Entrando outubro, mês em que as escolas no geral já iniciam as gravações dos sambas para o álbum oficial da Série Ouro, a Acadêmicos de Vigário Geral, já com samba pronto, tomava uma importante decisão e realizava a troca do enredo. Oportunidade em vista de poder colocar um carnaval na rua com mais recursos e poder fazer frente às equilibradas disputas que existem na segunda divisão do carnaval carioca. Indo para o seu quarto ano consecutivo no principal grupo de acesso da folia do Rio de Janeiro e consequentemente na Marquês de Sapucaí desde a volta em 2020, a Vigário tem se mantido sem grandes destaques em termos de resultado. Foram dois décimos lugares e um décimo primeiro. Normal para uma agremiação de grande comunidade mas que ainda está desenvolvendo melhor a sua estrutura. Mas, para 2024, a aposta vem na manutenção do que deu certo como mestre Luygui e os carnavalescos Marcus do Val, Alexandre Costa e Lino Sales e em novos contratados como o diretor Flávio Azevedo e o jovem talento vindo do carnaval capixaba Danilo Cezar, que já brilhou no último desfile pela Acadêmicos de Niterói. Sobre sua chegada na Tricolor da Zona Norte, Danilo ressaltou o carinho com que foi recebido e o espanto com o tamanho do chão da escola.

Fotos: Lucas Santos/CARNAVALESCO

“Foi maravilhoso. A família Vigário é gigante, não tinha noção do tamanho do acolhimento, é uma escola com um chão muito grande, não tinha noção desse tamanho da Vigário. Quando cheguei na Praça do Catolé, desde o primeiro contato, com a presidente Betinha que é uma mãezona, desde toda a diretoria, o mestre Luygui, é uma escola muito quente. Me acolheu muito bem graças a Deus, e tento retribuir todo o dia o amor, o carinho para cada um. Em relação a desenvolver o trabalho ainda morando no Espírito Santo, inicialmente a tecnologia ajuda muito neste processo, mas às sextas-feiras vão ser os ensaios de rua da Vigário no Parque Madureira, e eu vou estar presente em tudo que eu puder e não puder também”, promete o artista.

Com o enredo “Maracanaú: Bem-vindos ao Maior São João do Planeta”, a Vigário trouxe um samba alegre e festeiro, com muito da cultura nordestina, principalmente na sonoridade. O samba escolhido e desenvolvido através do processo de encomenda tem como autores Tem-Tem Jr, Júnior Fionda, Marcelinho Santos, Jefferson Oliveira, Silvana Aleixo, Rafael Ribeiro, Edu Casa Leme, Sérgio, Valtinho Botafogo, Romeu D’ Malandro e Marcus Lopes. Danilo falou sobre a expectativa por um alto rendimento da obra.

“O samba é bem diferente daquele que eu cantei ano passado( na Acadêmicos de Niterói), é um samba alegre, um samba com peso, mas leveza ao mesmo tempo, fácil assimilação, com certeza os desfilantes vão cantar junto. Cada parte do samba é bem feita, é uma obra que não fica cansativa, é uma composição que tem partes muito fortes e com certeza a Sapucaí vai cantar, a Vigário vai cantar, e a gente vai para as cabeças “, acredita o intérprete.

Encomenda de samba gerou duas obras

Neste processo de trabalho para o carnaval 2024, a Vigário, como trocou o enredo já um pouco em cima do calendário, já tinha uma obra pronta para o tema anterior. Mas, segundo a presidente da escola, Betinha, a segunda composição feita pelo mesmo time de compositores acabou gerando um resultado até melhor.

“Nós mudamos o enredo, já tínhamos um samba pronto, tivemos que fazer outro. E nós precisávamos de trocar, porque precisávamos tocar o nosso barracão, a subvenção não saiu e a gente precisava de dinheiro. Então, os seguimentos toparam e a gente caiu para dentro. Foi tudo na correria. Acho que esse samba ficou até melhor que o feito para o outro enredo”, garante a mandatária.

O diretor de carnaval Flávio Azevedo explicou que o processo de encomenda facilitou muito a vida da escola até pela confiança e conhecimento que a agremiação tem em relação aos compositores.

