InícioSão PauloSete escolas com quatro campeãs recentes agitam sábado de carnaval em São...

Sete escolas com quatro campeãs recentes agitam sábado de carnaval em São Paulo

Milênio, Tucuruvi, Mancha, Império, Mocidade, Águia e Dragões fecham o Grupo Especial

Depois da estreia na sexta-feira, chegou o grande sábado de carnaval no Sambódromo do Anhembi, sete escolas, sendo quatro campeãs recentes casos de Águia, Mocidade, Império e Mancha Verde, atual campeã. Tem a estreante Milênio no Grupo Especial, Tucuruvi e Dragões também no dia. Às 20h30, o primeiro evento é o Afoxé Filhos da Coroa de Dadá, para depois às 22h30 iniciar oficialmente os desfiles, pelo menos seguindo o cronograma oficial e a última escola está programada para entrar às 5 horas da manhã.

Vamos trazer um giro nas sete escolas do primeiro dia de Grupo do Especial com enredo, curiosidades e mais detalhes para 2023:

Terceiro Milênio – 22h30

Estreante no Grupo Especial de São Paulo, a jovem escola do Grajaú, no extremo da Zona Sul de São Paulo, é a grande novidade. Chega com moral, campeã do Grupo de Acesso I e com um samba marcante. Para 2023 mudou o estilo e buscou um enredo sobre o riso: “Me dê sua tristeza que transformo em alegria! Um tributo à arte de fazer rir”. O carnavalesco Murilo Lobo nos contou em visita ao barracão.

“A gente terminou o carnaval e ficou se perguntando qual enredo faria depois de um desfile consagrador como foi a homenagem às mulheres, se pensou qual caminho a gente faria. Para isso eu fiz olhar os enredos da própria escola e quem é essa comunidade, mas eu contei ao presidente um fato que durante o processo da pandemia e o processo emocional, o que me tirava desse estado ruim, era o humor através dos programas streamings. Eu buscava coisas para manter o meu estado de espírito. E aí eu percebi que o humor, o samba e o carnaval têm uma linha muito próxima, porque todos nos fazem felizes e dar risada, mas também colocam o dedo na ferida”.

A Milênio é jovem, de 1998, mas não é tida como uma escola que chega somente para ficar no Grupo Especial. Quer buscar algo mais logo em sua chegada, e trará referências do humor brasileiro em suas alegorias e desfiles em geral.

Fundação: 1998
Escola Madrinha: Rosas de Ouro
Participações no Grupo Especial: Nenhuma, no Acesso foram 5 vezes
Melhor resultado: Campeão do Grupo Acesso I em 2022
Títulos: Terceira divisão (2014), Quarta divisão (2013) e Sexta divisão (2010)
Último ano: Campeão do Grupo de Acesso I em 2022

Acadêmicos do Tucuruvi – 23h35

Com mais um enredo de homenagem, porém com o dedo na ferida, afinal será “Da Silva, Bezerra. A Voz do Povo!”, contando a história de Bezerra da Silva, e ‘da Silva’, junto com Yago Silva, Dione Leite forma a dupla de carnavalescos da Tucuruvi, e contou um pouco sobre o enredo para 2023.

“Foi quando começou a vir a ideia do enredo, de atrelar a história do povo com a história do Bezerra da Silva. Fomos para a pesquisa sem saber para onde íamos, mas sabíamos que tínhamos que pesquisar. Descobrimos que existem milhares de defesas de TCC, de mestrados, documentos escritos por pessoas falando da vida de Bezerra da Silva. É quase que acadêmico, porque é muito material acadêmico sobre a história dele, e começamos a descobrir que tinham outros caminhos para se falar de Bezerra, e que quanto mais entrávamos na história de Bezerra, que não era só discografia, mas também os discursos dele, descobrimos o quanto Bezerra era parte do todo do povo, por isso que ele era considerado “porta-voz do povo”, e o quanto o povo era parte de toda a história profissional e pessoal da vida dele. Não tinha como não ser. Falar do povo através de Bezerra, porquê Bezerra é o povo”.

A Tucuruvi, assim como a Tatuapé, não teve sorteio e nem escolha de data, horário, é a segunda escola no sábado devido a sua colocação em 2022. Com um samba focado mais na malandragem, associa a Bezerra da Silva.

Fundação: 1976
Melhor resultado: Vice-campeão do Grupo Especial em 2011
Títulos: Segunda divisão (1986), Terceira Divisão (1980) e Quarta Divisão (1978)Último ano: 11ª colocado no Grupo Especial

Mancha Verde – 00h40

Bicampeã do carnaval, e atual campeã, a Mancha Verde aposta em um enredo para o lado nordestino, com o carnavalesco André Machado terá: “Oxente – Sou Xaxado, Sou Nordeste, Sou Brasil”. Antes de sua chegada, a escola já tinha anunciado o enredo para 2023, e o artista explicou sobre o que o tema vai abordar neste ano em sua estreia na escola de samba oriunda da torcida do Palmeiras.

“O enredo surgiu antes de eu chegar na Mancha Verde, tanto é que anunciaram no desfile das campeãs. Eu pensei que não pudesse ter o caminho e liberdade por ter já escolhido, mas graças a Deus o Paulo Serdan me deu liberdade para fazer a pesquisa e seguir o caminho que seria legal na minha visão. Eu apresentei o projeto, ele gostou e foi muito bacana. A gente pegou a ideia do ritmo do xaxado e desenvolveu em quatro partes, que são os quatro carros alegóricos”.

Vivendo sua melhor fase, campeão em 2019 e 2022, ainda foi vice em 2020. Ou seja, está no seu auge desde o retorno do Acesso, campeão em 2016. Quer manter a pegada, mesmo com a saída do patrocinador, a escola diz que vai mostrar sua força neste ano.

Fundação: 1995
Melhor resultado: Campeão do Grupo Especial em 2019
Títulos: Primeira Divisão (2019 e 2022), Segunda Divisão (2014 e 2016), Terceira divisão (2002), Quarta divisão (2001), Blocos Especiais (1997 e 1998) e Grupo Especial de Escolas Desportivas (2006 e 2007)
Último ano: Campeão do Grupo Especial

Império de Casa Verde – 01h45

Um dos sambas mais elogiados nas pesquisas do povo, a Império de Casa Verde quer retomar o caminho da vitória, ficou empatado com a campeã Mancha em pontos e perdeu o título no desempate. Para 2023, o carnavalesco Leandro Barboza assumiu o projeto individualmente e trouxe o enredo: “Império dos Tambores – Um Brasil Afro-Musical”, e o enredista Tiago Freitas contou um pouco sobre o que irá abordar na avenida.

“A gente começa com a comissão de frente trabalhando na questão da ancestralidade feminina. É um enredo que trabalha muito na feminilidade de uma forma bem transversal, mas o nosso foco é falar da musicalidade”.

A escola abordou um pouco isso nos ensaios com uma voz feminina que entra durante o samba, e a bateria fez sua apresentação. O Império venceu o bicampeonato em 2005 e 2006, depois voltou a levantar a taça em 2016. É uma agremiação que trabalha forte nas questões de alegorias e busca o caminho da glória.

Fundação: 1994
Melhor resultado: 3 vezes campeão do Grupo Especial
Títulos: Segunda Divisão (2011), Quarta divisão (1997), Quinta divisão (1996) e Sexta divisão (1995)
Último ano: 3ª colocado no Grupo Especial

Mocidade Alegre – 02h50

A maior campeã no Grupo Especial em 2023, já que outras estão no Grupo de Acesso I, não vence o título desde 2014, mas sempre brigando, levou três vices durante o ciclo. Neste ano, trouxe o jovem Jorge Silveira para comandar e com um enredo diferente do que vinha apresentando, é “Yasuke”, e o carnavalesco explicou.

“O Yasuke apareceu para mim como uma possibilidade há mais ou menos dois anos, apresentado pelo Ricardo, que era meu assistente na época. Ele me apresentou o personagem, que eu não conhecia. Imediatamente, quando ele me mostrou, eu falei que achava ser um tema com um potencial enorme para o Carnaval. Comecei a me debruçar sobre o assunto, buscar referências, bibliografia. Achei muito conteúdo na internet, muito material. Existem vários vídeos que falam sobre a história dele. Embora ele seja desconhecido no Ocidente, no Oriente ele é cultuado como um herói, então existe muito material farto sobre ele. A partir daí, comecei a aprofundar a pesquisa e criar uma linha narrativa que pudesse contar a saga do Yasuke. É assim que ele aparece para mim, como a sugestão de um amigo”.

