A Mocidade Independente de Padre Miguel vive um excelente momento depois que o fim da Era Castor de Andrade deixou a escola vários carnavais como coadjuvante no Grupo Especial. Mas entre 2017 e 2020 a escola voltou a ser campeã, tirou um 3º lugar e vem voltando no sábado das campeãs nos últimos quatro anos, algo só repetido nos áureos anos 90.

A Estrela Guia é a escola analisada na série de reportagens ‘De olho nos quesitos’. Se foi campeã em 2017, certamente é possível afirmar que outros campeonatos poderiam ter chegado não fosse o desempenho em quesitos plásticos, conforme a reportagem do CARNAVALESCO comprova neste material. Ao longo dos últimos cinco anos a verde e branca perdeu 60 décimos, 21 deles em alegorias e fantasias. A média de perda foi de 1,2 ponto por ano, muito graças ao desfile de 2016, quando a escola foi penalizada com um total de 3,5 pontos. Entre 2017 e 2020 a média cai para apenas seis décimos perdidos por ano.

Confira o desempenho da Mocidade quesito a quesito:

Alegorias e Adereços

Os independentes mais atentos reconhecem: o que tem tirado a Mocidade da chance de ser campeã são os quesitos plásticos, notadamente aqueles que são 100% dependentes do aspecto visual, caso de alegorias. Especialmente em 2016 e 2019 a escola foi muito penalizada (oito dos nove décimos perdidos no período foram nesses anos). Em 2018 a perda foi mínima, de um décimo. Isso torna o quesito o de segundo pior desempenho da Mocidade nos últimos carnavais.

Bateria

Em que pese alguns julgamentos injustos sofridos pela Não Existe Mais Quente, foram seis décimos de penalização nos últimos cinco desfiles, o que dá uma média superior a um décimo por ano. Apenas em 2018 e 2019 a escola fechou a apuração com os 30 pontos. 2016 responde por 50% da perda total no período e nem no título de 2017 a escola conseguiu gabaritar no seu quesito mais famoso.

Comissão de Frente

Certamente um dos quesitos mais consistentes de todo o Grupo Especial é a comissão de frente da Mocidade. Se o independente já chega no desfile preocupado com as notas em alegorias e fantasias, também já sabe que dificilmente a escola deixará pontos em comissão de frente. Foram apenas quatro décimos perdidos em cinco anos, média inferior a um por ano. E seria ainda mais positivo não fosse o desfile de 2016, onde todos os quesitos sofreram penalizações altas. Desde o antológico Aladin de 2017 foi apenas um décimo perdido no quesito, em 2019.

Enredo

Quesito de desempenho idêntico à comissão de frente. Dos quatro décimos de punição nos últimos cinco anos, três aconteceram em 2016, quando a escola terminou na 10ª posição. De lá pra cá, Alexandre Louzada e Jack Vasconcelos garantiram à escola 119,9 pontos em 120 distribuídos no quesito. A Mocidade não é penalizada em enredo desde 2017, mas é preciso lembrar que esta punição se deveu a um erro da Liesa que não atualizou uma mudança no roteiro de desfile da escola, fazendo com que o julgador tirasse um décimo da escola. A falha foi responsável pela divisão de título com a Portela naquele ano.

Evolução

Como o fã de carnaval pode perceber, a média de penalizações da Mocidade fica prejudicada pela consideração do desfile de 2016, que foi o último onde a escola passou muito mal pela avenida. Em evolução, por exemplo, a verde e branca perdeu meio ponto somente no fatídico desfile citado e nos últimos quatro carnavais apenas dois décimos, em 2018, por causa de uma saída equivocada da bateria do segundo recuo que causou um buraco no último módulo. O total da perda do quesito foi de sete décimos.

Fantasias

Na apuração de 2018 a Mocidade caminhava se não para o bicampeonato mas para brigar até o último décimo pelo título, até que no quesito fantasias foram quatro décimos de punição de uma só vez. Em 2016 foram mais cinco e no último desfile em 2020 outros três. 1,2 ponto perdido em cinco anos, média de 0,2 por desfile. Números que tornam o quesito fantasias o calcanhar de aquiles dos desfiles da Mocidade.

Harmonia

Considerada como uma das melhores harmonias do atual Grupo Especial, a Mocidade perdeu apenas dois décimos no quesito nos últimos quatro anos. Em 2017, 2018 e 2020 a nota máxima foi alcançada. Mesmo com os três décimos de desconto em 2016, o quesito se coloca como o de segundo melhor desempenho da escola, atrás apenas de comissão de frente, enredo e mestre-sala e porta-bandeira.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

A Mocidade é um celeiro de formação de portas-bandeiras. Babi Cruz, Lucinha Nobre e a atual detentora do pavilhão, Bruna Santos, são bons exemplos. Além disso, Marcella Alves também já passou pela Estrela Guia. Coincidência ou não, este é um dos quesitos mais fortes da escola. Apenas quatro décimos de punição em cinco carnavais. Foram dois décimos em 2016, um em 2019 e um em 2020 e o restante 30 pontos. Ao lado de enredo e comissão de frente o melhor desempenho da escola.

Samba-Enredo

Pode surpreender a muito independente o fato de o samba-enredo representar o segundo pior desempenho da escola ao lado de alegorias. Mas como já dito nesta reportagem, o acidentado desfile de 2016 puxa todas as médias para baixo. Naquele ano a punição foi de seis décimos, o pior quesito da Mocidade em toda a apuração. Mas se pegarmos entre 2017 e 2020 são apenas três décimos perdidos, todos em 2019. Ao lado de comissão de frente, enredo e harmonia samba-enredo foi o único a gabaritar três vezes nos últimos cinco carnavais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui