Trazendo a fantasia “A crença no Espírito Santo”, as baianas da Mangueira desfilaram pela Sapucaí fazendo uma referência a ligação de Alcione, a grande homenageada da verde e rosa, com sua mãe e com as práticas religiosas e populares do Maranhão. A representação mais popular da terceira pessoa da Trindade, a forma de uma pomba branca, foi um dos destaques da fantasia, que estava em tons de branco e dourado, para exaltar o Divino. Além do símbolo na saia das mães do samba da Mangueira, haviam detalhes que remetiam aos raios normalmente encontrados na representação do Espírito Santo aqui no Brasil, conforme explicou a escola. Além disso Mayra Aleta, de trinta e nove anos gostou muito do figurino deste ano, ressaltando a leveza: “Absolutamente espetacular, representa nossa alma, nossa alma de guerreira e eu acho que é isso que a gente vem com esse espírito de brilhar muito na avenida e ela tá leve pra gente brincar e fazer um belíssimo carnaval”. A baiana, que está na Verde e Rosa desde 2017, gostou muito da saia deste ano: “Definitivamente meu destaque foi essa saia branca e dourada que eu achei um arraso”.

Silvinha Poderosa, baiana da escola há dezesseis anos, se maravilhou com a fantasia, ressaltando o significado da mesma: “Não tá pesada, pelo menos pra mim. Tá bem confortável e, assim, nós somos o divino Espírito Santo e o divino Espírito Santo ajuda a gente em tudo, tudo nessa vida”. Moradora de Petrópolis, a baiana de cinquenta e dois anos gostou muito da fantasia ter vindo bem completa e leve: “Amei a fantasia toda. Eu acho que ela tá completa, tá lindíssima, maravilhosa. Falar de Mangueira, meu amor, meu coração é Verde e Rosa. Então, assim, eu acho que o amor maior nem deixa a fantasia pesar”.

“Olha, ela está lindíssima, eu achei que a gente fosse ter algum problema porque ela tem muitos acessórios, mas não, está linda e está suportável, está muito linda, acho que a Mangueira tem tudo para ganhar um dez na ala de baianas”, se divertiu Nina Amaceto, de sessenta e quatro anos, que há cinco desfila como baiana na escola. Ela gostou muito da relação da fantasia com o sagrado: “Eu gostei daqui, tem umas pombas. Elas representam o Espírito Santo, e aí vem com mais umas pombas aqui, que eu achei assim Divino mesmo”.