Nesta terça-feira, a partir das 16h, a Em Cima da Hora fará a escolha de samba, rumo ao Carnaval de 2023. Além da expectativa da comunidade de Cavalcanti pelo hino que vão cantar na avenida, Jorge Amarelloh, o rei da bateria da azul e branco, ressalta que o enredo “Esperança, Presente” traz um incentivo a mais para que a agremiação brilhe, resultando na vitória.

Foto: Divulgação

“Temos ótimos sambas na disputa e falar de esperança é algo que emocionante todos nós. Acredito que depois de uma fase conturbada pra todo brasileiro, agora é hora de seguir, buscando cada vez mais à esperança que existe em cada um de nós”.

Chamado carinhosamente pela comunidade de “Reizinho de Cavalcantei, Jorge Amarelloh está há dois anos à frente da bateria Sintonia de Cavalcanti. Sambista apaixonado, ele acumula funções de coreógrafo da comissão de frente do Acadêmicos do Engenho da Rainha; coordena os passistas do Paraíso do Tuiuti, cuida da parte coreográfica da amarelo e azul, além de, parceria com Alex Coutinho, administrar o projeto “Aos Passos do Paraíso”, que ensina samba no pé na quadra da escola de São Cristóvão.

Profissional reconhecido internacionalmente, Jorge Anarelloh começou sua trajetória com o ballet clássico e contemporâneo. Aos 15 anos, através de um intercâmbio, foi para Los Angeles, se aprimorar na dança. Jorge foi passista em diversas agremiações, como União da Ilha do Governador e São Clemente, além de ter sido diretor da ala de passistas da Alegria da Zona Sul.