InícioGrupo EspecialJulgadora retira décimo da Mangueira por pouca variação de cores em enredo...

Julgadora retira décimo da Mangueira por pouca variação de cores em enredo sobre baluartes da escola

Leandro Vieira em seu sexto carnaval à frente dos desfiles da Estação Primeira de Mangueira fez o seu primeiro enredo com viés de homenagem a figuras da escola. O enredo “Angenor, José e Laurindo” tinha como justificativa a Mangueira mergulhar em suas mais legítimas tradições para exaltar três personalidades que são também a tradução de três aspectos criativos fundamentais para a atividade intelectual que a escola realiza. Por isso, Leandro parece ter buscado um desfile para resgatar o uso das cores da escola, principalmente o rosa, como ele mesmo admitiu que foi o desfile em que ele mais investiu em usar esses aspectos. Mas há quem não tenha gostado. A julgadora Regina Oliveira de fantasias deu 9,9 para a Mangueira criticando, segundo ela, a pouca variação da cartela de cores.

“Fantasia das alas 05,12,17, 19 e 20 apresentam formas semelhantes. Além disso, a escola apresentou pouca exploração de cores em todas as fantasias. A cartela de cores não foi variada. Paleta de cores pouco utilizada”, colocou Regina como justificativa no mapa de notas.

Na sinopse, a escola apresenta diversas vezes o trio homenageado no enredo como integrantes de uma realeza. Cartola é citado como “príncipe do princípio”, Jamelão tem sua voz comparada como “voz forte como convém aos reis, reis pretos, reis com voz de trovão”. E mestre Delegado é representado como “príncipe da ralé, herdeiro da coroa de Marcelino”. Esta apresentação dos baluartes como representantes da realeza de Mangueira esteve presente em algumas fantasias da verde e rosa, mas esta concepção foi criticada pelo julgador Paulo Paradela que considerou excessiva “comprometendo a criatividade” do desfile.

“Alas 04,05,12,14,19 e 20 – Nessas alas, foi identificado a mesma proposta de concepção com aspecto de ‘príncipe’/’fantasia principesca’, comprometendo a criatividade. Os tipos de mangas, babados e meias utilizados são exemplos de alguns dos elementos que se repetiram nas soluções dessas fantasias. Adicionalmente em algumas fantasias – alas 05, 14, 29 -, alas 04 e 19 – as concepções definidas para os chapéus dessas alas também se mostraram repetitivas comprometendo igualmente a criatividade “, alegou Paulo após retirar dois décimos da Mangueira.

Os julgadores Helenice Gomes, Sérgio Henrique da Silva e Wagner Louza de Oliveira deram nota máxima para escola em fantasias.

- ads-

Ao vivo: sorteio da ordem dos desfiles do Grupo Especial do Rio

https://www.youtube.com/watch?v=OPepqf6oZ_4

Primeiro casal da Mocidade Independente de Padre Miguel tem nova coreógrafa para o Carnaval 2025

A Mocidade Independente de Padre Miguel anunciou nesta quinta-feira (23) a contratação de uma nova coreógrafa para o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira,...

Em busca do bi da Viradouro, Julinho espera repetir encerramento dos desfiles, enquanto Priscilla Mota não tem posição preferida

Campeã do Carnaval de 2025, a Viradouro vem em busca do bicampeonato. Com enredo já anunciado, a escola quer agora saber em que posição...