A Uirapuru da Mooca, que está no Grupo de Acesso II, fez sua apresentação na exposição do Bicentenário e trouxe bastante energia para a Fábrica do Samba. Depois de uma semana sem apresentação devido às eleições de 2022, o retorno foi interativo e animado para o público presente no novo reduto do samba paulistano.

A agremiação da Mooca, Zona Leste de São Paulo, levou seu pavilhão para a Fábrica do Samba. Sob comando do Mestre Murilo Borges, aproveitou para fazer uma graça ao deixar o espaço do palco onde as escolas se apresentam e seguiu para as ruas da Fábrica.

Em conversa com o site CARNAVALESCO, o mestre Murilo Borges revelou: “Foi muito especial pois foi minha primeira “apresentação” nesta jornada como mestre de bateria e fico muito feliz com essas iniciativas da Liga, precisamos de muito mais coisas assim em São Paulo o ano todo, para não deixar o povo desanimar durante o ano”.

Com a rainha Acassia Amorim e a madrinha Tatiane Reis, a Moocadencia tirou onda, foi até a porta da exposição do Bicentenário e por lá ficou junto com membros da harmonia da escola. Fizeram uma roda, sambaram bastante, envolveram todo o público presente até retornaram para o local do palco.

Diretor de tamborim da Moocadencia, Kaique Oliveira contou com exclusividade sobre a apresentação: “A apresentação foi como reviver uma aventura pois se passaram dois anos sem ir a Fábrica do Samba e sentir essa energia vindo do lugar onde o Carnaval acontece é um privilégio; sem conta que estávamos com saudade de um Carnaval”.

A escola através do intérprete André Ricardo, cantou seus sambas tradicionais, e claro o samba-enredo de 2023 da escola. Assim como também trouxe músicas populares como o ‘Samba de Arerê’ do Grupo Revelação, ‘Vou Festejar’ de Beth Carvalho, e também a música tema da Globeleza, colocando a escola e o público presente para dançar.

Sobre a Uirapuru

Fundada em 1976, a escola participou do carnaval entre 78 e 80, quando ficou um longo período sem desfilar oficialmente. Ressurgindo somente em 2001 e começando uma grande ascensão de lá para cá.

Chegou ao auge no Grupo de Acesso I em 2010 e ficou no sexto lugar, mas no ano seguinte, duas escolas foram rebaixadas e ficou no 7ª lugar, voltando para o Grupo de Acesso II, onde está desde então chegou ao vice-campeonato em 2013, mas não bastou para subir. Desde então a escola vai alternando colocações e no último carnaval terminou em 5ª lugar entre as 14 escolas do Grupo de Acesso II.

Buscando o tão sonhado retorno ao Grupo de Acesso, a Uirapuru será a 6ª escola a desfilar e cantará “Amazônia: Terra do Uirapuru – Salve os donos da terra e suas lendas”, e claro, seu samba foi um dos apresentados na exposição.

Como ir na exposição

Aberta de quarta a domingo, das 10h às 17h, a entrada e o estacionamento são gratuitos. A exposição irá até o dia 30 de dezembro. Além da exposição, é muito legal ver como é a Fábrica do Samba, sua dimensão dentro do Barracão, algo marcante, e inédito para o público geral.

As apresentações das escolas de samba acontecem no período da tarde por agremiações do Grupo de Acesso I e II no carnaval de São Paulo, fique atento na programação:

19/11, sábado
14h: Nenê de Vila Matilde

20/11, domingo
14h: Pérola Negra

26/11, sábado
14h: X-9 Paulistana

27/11, domingo
16h: Unidos do Peruche

10/12, sábado
14h: Primeira da Cidade Líder

11/12, domingo
14h: Torcida Jovem

17/12, sábado
14h: Imperador do Ipiranga