InícioGrupo EspecialParaíso do Tuiuti realiza ensaio de rua com expressivo canto da comunidade

Paraíso do Tuiuti realiza ensaio de rua com expressivo canto da comunidade

Treino teve duração de uma hora e meia e o destaque foi o bom canto da comunidade que sustentou o samba durante todo o ensaio amparado pelo ótimo desempenho do carro de som comandado por Wander Pires

Nem a chuva que caiu antes, ou a ameaça de que ela poderia voltar mais forte, impediu que a comunidade do Paraíso do Tuiuti comparecesse com força na noite de segunda-feira para mais um treino ao ar livre em preparação para o Carnaval 2023. O teste foi realizado na Rua Campo de São Cristóvão, com concentração em frente ao Colégio Pedro II, e os foliões evoluíram em direção à quadra. O treino teve duração de uma hora e meia e o destaque foi o bom canto da comunidade que sustentou o samba durante todo o ensaio amparado pelo ótimo desempenho do carro de som comandado por Wander Pires. A bateria, de mestre Marcão, que testou mais algumas bossas, o primeiro casal e a comissão de frente também se destacaram. Em 2023, o Paraíso do Tuiuti será a primeira escola a desfilar na segunda noite do Grupo Especial com o enredo “Mogangueiro da Cara Preta”, que está sendo desenvolvido pelos carnavalescos Rosa Magalhães e João Vitor Araújo.

O ensaio aconteceu mesmo com a ameaça de chuvas fortes ou moderadas na cidade do Rio de janeiro e contou com um bom número de foliões da comunidade do Tuiuti. A presença ainda pode ser um pouco maior, mas já está boa para essa época do ano. E o principal foi o desempenho do canto dos desfilantes e segmentos que se mantiveram de forma bastante uniforme e intensa durante todo o ensaio. Casal, comissão de frente e bateria já deram o clima de ensaio técnico apresentando muita coisa que vai para Sapucaí. O diretor de carnaval do Paraíso do Tuiuti, André Gonçalves, elogiou o desempenho da comunidade no treino desta segunda-feira.

“O ensaio hoje foi incrível, toda segunda-feira que passa a gente vem melhorando mais. É por isso que há o ensaio, para deixar tudo nos conformes, e acredito que até o ensaio técnico em janeiro vai estar tudo bem certinho”, imagina o diretor.

André também elogiou a obra como fator que ajuda bastante ao rendimento dos componentes, mas fez questão de ressaltar também o trabalho da escola, uma das primeiras a iniciar os treinos ao ar livre.

“O fato de ser um grande samba ajuda muito a ter esse desempenho da comunidade, mas é tudo também fruto de um trabalho. O Tuiuti foi uma das primeiras escola a começar os ensaios, e estamos colhendo os frutos de um grande trabalho mais uma vez. Hoje, a escola já está cantando muito, temos que trabalhar para manter esse rendimento até o ensaio técnico e posteriormente o desfile. Temos só que lapidar até o carnaval”, entende André.

Harmonia e samba-enredo

A obra que tem recebido muitos elogios desde que foi escolhida rendeu bastante na boca da comunidade. Apesar do forte calor, que nem a chuva que caiu antes do ensaio conseguiu amenizar, os desfilantes se dedicaram para sustentar o canto e não deixar com que ele diminuísse de intensidade. Ainda há margem de melhora para o desfile, mas faltando cerca de dois meses para a apresentação na Sapucaí, este treino já deu bons indícios do rendimento da obra. Setores como comissão de frente, casal, baianas, passistas também se dedicavam bastante ao entoar o samba-enredo do Paraíso do Tuiuti. Sem perder força nos outos trechos, o destaque ficou para o refrão principal e para o trecho que vinha logo anteriormente o “É lá, É lá…”.

O intérprete Wander Pires teve um desempenho muito intenso no samba com os seus cacos mais uma vez estando bem dentro da melodia do samba. Em entrevista ao site CARNAVALESCO no final do ensaio, Wander avaliou que a obra está sendo bem executada pela comunidade e com tendência de crescimento.

“O trabalho está indo por um bom caminho, o samba está na boca do povo, o samba está bem, abraçado pela comunidade, a tendência é melhorar sempre. Isso é fruto de um trabalho maravilhoso do carro de som sobre a regência do André Félix, cantores, as cordas. A tendência é a gente ficar cada vez mais completo, a gente já está preparado, mas ainda falta algumas coisas, mas vamos cada vez mais nos colocando a altura do que a nossa comunidade precisa. Graças a Deus o samba está na boca do povo, na boca do Rio de Janeiro e do Brasil”, avaliou o cantor.