“Facilita porque a gente trabalha com grandes parceiros, Fionda, Tem Tem, são parceiros da escola há muito tempo, conhecem o DNA da agremiação, as entranhas de Vigário Geral, então eles conseguem dar o verdadeiro swing, o verdadeiro molho junto com mestre Luygui, Danilo, vamos levar um grande samba para a Sapucaí “, assegura o diretor.

Mestre Luygui foi outro que confirmou a eficiência do processo de confecção da obra, garantindo que apesar do tempo curto a bateria pode participar bastante do processo, o que facilitou um melhor entendimento com a obra.

O processo do samba não demorou muito, apesar de a gente ter dois sambas por causa da mudança do enredo, mas o processo foi bem rápido. Os compositores trabalharam bem rápido, por isso ficou fácil de trabalhar. A todo momento a gente sempre estava em contato com eles, com o Danilo. Eu e ele a gente se fala praticamente todo dia, porque no meu entendimento a bateria e o carro de som tem que ter uma conexão, tem que ter uma vibe boa para o trabalho poder fluir perfeitamente. Graças a Deus a gente tem uma conexão muito boa, a gente construiu uma família na Vigário”, revela o comandante dos ritmistas de Vigário Geral.

Para a presidente Betinha, o desafio é conseguir encontrar vagas para a comunidade desfilar já que Vigário Geral possuiu um grande contingente de interessados em cruzar a Sapucaí com a escola, uma agremiação de chão muito relevante.

“Agora já estamos no terceiro ano na Sapucaí, a escola está mais acostumada, e fica gente me xingando ainda( risos) porque eu não posso botar mais gente que o nosso contingente planejado porque senão vai estourar o tempo. Eu penso nisso também e a comunidade é grande. Graças a Deus as alas já estão todas fechadas”, explica a dirigente.

Swing Puro vai trazer um pouco do Nordeste

Com um enredo que tem São João no nome não pode faltar uma pitada nordestina. Comandando a Swing Puro desde 2020, mestre Luygui como citado acima já desenvolveu uma relação familiar com a escola. Jovem talento do carnaval carioca, o mestre já está cada vez mais à vontade com o desafio de guiar os ritmistas pela Sapucaí. Em 2023, a bateria tomou apenas um 9,9, descartado conseguindo garantir os 30 pontos. Luygui promete um trabalho bastante especial para 2024, que já vai ser sentido na gravação realizada no M&C Studios em Marechal Hermes.

“A gente já iniciou os ensaios de rua da escola. Acho que a galera vai curtir bastante o que a gente preparou para o carnaval de 2024, o samba é muito legal, fiz algumas coisas que virou marca da Swing Puro, a gente está com umas nossas bem legais e vocês podem esperar uma bateria com pegada, com bom andamento, é um andamento que o samba proporcionou para a gente e isso é muito importante, a gente tem que respeitar o samba, o que ele pede de andamento, a sua métrica. Estamos muito focados para entregar um grande trabalho, um grande espetáculo”.

Sobre os ensaios, o diretor de carnaval Flávio Azevedo lembra que a escola já está na rua e revela que o trabalho de barracão está fluindo bem apesar das mudanças acarretadas pela troca de enredo.

“A gente já começou os nossos trabalhos de ensaio, na rua inclusive, a bateria já estava ensaiando frequentemente, assim como ala de passistas, comissão de frente, casais. Agora o trabalho é no Parque de Madureira. Em termos de barracão e ateliê a escola está andando, até porque o ateliê a gente já trabalha desde agosto, houve a mudança de enredo e a gente só fez as alterações necessárias que tinham para fazer, e aí tivemos que trocar desenho, trocar protótipos, mas foi coisa bem rápida, os carnavalescos lideram muito bem com essa troca. E no barracão já começamos a todo vapor , já temos dois carros bem adiantados, acredito que até o final de dezembro estaremos como nosso carnaval bem encaminhado”, projeta o diretor.

Em 2024, em seu quarto carnaval seguido no principal grupo de acesso do carnaval carioca, a Vigário Geral será a terceira escola de sexta-feira, primeira noite de desfiles da Série Ouro.