InícioGrupo EspecialPúblico se encanta com a alegria do retorno à Sapucaí após dois...

Público se encanta com a alegria do retorno à Sapucaí após dois anos de pandemia

Dos desfiles de 2022, entrevistados apontam Grande Rio como a favorita e elegem a São Clemente como destaque negativo da festa

Depois de mais de dois anos de pandemia, o carnaval das escolas de samba enfim retornou à Marquês de Sapucaí. Na manhã de domingo, depois da passagem da Unidos de Vila Isabel, a derradeira das 12 escolas, se encerrou os desfiles do Grupo Especial do Rio de Janeiro. Motivados pela saudade da festa, os componentes das escolas de samba e o público irradiaram alegria pela Sapucaí. Em entrevista ao site CARNAVALESCO, após a passagem da homenagem da escola do bairro de Noel ao seu baluarte Martinho da Vila, o público presente no sambódromo apontou essa alegria como a imagem do carnaval de 2022. Dos desfiles, os entrevistados, em sua maioria, apontaram a Acadêmicos do Grande Rio, com sua apresentação em homenagem ao orixá Exu, como principal favorita a conquistar seu primeiro campeonato do Grupo Especial. Já de destaque negativo, a São Clemente foi a mais citada pelas pessoas como candidata a retornar à Série Ouro.

O jovem Matheus Ferreira, morador da Zona Oeste do Rio de Janeiro, presente pela primeira vez na Marquês de Sapucaí, se mostrou encantado com a alegria do povo no retorno ao Sambódromo. Das escolas, aponta Grande Rio e Tijuca como as favoritas, apesar de torcer pelo campeonato da sua escola do coração, a Beija-Flor de Nilópolis.

“O que eu mais gostei nos desfiles desse ano foi o retorno, poder estar novamente na avenida. Essa foi minha primeira vez na Sapucaí, nunca tinha vindo e vim na quinta, na Série Ouro para acompanhar a Santa Cruz, que era a escola que eu mais queria ver e hoje, o mais legal foi ver essa alegria. E o que menos gostei não foi nem a organização em si, mas o que fica de chato é o que as escolas enfrentam, todos os perrengues que ninguém vê, as pessoas só veem na avenida, mas o que se passa com as escolas, os destaques, os componentes, ninguém presta atenção. Hoje, no setor 1, eu pude ver tudo, ver como é o corre-corre de cada um deles”, disse.

“Eu ainda não assisti a Beija Flor porque eu dormi, mas espero que seja a campeã. Mas, pelo o que eu vi hoje, Tijuca e Grande Rio estão brigando bem. A Mocidade tinha tudo, mas perdeu um pouquinho na harmonia e na evolução”, completou.

Já o funcionário público Joaquim Felizardo, que acompanhou os desfiles pela frisa, não teve dúvidas ao apontar o desfile da Grande Rio como o melhor das duas noites do Grupo Especial. De negativo, ressaltou o mau desenvolvimento, para ele, do enredo da São Clemente, em homenagem ao ator Paulo Gustavo.

“A escola que eu mais gostei foi a Grande Rio e a que eu menos gostei foi a São Clemente. Apesar de o tema ter sido bastante interessante, acho que a escola da Zona Sul foi mal, poderia ter sido melhor, ter aproveitado mais coisas do Paulo Gustavo, foi mal colocado. A imagem que mais me impactou foi o retorno da alegria, ver a Sapucaí cantando alegre depois de tudo que nós passamos. Emoção muito grande”, comentou.

A médica Wanda Cardoso, que também acompanhou o maior espetáculo da terra na Marquês de Sapucaí. Sem conseguir apontar o desfile que mais gostou, Wanda ressalta a alegria presente na festa, além de elogiar as belas alegorias desenvolvidas pelas escolas neste ano.

“Eu gostei de muitas coisas, mas o destaque pra mim foram as alegorias, os abre-alas, principalmente, estavam sensacionais. Todas as escolas estavam lindíssimas, as cores incríveis, tudo maravilhoso. O que eu menos gostei foi que acabou. Depois de dois anos sem nada, acabou muito rápido. A imagem do carnaval foi essa alegria, essa força, essa mistura, todo mundo sambando junto e curtindo”, afirmou.

