última hora, eu fui numa salinha e peguei por cima, mas acabei pegando de última hora. A gravação foi muio rápida, a velocidade da galera é muito grande, os caras são bons de verdade, é um absurdo”.

Primeiro ano como responsável pela captação de imagem e som, o Guilherme Cruz conta que a edição foi complicada e exaustiva.

“O Dennys e o Zoinho viram o estilo de trabalho e curtiram, então a partir disso eles me convidaram. Eu faço a pré-produção e a pós-produção, tudo sozinho. Já imaginava que seria algo bem trabalhoso, mas quando cheguei era bem maior do que eu imaginava. Tinha quatro câmeras pra eu manusear sozinho, descarregar os arquivos porque eram bem pesados, a questão da iluminação e tentar não perder nada, captar a essência do projeto né, que é a alegria, e deu tudo certo”.

Além de trabalhar com edição de vídeo, o Guilherme também é intérprete da Mocidade Unida da Mooca, agremiação do Grupo de Acesso de São Paulo.

“É um projeto de sambista para sambista né. Eu sou um sambista, a produção foi feita por sambistas, então a gente consegue captar e aguçar ainda mais a vontade do espectador que assiste. A parte da velha-guarda foi bem difícil pra gravar mas foi bem emocionante, tínhamos decidido de não cortar nada, a galera tem muita história”.

Homenagem à Velha-Guarda do samba atingiu 170 mil pessoas

Buscando manter a ideologia de apresentar boas referências para os músicos iniciantes do segmento, o Dennys e o Zoinho resolveram homenagear os mestres e grandes ritmistas da época de 80/90. A ideia era de registrar essas personalidades tocando, se tornando então o único vídeo que reuniu todos os responsáveis por gravar as faixas das escolas de samba
de antigamente.

Filho do Mestre Neno, um dos grandes sambistas paulistanos presente no projeto, o Fernando Neninho expõe que chorou ao assistir seu pai gravar.

“Graças a Deus, eu vivi tudo isso quando era menor, desde molequinho ele me carregava
em suas gravações, no qual no anos 80 e 90 ele dominava fazendo arranjos para escola
dele e para as co-irmãs. A felicidade se completa quando o SPritmo faz o convite e o
mundo inteiro assiste o coroa desenrolado é uma parada muito louca, até porque na época não tinha registro. Até chorei ao rever ele gravando”.

- ads-

Vinicius Pessanha e Jack Pessanha seguem como casal da Acadêmicos de Niterói

A dupla Vinicius Pessanha e Jack Pessanha seguirá defendendo o primeiro pavilhão da Acadêmicos de Niterói no carnaval de 2025. Depois de estrearem na...

Estandarte de Ouro celebra os destaques do carnaval com show de Dudu Nobre

O Prêmio Estandarte de Ouro está de volta para sua 52ª edição, em evento aberto ao público. Realizada pelos jornais O Globo e Extra,...

Laíla é escolhido para ser homenageado no enredo da Beija-Flor para o Carnaval 2025

Luiz Fernando Ribeiro do Carmo, o Laíla, um dos maiores sambistas da história, falecido em 2021, foi escolhido pela Beija-Flor de Nilópolis para ser...