O presidente da Imperatriz Leopoldinense, Luiz Pacheco Drumond, solicitou junto ao Ministério Público do Rio de Janeiro uma reunião sobre a virada de mesa que salvou a agremiação de Ramos do rebaixamento no Carnaval 2019. Segundo informação veiculada pela TV Globo, o MP ainda não respondeu à verde e branca se aceitará o encontro.

Enquanto isso a Liesa tem até a próxima segunda-feira para efetuar o pagamento da multa de R$ 750 mil pelo descumprimento do termo de ajustamento de conduta (Tac) firmado com o MP em 2018, garantindo o cumprimento do regulamento. Se não realizar o pagamento, a entidade terá os bens penhorados.

Como Jorge Castanheira renunciou ao posto de presidente da Liesa, por discordar da decisão de oito escolas em não rebaixar apenas a Imperatriz, o vice-presidente Zacarias Siqueira de Oliveira é o responsável legal pela entidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui