Na “Escola do Samba dos Sonhos”, formada pela votação com os leitores do site CARNAVALESCO, teve lugar para três compositores consagrados do carnaval carioca e autores de diversas obras vencedoras nos últimos carnavais. Arlindinho, André Diniz e Claudio Russo teriam a tarefa de compor esse samba-enredo inesquecível. O trio agradeceu a escolha, relembrou parcerias e aproveitou a festa para fazer alguns apelos pela categoria e pelo carnaval como um todo.

Fotos de Nelson Malfacini/Site CARNAVALESCO

“Gostaria de dedicar esse prêmio a todos os parceiros que eu tive ao longo deste tempo, porque ninguém faz nada sozinho. E em especial aos que foram mais importantes durante este tempo que eu sou compositor de sambas-enredo, Evandro Bocão, Leonel e Arlindo Cruz da época que a gente fez as coisas mais bacanas. Também um prazer receber ao lado do Claudio, que representa junto com o Gustavo, Lequinho, uma geração de compositores que foram muito massacrados por começarem a fazer samba para tudo que era escola, os chamados escritórios, e por isso apanhavam muito, mas não paravam de produzir, de transmitir o amor pelo carnaval e hoje é muito bacana estar recebendo isso. Em determinado momento da nossa trajetória nós já fizemos samba junto nós três, em homenagem ao Arlindo Cruz, samba da X-9 Paulistana. Em determinado momento a gente olhava pelo retrovisor e não estavam surgindo compositores de samba-enredo. Parecia que a nossa geração era a última. E de um tempo para cá, comandados por esse rapaz aqui que eu vi adolescente (Arlindinho), a gente está tendo uma grande nova geração não só de compositores mas de cantores e uma nova geração de talentos para segurar a bandeira que um dia a nossa vai cair, tem que ter gente para continuar o nosso trabalho “, disse André Diniz.

“Temos aqui várias pessoas que são profissionais do carnaval de diversos segmentos, mas que acima de tudo tem um grande amor pelo carnaval. E eu gostaria de aproveitar essa premiação, para realizar um pedido a todos e estender também aos representantes do poder público que aqui estão. Quando eu cheguei aqui eu verifiquei com alguns amigos conversando que nós estamos no dia 21 de dezembro e ninguém fala em carnaval na cidade. O poder público, tanto estadual quanto municipal, estão ajudando e a gente precisa aquecer mais essa festa que tanto amamos. Porque tem aquele jovem que está começando agora a entender a vida, e ele não está ouvindo samba de carnaval. As rádios já não tocam mais. As lojas não tocam mais o CD. Eu não sei se o que eu penso está certo, mas de repente seria uma reflexão para os administradores que estão aqui, de repente levar a Liga, e ouvir um pouquinho de nós, eu tenho 34 anos de samba, a gente entende um pouquinho do negócio também, sem querer menosprezar ninguém mais há 10, 12 anos atrás, as escolas de samba faziam três ensaios técnicos. Eu sei que existe o custo, o custo é alto mas será que esse custo não valeria a pena, não valeria investir nestas ações?”, questionou Claudio Russo.

“É uma honra estar do lado destes compositores. Já vi muita coisa de disputa de samba no CARNAVALESCO, torcia para sambas do André, do Claudio. Sou muito fã dos dois. É um grande momento que estou vivendo de vida profissional, vida pessoal. Acho que é importante um olhar aos descontos feitos aos compositores, a gente vive de samba , as disputas se tornam mais caras, os descontos maiores, gostaria que os compositores fossem mais cuidados com o carinho e o respeito que a gente merece. A gente faz com amor. Então se puder melhorar pra gente, a gente ficaria bastante agradecido. Salve o CARNAVALESCO“, finalizou Arlindinho.