Mestre-sala e porta-bandeira

Pelo segundo ano consecutivo dançando juntos no Tuiuti, Raphael Rodrigues e Dandara Ventapane fizeram uma coreografia com muita intensidade como é característico do casal, sem perder a precisão nos movimentos, a graciosidade e o entrosamento. Eles se procuram o tempo todo no bailado. Em um trecho, Raphael fazia de forma bem rápida, bonita e precisa um passo no ritmo do Carimbó, voltando logo depois aos movimentos mais tradicionais. Dandara manteve sempre a precisão e a intensidade no girar e na defesa do pavilhão. Não se percebeu nenhum tipo de erro em relação a bandeira ou ao toque do mestre-sala. Os movimentos foram bastante coordenados e o casal não exitou em nenhum momento mesmo com o treino na rua.

Bateria

A “Super Som” comandada por mestre Marcão foi com certeza a que mais trabalhou neste ensaio. Antes do treino, e já no final quando todos os segmentos e componentes já haviam terminado a apresentação, os ritmistas seguiam tocando e acertando algumas coisas. Tudo para que no dia do desfile, a bateria possa mais uma vez ser um destaque do Paraíso do Tuiuti. Durante o ensaio, em alguns momentos mestre Marcão colocava algumas bossas com bastante relação ao ritmo do carimbó, principalmente, uma no refrão do meio. O timbau também ajudava a “chamar” os outros instrumentos em algumas paradinhas. Mestre Marcão explicou um pouco do que vem preparando para os ensaios de rua.

“A questão do andamento já está bem resolvida, o samba já fala por si só. Hoje trabalhamos mais uma bossa, a bossa do carimbó, que é no refrão do meio. A gente vai trabalhando, ainda não chegou o ensaio técnico, por isso a gente está desenvolvendo ainda mais, limpando as bossas, o andamento já está legal” , entende o comandante da ” Super Som”.

Marcão também revelou que o trabalho principal agora com os ritmista é o de apurar algumas coisas para que tudo fique perfeito.

“A gente está usando 144, 145 BPM (batidas por minuto), que fica mais confortável para todo mundo. São cinco bossas sendo trabalhadas. Os ensaios de rua tem sido bastante produtivos e aqui a rapaziada pega rápido. Nós estamos fazendo aquele trabalho de formiguinha para poder colocar tudo certinho, aparando aquelas pontinhas que ficam deslocadas para poder ficar tudo certo no dia do desfile”, esclareceu o mestre.

Evolução

A escola teve uma evolução de forma correta, ainda perseguindo o melhor ritmo, mas sem apresentar buracos ou alas emboladas, e sem correria, já simulando o tempo de apresentação para casal e comissão de frente. Não houve entrada da bateria em recuo, e no final os ritmistas finalizaram já próximos a quadra tocando mais um pouco depois que os outros segmentos já havia encerrado a apresentação.

Destaque para as alas coreografadas, em uma delas, mulheres com saias coloridas realizavam passos do Carimbó, apresentando um bonito efeito para quem olhava mais de longe. Em comunhão com o samba que vinha sendo bastante cantado pelos foliões, a comunidade também evoluiu de forma espontânea, mesmo nas coreografias que também permitiam estes momentos, além de tudo a alegria era facilmente perceptível nos desfilantes que compareceram ao treino.

Outros destaques

A comissão de frente, dos coreógrafos Lucas Maciel e Karina Dias, estreantes no Grupo Especial no próximo carnaval, que já havia dado um show no mini desfile realizado na Cidade do Samba, mostrou bastante expressividade e intensidade no ensaio, com bastante foco para corrigir o que ainda é preciso limpar na coreografia. Em um momento uma das integrantes da equipe era erguida pelos outros dançarinos arrancando aplausos de quem acompanhava a apresentação.

A rainha de bateria Mayara Lima, mais uma vez, foi um show a parte sambando de forma bem coordenada com as bossas da bateria e com os passistas que vinham logo a frente. Mayara mostrou alguns passos do Carimbó, enriquecendo ainda mais o seu desfile e fazendo a alegria de quem acompanhava o ensaio. Como de costume, o presidente Renato Thor veio na frente da escola, e no final prestigiou a última apresentação de cada segmento e componente.

- ads-

Balanço: ordem dos desfiles do Carnaval 2025 em São Paulo

https://www.youtube.com/watch?v=EySmcYOr3iM

Presidente da Liga-SP faz balanço do carnaval de São Paulo e fala do futuro do julgamento

O presidente da Liga das Escolas de Samba de São Paulo, Sidnei Carriuolo conversou com exclusividade para o site CARNAVALESCO, fez um breve balanço...

Confira a ordem dos desfiles do Grupo Especial de São Paulo para o Carnaval 2025

A Liga-SP definiu na noite deste sábado, em evento na Fábrica do Samba, a ordem dos desfiles do Grupo Especial de São Paulo. As...