InícioEspecialSambistas participam do evento 'Africanidades: um ensino antirracista'

Sambistas participam do evento ‘Africanidades: um ensino antirracista’

Entre os dias 10 e 19 de maio, das 9h às 10h30min, a Escola Municipal Francisco Jobim realiza uma série de debates online, transmitidos pelos perfis do facebook do Museu do Samba e da Revista Fórum, buscando ressignificar a data de 13 de maio. O evento tem o objetivo de valorizar o papel da ancestralidade africana na luta antirracista, refletindo sobre estratégias de difusão e aplicação da Lei 10.639, de 2003, que determina a inclusão de história e cultura africanas nos currículos. “Africanidades: um Ensino Antirracista” é realizado em parceria com Museu do Samba, Laboratório de História Oral e Imagem da Universidade Federal Fluminense (Labhoi/UFF), Revista Fórum e Vila Cultural, e com apoio dos projetos Negro Muro, Leão Etíope e Podcast Atlântico Negro.

Sambistas estão entre os destaques das atividades. As mesas contarão com a participação do cantor Xande de Pilares, do compositor portelense Wanderley Monteiro e homenagem in memoriam ao também compositor Diego Tavares, professor da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, autor de obras em escolas de samba como Salgueiro e Viradouro. Militante da causa antirracista, Diego foi uma das vítimas da Covid-19 no ano de 2020. Além de Diego Tavares, será homenageada a escritora e professora Conceição Evaristo, um dos grandes nomes da literatura brasileira na atualidade.

Com a palavra de músicos, esportistas, escritores e pesquisadores ligados às escolas de samba, o evento buscará aprofundar os debates acerca das influências dos saberes de África para o povo brasileiro, trazendo novas visões sobre o assunto. Nomes como a jornalista Flávia Oliveira, o antropólogo Vinicius Natal e a idealizadora do Museu do Samba, Nilcemar Nogueira, irão debater temas importantes sobre políticas de ensino antirracista com outros diversos nomes ligados à educação e à cultura brasileira.

O evento começará dia 5 de maio, com três dias seguidos de vídeo-aulas de professores negros ligados ao Podcast Atlântico Negro acerca das questões e aplicabilidades da Lei 10.639, funcionando como um curso de formação continuada para docentes. No dia 10, iniciará um ciclo de debates que serão transmitidos pela Revista Fórum.

Homenagens e pintura complementam as atividades

Como forma de celebrar os destaques da luta antirracista na educação básica, as instituições envolvidas no evento criaram a comenda Antonieta de Barros. Trata-se de uma homenagem à professora e educadora popular, que foi a primeira mulher negra eleita parlamentar no Brasil em 1934, sendo a responsável pela criação do Dia do Professor, e que tem uma história de defesa da mulher negra. O intuito é premiar anualmente professores da rede municipal de ensino do Rio de Janeiro que tenham como práticas pedagógicas a luta antirracista. O dia escolhido para a premiação foi o 13 de maio, como forma de ressignificar a data.

A primeira homenagem será concedida à escritora, ex-professora da SME-RJ, Conceição Evaristo, como forma de iniciar um processo de reconhecimento de mestres que atuam no desenvolvimento de uma educação antirracista. Em seguida, será condecorado in memoriam o professor da SME-RJ, Diego Tavares Cordeiro, autor de sambas enredo da Viradouro e Salgueiro, tendo sido grande militante da implementação da Lei 10.639 na rede pública de ensino. Docente atuante, Diego fomentou práticas de aplicabilidade fundamental da Lei.

Além dos debates e das condecorações, haverá uma pintura realizada por artistas ligados ao projeto Negro Muro, de Pedro Rajão e Fernando Sawaya. A obra será uma homenagem a Antonieta de Barros e a Fábio Luz – que foi morador do Méier, militante da educação e criador da Universidade Popular de Ensino Livre do Brasil, tendo como objetivo a alfabetização e escolarização da classe trabalhadora. Ambos são referências na educação e na luta pelo povo preto, e serão homenageados em forma de arte e eternizados no muro da Escola Municipal Francisco Jobim.

A Escola Municipal Francisco Jobim está localizada na Rua Adriano, 310 – Méier, Rio de Janeiro – RJ, 20735-060, Zona Norte do Rio de Janeiro. A unidade atende mais de 500 alunos do segundo segmento (de 6° ao 9° ano), o Projeto Carioca de aceleração e os PEJA – Programa de Educação de Jovens e Adultos. A Equipe gestora da UE é formada por Elizabeth Alves Rodrigues, Ygor Lioi e Marcelle Borges.

Serviço:
Transmissão: Facebook do Museu do Samba e Facebook da Revista Fórum
Datas: 10\05 até 19\05
Horário: 9h às 10h30min

Composição das mesas:
Mesa 1 – 10\05\2021 – Cérebros, mãos e pés na construção de uma nação: o negro e seu papel fundante no Brasil.
Mediação: Carlos Eduardo Coutinho
Participantes: Mônica Lima, Hebe Mattos, Vinícius Natal, Caroline Guedes e Caio Sérgio.

Mesa 2 – 11\05\2021 – Podcast do Atlântico negro: produção de conteúdo e mídias pelos intelectuais negros.
Mediação: Nathalia Sarro
Participantes: Equipe do podcast.

Mesa 3 – 12\05\2021 – Esporte, musicalidade e literatura: uma herança africana
Mediação: João Gustavo Melo
Participantes:WG, Jessé Andarilho, Wanderley Monteiro, Xande de Pilares, MC Viajante Lírico.

Mesa 4 – 13\05\2021 – Subúrbio preto: quilombos, narrativas, identidade, existências
Mediação: Philippe Valentim
Participação: Rodrigo França, Luiz Antônio Simas, Neliana Silva, Martha Abreu, Rudson Martins e Pedro Rajão.

Mesa 5 – 14\05\2021 – Literatura preta e intelectuais negros: uma luta antirracista
Mediação: Vanessa Daya
Participação: Eduarda Ferreira e Helena Ferreira, do projeto Pretinhas Leitoras, Ellen Ferreira, Otávio Junior, Mônica Sacramento.

Mesa 6 – 17\05\2021- Representatividade social: protagonismos negres
Mediação: Ronald Sorriso
Participação: Jorge Freire, Edson Santos, Benedita da Silva, Jota Marques, Tainá de Paula.

Mesa 7 – 18\05\2021 – O audiovisual preto: lutas e a produção de negres dos subúrbios
Mediação: Leo Barros
Participação: Jorge Santana, Carmen Luz, Clementino Junior, Rossandra Leone, Anderson Quack.

Mesa 8 – 19\05\2021 – Mulheres pretas, ancestralidade e matriarcado: a força feminina.
Mediação:Leidiane Macambira
Participação: Nilcemar Nogueira, Flávia Oliveira, Joana Oscar, Joyce Trindade e Renata Souza

Visita mediada – 20\05\2021 – Tour virtual pela exposição “Semba/Samba: Corpos e Atravessamentos”, do Museu do Samba.

- ads-

Jackson Carvalho, Marcelinho Emoção e Fabão Rodrigues assumem Comissão de Harmonia no Arranco

Para o Carnaval 2025, o Arranco contará com uma Comissão de Harmonia formada por Jackson Carvalho, Marcelinho Emoção e Fabão Rodrigues. Jackson Carvalho começou sua...

Vizinha Faladeira será homenageada com conjunto de Medalhas de Mérito Pedro Ernesto

No próximo dia 23 de abril, a histórica Associação Recreativa Escola de Samba Vizinha Faladeira, uma das pioneiras no cenário do carnaval carioca, terá...

Jorge Silveira exalta preparação da Mocidade Alegre para ganhar duas categorias no Estrela do Carnaval: ‘São Paulo cada vez mais competitivo’

Em 2024, a Mocidade Alegre foi bicampeã do Grupo Especial do carnaval de São Paulo, conseguindo unir beleza e facilidade de leitura para tratar...