O sábado de Carnaval será bem agitado para a Série Ouro. Oito escolas vão passar pelo Sambódromo e encerram a segunda noite de desfiles do grupo. De volta à Marquês de Sapucaí, a Sereno de Campo Grande abre a noite de apresentações, a partir das 21h. Na sequência, passam pela Avenida Em Cima da Hora, Arranco do Engenho de Dentro, União da Ilha do Governador, Unidos de Padre Miguel, Unidos de Bangu, São Clemente e, por fim, o Império Serrano. O site CARNAVALESCO vai transmitir ao vivo, a partir das 20h, com áudio direto da pista do Sambódromo.

Foto: Arquivo/Prefeitura do Rio

De acordo com o regulamento da Liga-RJ, cada agremiação deve desfilar no tempo mínimo de 45 minutos e máximo de 55 minutos. A cada minuto excedido, a equipe será penalizada em um décimo, além de multa no valor de 5 salários mínimos. Cada escola deve ter no mínimo duas alegorias e, no máximo, três – sendo permitido o uso de até dois tripés opcionais. A comissão de frente pode ter entre 10 e 15 componentes aparentes, e poderá utilizar elemento cenográfico. As escolas devem, obrigatoriamente, desfilar com no mínimo 900 componentes – sendo 130 a quantidade mínima de ritmistas. A escola campeã conquistará o acesso à elite do carnaval carioca e as duas últimas rebaixadas para a Série Prata. Veja o resumo das escolas do dia.

21h – Sereno de Campo Grande

A escola da Zona Oeste retorna à Marquês de Sapucaí após dez anos, e vai levar para a Avenida o enredo “4 de dezembro”, do carnavalesco Thiago Avis. A obra vai celebrar os festejos de Oyá e Santa Bárbara. A agremiação conta com o coreógrafo da comissão de frente Carlos Bolacha, o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira Yago Silva e Lohane Lemos, os intérpretes Igor Pitta e Antônio Carlos, o mestre de bateria Vinícius e a rainha Katarina Harmony.

Entre 21h45 e 21h55 – Em Cima da Hora

Na sequência, a escola do bairro de Cavalcanti leva para a Passarela do Samba o enredo “A nossa luta continua”, desenvolvido pelo carnavalesco Rodrigo Almeida. A obra abordará a precarização do trabalho, a importância da classe operária e o trabalhismo do Brasil. A coreógrafa Luciana Yegros é a responsável pela comissão de frente, enquanto o pavilhão será conduzido pelo casal de mestre-sala e porta-bandeira Winnie Lopes e Marcinho Souza. Com a responsabilidade de levantar os componentes e a sapucaí, Rafael Tinguinha comandará o carro de som e Léo Capoeira é o mestre da ‘Sintonia de Cavalcanti’, que tem como rainha a francesa Davina.

Entre 22h30 e 22h50 – Arranco do Engenho de Dentro

A escola da Zona Norte contará o enredo “Nise – Reimaginação da Loucura”, de autoria do carnavalesco Nícolas Gonçalves. A obra retrata a importância e o legado da psiquiatra Nise da Silveira, pioneira na utilização de tratamentos humanizados para pacientes com transtornos mentais. Responsáveis por abrir o desfile, a comissão de frente é elaborada pelas coreografias Suelen Gonçalves e Karen Ramos, e o pavilhão vai ser conduzido pelo primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira Yuríí Souzah e Gislaine Lira. Mestre Gilmar estará à frente da bateria Sensação, que tem Graciele Bracco como rainha; os intérpretes são Pamela Falcão e Thiago Acácio.

Entre 23h15 e 23h45 – União da Ilha do Governador

Com o enredo “Doum e Amora: crianças para transformar o mundo”, desenvolvido pelo carnavalesco Cahê Rodrigues, a insulana se inspira no livro “Amoras”, do rapper Emicida, e em outros contos infantis da literatura negro-brasileira. Juntos, Doum e Amora vão lutar por um mundo sem intolerância religiosa e antirracista. A comissão de frente é comandada pelo coreógrafo Márcio Moura, e o pavilhão da escola é conduzido pelo primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira Thiaguinho Mendonça e Amanda Poblete. Na parte musical, o intérprete Nego estará à frente do carro de som e mestre Marcelo Santos comanda a “Baterilha” – que tem Juliana Souza como majestade.

Entre 0h e 0h40 – Unidos de Padre Miguel

O Boi Vermelho da Zona Oeste levará para o Sambódromo o enredo “O Redentor do Sertão”, dos carnavalescos Edson Pereira e Lucas Milato. A agremiação contará a história de Padre Cícero, o Padim Ciço, importante figura religiosa e política para o Sertão nordestino entre os séculos 19 e 20. A equipe conta com o coreógrafo da comissão de frente David Lima, o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira Vinicius Antunes e Jéssica Ferreira, o intérprete Bruno Ribas, o mestre de bateria Dinho Lima e a rainha Thalita Zampirolli.

Entre 0h45 e 1h35 – São Clemente

Sexta escola a desfilar nesta noite, a São Clemente vai falar sobre a vida e história do sambista, compositor e baluarte do carnaval carioca Zé Katimba. O enredo foi desenvolvido pelo carnavalesco Bruno de Oliveira. A escola conta com a coreógrafa Bruna Lopes, o casal de mestre-sala e porta-bandeira Alex Marcelino e Raphaela Caboclo, os intérpretes Vitor Cunha e Leandro Santos, além do mestre de bateria Bruno Marfim e da rainha Raphaela Gomes.

Entre 1h30 e 2h30 – Unidos de Bangu

A escola levará para a Marquês de Sapucaí o enredo “Jorge da Capadócia”, do carnavalesco Robson Goulart. A obra fala de São Jorge, o guerreiro, sincretizado como Ogum. A equipe de carnaval conta com o coreógrafo da comissão de frente Fabio Costa, o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira Jorge Vinicius e Verônica Lima, os intérpretes Igor Vianna e Pipa Brasey, além do mestre de bateria Laion e da majestade Wenny Isa.

Entre 2h15 e 3h25 – Império Serrano

Para encerrar os desfiles da Série Ouro, o Império Serrano levará a força da ancestralidade para a Passarela do Samba. Com o enredo “Ilú-ọba Ọ̀yọ́: a gira dos ancestrais”, do carnavalesco Alex de Souza, a agremiação do Morro da Serrinha vai falar sobre a importância dos orixás e promete promover um grande ritual na Avenida. Além do carnavalesco, a escola também conta com o coreógrafo da comissão de frente Marlon Cruz, o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira Anderson Abreu e Eliza Xavier, o intérprete Tem Tem Jr., além do mestre de bateria Vitinho e da rainha Darlin Ferrattry.