A Porto da Pedra, atual campeã da Série Ouro e de volta ao Grupo Especial, anunciou na noite deste sábado o enredo para o Carnaval 2024. A escola abrirá o domingo do Grupo Especial, no dia 11 de fevereiro. O título do enredo é “Lunário Perpétuo: a profética do saber popular”, que será desenvolvido pelo carnavalesco Mauro Quintaes e o enredista Diego Araújo.

O Lunário Perpétuo é um almanaque que remete a era medieval, lá no século XIV. Foi escrito na Espanha, e depois de 200 anos, veio para o Brasil. O Lunário Perpétuo é um guia para a medicina, agricultura e pecuária. Ele era um almanaque muito comum na época, porque naquele momento, os livros impressos estavam a se difundir através de Guttemberg. Pela criação, os livros começaram a alcançar não só a classe mais abastada, mas também alcançar a classe mais pobre, o povo em geral. O Lunário chega ao Brasil, e durante 200 anos, segundo Câmara Cascudo, que é o autor do Dicionário do Folclore brasileiro, que este foi o livro mais lido, o almanaque mais lido pelo povo do Nordeste. Confira abaixo o texto publicado pela escola nas redes sociais sobre o enredo de 2024.

“Saber! Filosoficamente é o verbo que reúne diversos conhecimentos para pensar, discutir, refletir e ensinar sobre algo. Existem saberes que emergem do povo, e este “saber popular”, se manifesta em práticas que marcam a identidade de uma comunidade, de parte ou do todo de uma sociedade. Diversos saberes foram transcritos ao longo dos séculos e formaram o “Lunário Perpétuo”, publicado em 1594 pelo astrônomo e naturalista espanhol Jerónimo Cortés.

O pequeno livreto do velho continente aconselhou e orientou a respeito de diversos assuntos que auxiliaram homens e mulheres de forma mística, cultural e socialmente.

O Lunário viajou o mundo, compilou outros saberes, foi proibido, se refez, e aqui no Brasil desembarcou no final do século XIX com tradução de Antônio da Silva de Brito.

Lá pelas bandas do sertão se tornou objeto precioso, e segundo Câmara Cascudo (2001. p. 534) “foi durante dois séculos o livro mais lido nos sertões do nordeste, informador de ciências complicadas […]. Não existia autoridade maior […].”

A leitura do lunário e seu “prognóstico geral e particular para todos os reinos e províncias” se fundiu aos saberes populares nordestinos e produziu almanaques que previam os juízos anuais através da arte da xilogravura.

Para além da importância física de livreto, os almanaques que nasceram do lunário perpétuo avivaram-se como “profetas do sertão”, figuras místicas respeitadas por interpretar as estrelas e a natureza.

Foram eles os formuladores de uma ciência única que inventa uma tradição profética no Brasil do século XIX. Este carnaval nasce inspirado em mais uma história fabulosa guardada como tesouro nas faces, nas vozes e nas singularidades deste país.

O G.R.E.S. Unidos do Porto da Pedra, com distinta sapiência, apresenta seu enredo reunindo os saberes do lunário perpétuo e dos almanaques populares dos profetas sertanejos. É o “esperançar” de um Brasil mais brasileiro. É alquimia, sertão, lua, sol, poeira, viola e rabeca.

É o nosso…

“Lunário Perpétuo: A Profética do Saber Popular”

Pois nos varais de cordel, nas praças e nas mãos do povo,
A sabedoria é chave da libertação! (Mauro Quintaes e Diego Araújo)