InícioSérie OuroSão ClementeSão Clemente celebrou a obra de Zé Katimba e levou a velha-guarda...

São Clemente celebrou a obra de Zé Katimba e levou a velha-guarda da Imperatriz para a Avenida em uma linda homenagem ao pavilhão

A trajetória artística e as premiações de Zé Katimba como compositor da Imperatriz Leopoldinense foram representadas no segundo carro da escola

A São Clemente celebrou a vida e a obra do compositor Zé Katimba com o enredo “Que grande destino reservaram para você” do carnavalesco Bruno de Oliveira. Reverenciar Zé Katimba é cantar as raízes desse Brasil, refletindo sua essência na mistura das raças e das cores, enaltecendo todos os compositores de samba-enredo, os verdadeiros poetas que entrelaçam com sua arte a musicalidade do Carnaval.

A trajetória artística e as premiações de Zé Katimba como compositor da Imperatriz Leopoldinense foram representadas no segundo carro da escola “Ramos minha raiz” que levou a velha-guarda da Imperatriz. Em entrevista concedida ao site CARNAVALESCO alguns componentes expressaram a emoção dessa homenagem e a importância de Zé Katimba para a escola.

“Muita emoção, estou emocionadíssima em passar em um carro homenageando o Zé Katimba. Sou da velha-guarda da Imperatriz há uns cinco anos, mas eu sou da escola faz tempo, eu já perdi as contas”, comentou Tereza Maria de 74 anos .

As composições de Zé Katimba ultrapassam fronteiras, alcançando uma diversidade de intérpretes e consolidando sua influência no cenário musical brasileiro. O título do enredo desse ano da São Clemente foi retirado de um grande sucesso, “Martim Cererê”, que em 1972 elevou a visibilidade de Zé Katimba a ponto de torná-lo personagem na novela “Bandeira 2,” escrita por Dias Gomes e exibida pela Rede Globo.

Vânia Maria de 69 anos, é da velha-guarda da Imperatriz e completa 52 anos com a escola nesse carnaval, ela contou a emoção de desfilar no carro que homenageou a trajetória de Zé Katimba na sua escola e também revelou a sua emoção com o enredo já que seu primeiro desfile foi com o Martim Cererê: “Eu acho o enredo perfeito, porque eu acho que a gente tem que homenagear as pessoas em vida, e o Zé Katimba tem tudo a ver com o Carnaval, ele realmente merecia ter um enredo para ele, e nós virmos no carro é maravilhoso, porque nós acompanhamos a trajetória do Zé Katimba, o pessoal da velha-guarda, ou pelo menos as pessoas que estão na escola há muito tempo, como nós, acompanhamos a trajetória do Zé, por isso é tão emocionante. Nesse Carnaval eu faço 52 anos de Imperatriz, e o meu primeiro desfile foi o Martim Cererê, então eu estou emocionadíssima, assim, você perguntou qual é o samba do Katimba que eu mais gosto, eu gosto muito de um samba Brasil de todos os deuses, um samba lindíssimo, mas esse Martim Cererê foi meu primeiro desfile, está no sangue, é maravilhoso.”

“É um fato muito importante estar nesse carro e a homenagem que eles fizeram para o Zé Katimba é uma homenagem justa, porque ele merece. Ele é muito merecedor disso tudo. Eu tenho 56 anos de Imperatriz e sou porta-bandeira da velha-guarda e coração está a mil”, contou Roseli Neto de 63 anos.

- ads-

Grande Rio deseja vir segunda ou terça de carnaval para buscar segundo título

Após um desfile de muitas inovações, principalmente, em relação ao uso da luz do Sambódromo, a Grande Rio se prepara para 2025, com grandes...

Expectativa da Mangueira para o Carnaval 2025 é recuperar lugar de destaque e encerrar os desfiles na terça-feira

Após terminar o Carnaval 2024 em sétimo lugar e ficar de fora do sábado das campeãs, a expectativa é que em 2025 a Mangueira...

Mocidade apresenta novidades na boutique: camisetas dos orixás e boneco temático do Castorzinho

Após o sucesso do lançamento da camiseta em homenagem ao São Jorge, a Estrela Guia de Padre Miguel apresentou novidades para seus torcedores e...