Um grupo de meninos da comunidade do Morrinho, no município de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, ganhou fama nacional, às vésperas do Carnaval de 2018, quando o vídeo de uma brincadeira viralizou nas redes sociais. Nas imagens em questão, o jovem Wendel Santtos, então com 12 anos, aparece regendo os amigos enquanto simulam uma bateria. Em um palco improvisado, os garotos fazem uso de baldes, latas e garrafas pet, além das próprias vozes, para entoar o samba-enredo da Beija-Flor de Nilópolis daquele ano.

Fotos: Diogo Sampaio/CARNAVALESCO

“Quase sempre batia lata, eu e os meninos do Morrinho. Um certo dia, estávamos na rua tocando balde, garrafa PET, e passou um rapazinho, um vizinho, que parou para gravar. Na hora, eu estava cantando o samba da Beija-Flor de 2018, que para mim é um samba que vai ficar marcado na minha trajetória de vida. Aliás, aonde eu vou, canto esse samba da Beija-Flor de 2018. E depois que esse rapaz parou e gravou a gente, ele postou. Logo à noite, no mesmo dia, o vídeo repercutiu e fez o maior sucesso. Em um primeiro momento, nem consegui acreditar no que estava acontecendo”, recordou Wendel, em entrevista concedida a reportagem do site CARNAVALESCO.

Na época, o registro fez tanto sucesso na internet que chamou a atenção de Neguinho da Beija-Flor e da direção da azul e branca. Os meninos chegaram a vir para o Rio de Janeiro e tiveram a oportunidade de conhecer pessoalmente o intérprete e outros integrantes da escola. Além disso, eles receberam a doação de instrumentos profissionais. Também em conversa com a reportagem do site CARNAVALESCO, o cantor oficial da azul e branca relembrou como foi este encontro com os jovens e relatou o que sentiu ao assistir as imagens pela primeira vez.

“Quando eu vi o vídeo, me remeteu muito a minha infância. Eu também tinha a vontade de ser um Jamelão, um Roberto Silva, um Jorge Veiga, né? Era os sucesso da época que eu tinha meus 10, 12 anos. E eu fazia aquilo também, a mesma coisa. Era folia de reis e o samba. Lembro que eu juntava a molecada e ficava batendo na lata de goiabada. Então, quando eu vi, me emocionei muito. Não só eu, porque viralizou no país, no mundo todo. Depois, entrando em contato com os meninos, eu vi que além deles terem vontade de tornar aquele sonho realidade, eles tinham qualidade também, tinham potencial”, afirmou o cantor.

E mesmo após o Carnaval de 2018, Neguinho seguiu mantendo contato com Wendel Santtos. Desde então, os dois chegaram até a gravar uma música chamada “Vai Menino”, em referência aos sonhos e à fé de um garoto, no ano de 2019. Agora que o jovem completou a maioridade, uma nova parceria foi firmada entre eles. O intérprete, desta vez, convidou Wendel para integrar o carro de som da Deusa da Passarela.

“Há uns dois meses, o Wendel fez dezoito anos. Desde o episódio do vídeo, eu tenho acompanhado o trabalho dele de longe. Ele canta bem, futuramente vai compor também, então decidi trazer para fazer parte do nosso carro de som e ser mais um membro da nossa família Beija-Flor. Fiz um pedido à diretoria, ao nosso presidente de honra Anísio, ao nosso presidente Almir Reis, e eles me disseram que também já estavam de olho. Ou seja, juntou a fome com a vontade de comer. Então, está aí: Wendel Neguinho Júnior. Ele botou só Neguinho Júnior, mas minha sugestão é que ele deixe três nomes. Afinal, é importante ficar com o dele também, que aí futuramente o Neguinho Júnior sai e fica só Wendel da Beija-Flor”, declarou o intérprete, de forma bem-humorada.

A relação de Wendel com o samba e o Carnaval teve início ainda nos primeiros anos de vida. O pai dele, por exemplo, é um dos responsáveis pelo Boi Pintadinho, uma tradicional manifestação cultural de Campos dos Goytacazes. Já a paixão pela Beija-Flor propriamente começou por volta dos nove anos. Junto com ela, surgiu a admiração dele por Neguinho. A influência é tamanha que, além do nome artístico, o intérprete serviu de inspiração até mesmo para cacos e bordões.

“Sempre fui muito ligado ao mundo do samba, ao Carnaval. O meu pai tem uma agremiação lá em Campos dos Goytacazes, então eu sempre respirei samba. Meu avô também, já cantou no Carnaval da cidade, de repente meu talento veio até dele. E, em 2018, essa coisa de querer cantar e tocar ao mesmo tempo, ficou ainda maior, até pelo samba da Beija-Flor naquele ano. Sempre fui fã do Neguinho, é a minha maior inspiração, tanto que eu até adotei os jeitos, os cacos dele, na hora de cantar. Pessoal em Campos até costuma me chamar de Neguinho da Beija-Flor campista. Lá na cidade eu dou o grito de guerra do Neguinho, falo o ‘beleza, beleza’, o ‘bora gente’ e tudo mais. Tudo que o Neguinho faz na Marquês de Sapucaí, que ele construiu durante a vida toda, é o que eu mais ou menos tentei fazer lá na minha cidade. Tem gente que fala que eu não paro de imitar o Neguinho, que não sei o quê, mas logo respondo para me deixar assim, porque eu me sinto bem dessa forma. Se Papai do céu achar que não vai ser, não vai ser; mas se tiver que ser, vai ser. É isso, eu vou continuar imitando Neguinho, porque eu gosto, sempre fui fã e tenho um amor muito grande por ele”, assegurou Wendel.

Tendo agora a chance de trabalhar ao lado do ídolo, Wendel Santtos não esconde a emoção. Para o jovem cantor, a oportunidade de atuar com Neguinho e na Beija-Flor de Nilópolis trata-se da concretização de um sonho que, por muitas vezes, pareceu inalcançável.

“Até me faltam palavras para poder falar, descrever o que estou sentindo. A ficha ainda não caiu. Eu nunca imaginaria que um dia eu pudesse cantar na escola que eu amo de coração, ao lado do Neguinho da Beija-Flor. Muitas vezes, me emociono só de ouvir o Neguinho cantar, fico cantando junto, choro também… Não tem jeito, o amor meu pela Beija-Flor é muito grande. As pessoas até falavam: ‘Wendel, um dia você vai chegar lá e tudo’, mas parecia um sonho distante. Eu até acreditava, às vezes, pelo potencial que eu tenho, que é cantar, mas depois desacreditava. Mesmo sendo um grande sonho, a gente fica um pouco com o pé atrás. Mas aconteceu, Papai do céu abençoou, e eu agradeço muito ao Neguinho. Minha eterna gratidão, sempre”, pontuou.

E para conseguir realizar este sonho, Wendel Santtos teve de abdicar de toda uma vida em Campos dos Goytacazes. A princípio, o jovem ficará morando em Nilópolis, onde também seguirá estudando. Cursando atualmente o primeiro ano do ensino médio, ele já pediu transferência e até mesmo conheceu o novo colégio.

“Ainda é tudo muito novo. Cheguei faz pouco tempo, estou tendo meus primeiros contatos com a escola, tenho que conhecer mais. Se eu não me engano, essa é a quinta ou a sexta vez que eu estou vindo na cidade do Rio de Janeiro. Então, o impacto é sim muito grande, porque é uma troca de vida. A gente precisa ter muita coragem mesmo. Tenho apenas 18 anos, uma vida inteira lá em Campos, mas por conta de um sonho que está sendo realizado resolvi enfrentar e abraçar toda essa oportunidade que Papai do céu, que a Beija-Flor e o Neguinho estão me proporcionando. Com certeza, vou superar todas essas barreiras aí de mudança, de troca, de costume. Tenho fé que futuramente vai valer a pena”, disse Wendel.

Responsável por fazer o convite, Neguinho da Beija-Flor admitiu na conversa com a reportagem do site CARNAVALESCO que o jovem cantor se trata de uma aposta sua para o futuro. Por esse motivo, o veterano está dando todo o suporte necessário para Wendel, principalmente nas questões relacionadas aos estudos.

“É uma aposta e com certeza já deu certo. Se tivesse dúvida, o convite não seria feito. Ele já foi apresentado à ala de compositores, ao pessoal do nosso carro de som e da harmonia. Como eu disse, eu fiquei acompanhando ele, com o nome de Neguinho Júnior, cantando lá em Campos nos bares, nas rodas de samba, desde novinho e decidi que quando completasse 18 anos ia fazer a proposta. Como ele ainda está em período de escola, vamos providenciar a transferência do colégio para que possa vir em definitivo. Foi até uma coisa que alertei, que não pode deixar o estudo. Inclusive, essa foi uma preocupação da diretoria da Beija-Flor. O Wendel vai estudar e no mesmo colégio onde meus filhos e meus netos estudaram”, garantiu Neguinho.

Quem também falou com a reportagem do site CARNAVALESCO sobre a chegada de Wendel Santtos foi o diretor de Carnaval da Beija-Flor de Nilópolis, Dudu Azevedo. O dirigente relatou como foram as conversas com Neguinho da Beija-Flor antes do convite e declarou que a agremiação está com as portas abertas para receber o mais novo integrante.

“O Neguinho sempre tem essas ideias e traz para gente. Quando o assunto é carro do som, respeitamos muito essa entidade, que é o Neguinho na escola. Ele conversou com o presidente Almir, me ligou também, e defendeu que a gente tinha que investir no garoto, que ele tinha potencial de estar conosco. O Wendel tem um laço com a Beija-Flor desde o episódio do vídeo, da situação da bateria, e demonstra ter um amor pela escola. Não é nascido em Nilópolis, mas é um nilopolitano, tem sangue azul e branco. E os pilares da Beija-Flor são o trabalho social, o trabalho de escola de samba, que visa mais do que nunca também a gente engrandecer o nosso carro de som, ainda mais neste momento que ele é tão visto no quesito harmonia. Então, com a chegada do Wendel a gente está lidando com os nossos principais lados, o social e o Carnaval. Quanto as tratativas para vinda, o Neguinho é quem fez tudo e só trouxe para gente da escola a necessidade de colocar o Wendel no carro de som. O que a gente aprende de cima com a Beija-Flor, de ter uma responsabilidade social, o Neguinho traz com ele e acaba emanando em todos nós. A escola abriu as portas, mas quem está de frente disso tudo é o Neguinho”, ponderou Dudu Azevedo.

Em 2024, a Beija-Flor de Nilópolis terá como enredo “Um delírio de Carnaval na Maceió de Rás Gonguila”, assinado pelo carnavalesco João Vitor Araújo. Na ocasião, a Deusa da Passarela será a segunda agremiação a passar pelo Sambódromo da Marquês de Sapucaí no domingo, dia 11 de fevereiro, pelo Grupo Especial. Esta será a primeira vez que a azul e branca desfilará nesta posição.