InícioSão PauloIndependente Tricolor faz desfile seguro e alegorias luxuosas se destacam

Independente Tricolor faz desfile seguro e alegorias luxuosas se destacam

Abrindo os desfiles, escola executou uma apresentação de segurança e briga pela permanência no Grupo Especial

A Independente Tricolor abriu a primeira noite de desfiles do Grupo Especial do carnaval paulistano. O desfile da agremiação foi marcado pela regularidade. Uma escola bem organizada e sem erros notórios. O destaque principal vai para as alegorias, que levaram esculturas fenomenais. O carnavalesco Amauri Santos trabalhou com um realismo impressionante. Destaque também para o casal de mestre-sala e porta-bandeira, Jeff Antony e Thais Paraguassu, além de fantasias bem acabadas. A comissão de frente mostrou uma grande riqueza em sua coreografia, com um entendimento muito fácil do quesito após a visualização. A Independente Tricolor fechou o desfile com 1h04. O enredo da escola é intitulado como “Samba no pé, lança na mão, isso é uma invasão!”. * VEJA AQUI FOTOS DO DESFILE

Comissão de frente

A ala mostrou personagens na espécie de soldados gregos. A comissão era muito bem encenada, visto que apresentou lutas cativantes dentro da apresentação. Como era a representação de uma guerra, vale destacar o semblante que os componentes faziam. Era tudo muito intenso e esse combate era feito com espadas. Dentro da ala haviam três personagens principais, onde um duelava contra o outro e, este terceiro, carregando dois martelos era o responsável por tentar intermediar e separar o duelo.

Em determinado momento da dança, os personagens se separaram para saudar o público. Portanto, a coreografia encenada por Arthur Rozas, cumpriu todos os requisitos dentro do manual do jogador. Soldados vestidos nas cores dourada, vermelho e azul.

Mestre-sala e Porta-bandeira

Vestidos de ‘Guardiões do Reino’, o casal Jeff Antony e Thais Paraguassu, tiveram um desempenho satisfatório. Analisando a dupla em frente à cabine do recuo de bateria, notou-se alta sinergia entre ambos. Realizaram os passo dentro do samba, toques de mãos e sorriso no rosto. Cumpriram a proposta de forma válida. A fantasia do casal era muito luxuosa, trabalhada no preto e uma cor clara (quase branca).

Harmonia

O canto da comunidade fluiu de forma satisfatória. É fato que não repetiram a mesma dose dos três ensaios técnicos, mas a harmonia se encontrou com o canto e a bateria da escola. Vale destacar que o início do desfile foi grandioso, mas teve uma queda com o passar da apresentação. Principalmente após o recuo de bateria.

Enredo

O quesito segue o que é proposto. Dá para notar nas fantasias e alegorias muitos deuses, reis e príncipes. Isso é o que realmente aconteceu na Guerra de Tróia. Houve também muitos soldados, guerreiros, lanças, espadas e demais armas usadas em conflitos dessa intensidade.

O que chamou atenção é que o carro de Tróia foi o terceiro a passar pela pista. Em tese, esperava ser o primeiro, visto que é o centro do enredo.

Evolução

Foi um dos pontos principais do desfile. A escola se preocupou em montar uma escola compacta e não deixar nenhum vestígio. Uma prova disso foi a estratégia de colocar guardiões na frente e atrás do casal em linha reta. Tal efeito permitiu que não deixasse buraco entre a comissão de frente e o casal de mestre-sala e porta-bandeira.

O recuo de bateria, apesar de uma pequena lentidão para o abre-alas evoluir, a manobra foi feita de maneira correta e saiu como esperado.

Samba-Enredo

É uma obra cujo a melodia faz a comunidade cantar forte. Bem como o enredo, os componentes bravejaram e entoaram com muita força. Realmente foi como se eles fossem um guerreiro valente lutando pela escola na pista. Isso também se deve pelo fato de voltar ao Grupo Especial e abrir os desfiles, porém, como dito anteriormente, isso se perdeu ao decorrer do desfile. O intérprete Pe Santana teve um desempenho e se destacou nos ‘cacos’, onde colocou a comunidade para cima.

 

Fantasias

O acabamento das fantasias não deixou a desejar. Vale destacar que cada setor levou uma paleta de cores diferente e caprichou no luxo. A Independente apostou em costeiros volumosos e altos para preencher as alas e a pista. Como dito anteriormente, a tonalidade foi variada, mas o dourado predominou em várias partes. Vestidas de Afrodite, a deusa do amor, as baianas esbanjaram simpatia na cor dourada.

Alegorias

O abre-alas, que representa os guerreiros espartanos, teve como principal destaque a escultura de Ares, que ficava no alto do carro alegórico. Tal figura representa o Deus da guerra. A alegoria também tinha outras esculturas de guerreiros na parte lateral do carro. Vale destacar o incrível realismo que o carnavalesco Amauri Santos trabalhou nessas esculturas. As feições dos personagens eram bastante reais.

Um carro bem acabado e trabalhado no luxo. As cores branco e dourado predominaram quase que inteiramente a alegoria.

O segundo carro foi representando “Mistérios do mar de Poisedon”. Esta alegoria foi o destaque da agremiação na noite, visto que foi toda trabalhada em azul. Nas esculturas, havia quatro dragões se movimentando, sendo dois na parte de trás e dois na frente e, na parte alta, uma escultura de Poisedon, que é o deus dos mares e dos rios na mitologia grega.

A terceira alegoria levou “Tróia – O Reino de Príamo”. Este carro simbolizou uma espécie de castelo ou muralha. No desenho forrado havia formatos de tijolos.

Por fim, o último carro alegórico representou “A Invasão”. Esta alegoria simbolizou inteiramente o “Cavalo de Tróia”. Era um carro todo trabalhado no marrom no formato do animal. Na frente da alegoria também haviam encenações.

Outros destaques

A bateria ‘Ritmo Forte’, regida pelo mestre Cassiano Andrade foi representando o exército grego. A batucada se destacou por marcar muito bem o andamento do samba. Os surdos se destacaram perante aos outros naipes. As bossas foram realizadas de maneira estratégica e, na cabine de jurados, o repertório foi mostrado corretamente. Casal de mestre-sala e porta-bandeira foram cortejados por guardiões.

- ads-

Jackson Carvalho, Marcelinho Emoção e Fabão Rodrigues assumem Comissão de Harmonia no Arranco

Para o Carnaval 2025, o Arranco contará com uma Comissão de Harmonia formada por Jackson Carvalho, Marcelinho Emoção e Fabão Rodrigues. Jackson Carvalho começou sua...

Vizinha Faladeira será homenageada com conjunto de Medalhas de Mérito Pedro Ernesto

No próximo dia 23 de abril, a histórica Associação Recreativa Escola de Samba Vizinha Faladeira, uma das pioneiras no cenário do carnaval carioca, terá...

Jorge Silveira exalta preparação da Mocidade Alegre para ganhar duas categorias no Estrela do Carnaval: ‘São Paulo cada vez mais competitivo’

Em 2024, a Mocidade Alegre foi bicampeã do Grupo Especial do carnaval de São Paulo, conseguindo unir beleza e facilidade de leitura para tratar...