A Morada do Samba, como é conhecida, é uma das escolas mais tradicionais no Grupo Especial, assim como já citado, a maior campeã no grupo neste momento. Mantém uma grande regularidade desde que subiu em 1970, está na elite e quase sempre brigando pelo desfile das campeãs.

Fundação: 1967
Melhor resultado: 10 títulos do Grupo Especial
Títulos: Primeira Divisão (1971, 1972, 1973, 1980, 2004, 2007, 2009, 2012, 2013, 2014), Segunda Divisão (1970) e Bloco Especial (1969)
Último ano: Vice-campeão do Grupo Especial

Águia de Ouro – 03h55

A tradicional escola da Pompeia viveu seu auge em 2020, quando conquistou seu primeiro título na história. Buscando mais uma conquista, a agremiação da Zona Oeste tem como enredo: “Um Pedaço do Céu”, e o carnavalesco Sidnei França contou sobre a construção de um enredo que começou devido a um patrocínio.

“Esse enredo se chama ‘Um pedaço do Céu’, é uma criação minha, porém uma criação que surgiu depois da agremiação ser procurada pela Sodiê Doces, quando acabou o carnaval de 2022. A escola foi procurada pela marca, que faziam uma pesquisa de mercado, pois queriam popularizar a marca e achavam que escola de samba teria uma densidade cultural e ao mesmo tempo associada a questão da população de baixa renda, até pela característica do samba e carnaval, por ter sido criado e mantido pelo povo. Então fomos procurados pela Sodiê para desenvolver um carnaval que tivesse a linguagem da marca, falar sobre a questão lúdica, de uma vida açucarada, não no trocadilho, mas no sentido de uma vida feliz, suave, livre”.

Apesar do título, veio a pandemia e a escola não conseguiu aproveitar tanto, também não teve carnaval no ano seguinte em 2021. Quando teve, em 2022, a escola não conseguiu voltar para o desfile das campeãs, apesar de ter ficado perto. Neste ano quer trazer o sentimento

Fundação: 1976
Melhor resultado: Campeão do Grupo Especial em 2020
Títulos: Primeira Divisão (2020) e Segunda divisão (1998, 2009, 2018)Último ano: 6ª colocado do Grupo Especial

Dragões da Real – 05h00

Desde que subiu em 2011 e estreou na elite em 2012, é uma das escolas com maior regularidade no Grupo Especial, apenas em quatro ocasiões não voltou para o desfile das campeãs, uma delas em 2022 devido a um problema com a porta-bandeira. Mas ficou para trás e em 2023 vai fazer uma homenagem: “Paraíso Paraibano – João Pessoa, a porta do sol das Américas”. Multicampeão do carnaval paulista, Jorge Freitas assumiu o projeto e contou sobre o enredo.

“Como já diz o enredo, os primeiros raios de sol das Américas aparecem em João Pessoa. Às 4h30 e 5h da manhã já é dia e aquele sol irradiante. Nada melhor do que a gente ser a última escola do carnaval paulistano encerrando o desfile com um enredo sobre esse amanhecer. O nosso protagonista da história é o sol. A cidade de João Pessoa é homenageada por ser conhecida como o extremo oriental das Américas”.

A Dragões sonha com seu primeiro título, e teve dois vice-campeonatos em 2017 e 2019, sendo o primeiro vice com um enredo nordestino. Repete a dose, mas no CEP, e fecha o Grupo Especial do carnaval paulista neste ano de 2023.

Fundação: 2000
Melhor resultado: Vice-campeã do Grupo Especial em 2017 e 2019
Títulos: Segunda Divisão (2011), Terceira divisão (2004), Quarta divisão (2003) e Quinta divisão (2001)
Último ano: 7ª colocado no Grupo Especial

- ads-

Opinião: Chegou a vez dele! Gabriel David mexeu no jogo do carnaval, plantou novidades e colheu frutos para o futuro

A semana do feriadão de São Jorge marca também uma nova era na Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), através da eleição presidencial,...

Mangueira lança enredo para o Carnaval 2025 na quinta-feira e começa campanha de divulgação

A Estação Primeira de Mangueira está nas vésperas de revelar seu enredo para o Carnaval 2025. Para isso, ao longo desta semana está divulgando...

Mauro Quintaes estreia ‘Quintas Com Quintaes’ na TV Alerj

Fazendo parte das comemorações de seus 20 anos de fundação, a TV Alerj através de seu diretor geral, Luciano Silva, traz para a sua...