Já os irmãos Guedes, Thales e Taíssa, além de acompanhar os desfiles da arquibancada, também desfilaram, como ritmistas. Sem titubear, apontaram a Grande Rio como favorita ao título, após as escolas de Caxias “finalmente acertar”. Mas, como muito pesar, apontaram o desfile da São Clemente com o pior dos dois dias.

“O que a gente mais gostou, dos dois dias, foi o desfile da Grande Rio. Animou a arquibancada, foi bonito ver que, finalmente, a Grande Rio acertou. Todo mundo sempre espera da Grande Rio e ela bate na trave. Aí, fica aquela expectativa ‘Será que vai bater na trave de novo?’ e acontecer um problema no meio da escola, como sempre acontece na Grande Rio. Mas, conseguiu passar linda a arquibancada gritando o samba, até o final. Acho que foi incrível. De negativo, a São Clemente . É muito triste falar isso mas, foi a piorzinha mesmo. Desde o início, não empolgou. Essa mudança de enredo foi péssima para eles”, disseram.

“Como foliã de carnaval, foi um alívio conseguir voltar e como ritmista e desfilante, foi ‘acabou’. Foram dois anos de muito trabalho e a gente conseguiu entregar para todos, quatro dias de festa perfeitos”, completou Taíssa.

Ritmista da Unidos de Vila Isabel, o corretor de imóveis, de 34 anos, aponta quatro escolas como favoritas: Mocidade, Vila, Grande Rio e Tijuca. Como imagem do carnaval, o carioca fica com a Comissão de Frente da Mangueira e suas “trocas de roupa”. De destaque negativo, Gustavo foi mais um a apontar a São Clemente.

“Os que eu mais gostei foram Grande Rio, Mocidade, Vila Isabel, que eu desfilei e Tijuca. Para mim, essas foram as melhores. O que eu menos gostei foi a São Clemente. As outras escolas eu curti bastante, todos os sambas muito bons e eu não gosto muito do samba da São Clemente e também não gostei muito do que aconteceu aqui na pista. A imagem do carnaval deste ano é difícil de escolher porque foram tantas coisas bonitas. Mas, acho que a imagem do carnaval, pra mim, foi a comissão de frente da Mangueira. Para mim, aquela comissão foi a imagem do carnaval. Quando se fala no carnaval de 2022, eu tenho essa imagem, daquela troca de roupa incrível”, afirmou.

Outro a apontar a Grande Rio como a favorita ao título foi o folião Mario Jorge. Além da tricolor de Duque de Caxias, Mário também teceu elogios à Vila Isabel e à Portela, escola em que desfilou.

“A Grande Rio me surpreendeu positivamente. A Vila, eu adorei, estava bem a cara do Matinho, bem divertida, bem bonita, estava opulenta, eu acredito. A Portela, mesmo com todos os problemas que teve com o carro, me surpreendeu, há muito anos eu não via a Portela desse jeito, em questão de carro, de fantasia, de concentração, que foi bem tranquila. O que eu menos gostei foi a São Clemente. A imagem do carnaval, pra mim, será o último carro da Grande Rio, foi o que me chamou mais atenção”, comentou Mário.

Por fim, a mangueirense Nilda Ribeiro elogiou todos os desfiles, de maneira geral. Porém, apesar de gostar de todos, elegeu a sua Estação Primeira de Mangueira como favorita a conquistar o campeonato.

“Achei tudo de bom, todas as escolas fizeram muito bonito esse ano. Não tem nada que eu não tenha gostado, gostei de absolutamente tudo nesse carnaval. O carnaval foi nota 10. Mas, se tiver que apontar uma escola para ser campeã é a Mangueira”, disse.

- ads-

Unidos da Tijuca renova com mestre Casagrande

A Unidos da Tijuca anunciou a renovação com mestre Casagrande para o desfile do ano que vem. Ele segue no comando da bateria "Pura...

Nícolas Gonçalves acerta com Tucuruvi para fazer parceria com dupla de artistas da escola

Além da renovação de Dione Leite e Yago Duarte, o Tucuruvi anunciou a chegada do carnavalesco Nícolas Gonçalves que estará na parceria com a...

Tucuruvi anuncia renovação de carnavalescos para o desfile de 2025

O Tucuruvi anunciou nesta segunda-feira a renovação da dupla de carnavalescos, Dione Leite e Yago Duarte, para o desfile do ano que vem. Confira...