“Firma ponto, eu quero ver, vai ter batuquejê/ Chama o povo do samba e samborê”. Os primeiros versos do samba da União de Jacarepaguá já trazem um pouco do enredo “Manuel Congo e Marianna Crioula, os Heróis do Vale do Café” que está sendo desenvolvido pelos carnavalescos Lucas Lopes e Rodrigo Meiners. A escola está de volta à Sapucaí depois de um longo período desfilando na Estrada Intendente Magalhães. O mestre de bateria Marcus Vinícius, em entrevista CARNAVALESCO, durante a gravação oficial da escola do samba para a Série Ouro falou um pouco sobre a emoção do retorno e o que preparou para a gravação. A União de Jacarepaguá vai abrir a segunda noite de desfiles da Série Ouro em 2023. A Liga-RJ lança os sambas para o Carnaval 2023, no dia 10 de dezembro, novamente, com o mini-desfile na Cidade do Samba.

“Felicidade resume. Foram oito anos de muita luta para que a gente pudesse viver esse momento que estamos vivendo hoje, o retorno à Marquês de Sapucaí. Eu coloquei duas bossas só na gravação, até porque a gravação é para a gente conseguir divulgar melhor o samba da escola. Nós preenchemos alguns espaços para abrilhantar ainda mais essa obra maravilhosa”, explicou Marcus.

O diretor musical da União de Jacarepaguá, James Bernardes, explicou que a Verde e Branca tomou algumas providências para a melhor preparação para a gravação oficial.

“O mestre de bateria preparou duas bossas para a gravação, a gente vai ter as congas, as tumbadoras para fazer aquela pegada afro. A gente vai tentar dar uma cara afro mesmo para a gravação, para mostrar um pouquinho da cultura do Vale do Café, jongo, capoeira, maculelê vai estar todo inserido nesta gravação. A bateria fez três ensaios para a gravação, fizemos reunião, fizemos uma gravação prévia da escola para se preparar para a gravação oficial”, revela James Bernardes.

O intérprete Luiz Paulo Júnior, estreante na Sapucaí, na União de Jacarepaguá desde 2020, explicou um pouco de como se organizou para o momento de colocar a voz oficial no samba.

“A preparação que eu faço geralmente é o aquecimento vocal antes, tenho acompanhamento do Chico Donadoni, que é um profissional que acompanha uma galera boa do carnaval, e no caso da gravação do samba no estúdio é um misto de emoção, é técnica e eu acho que, se não me engano, é a parte mais difícil do carnaval”, acredita Luiz.

O samba é de autoria dos compositores Valtinho Botafogo, Victor Rangel, João do Gelo, Temtem Jr., Marcelino Santos, Cláudio Matos, Diego Nicolau, Douglas Ribeiro, Phabbio Salvatt e Thiago Bahiano. O intérprete Luiz Paulo Júnior comentou sobre as possibilidades que podem ser trabalhadas na obra, vencedora na disputa da agremiação.

“A melodia do samba é bem trabalhada, remete a ancestralidade, ao povo preto que é o foco principal do nosso enredo, e traz uma força para impulsionar a comunidade para ela cantar junto com a gente na Sapucaí”.

Ainda com a gravação sendo produzida, a escola já deu início a sua preparação para o próximo carnaval. Mestre Marcus Vinicius comentou sobre os ensaios e prometeu um grande carnaval da Verde e Branca da Zona Oeste.

“Os ensaios, a ansiedade toma conta, porque falta pouco, a cada compromisso oficial como esse da gravação a adrenalina dispara. A expectativa é que a gente possa fazer um excelente trabalho para conseguir trazer as notas que a escola precisa para que a gente possa ficar em uma ótima colocação. Não tenham dúvidas que a União de Jacarepaguá fará o maior carnaval da sua história em 2023. Nossos ensaios acontecem às quartas-feiras sempre às oito da noite na nossa quadra. Aproveito para convidar os que queiram desfilar com a gente, é só comparecer aos ensaios”.

Veja mais fotos da gravação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui