Filho de Anísio Abraão David, patrono da Beija-Flor, o jovem Gabriel David, integrante do conselho da escola, está cada vez mais ativo nos assuntos relacionados ao carnaval. Na noite desta segunda-feira, ele participou do programa Bar Apoteose, da TV Paticumbum, e comentou a possibilidade do retorno dos ensaios técnicos no Sambódromo para o Carnaval 2019.

“Do ponto de vista técnico, eu não acho uma coisa tão importante. Tem outras formas que saem mais barato e você tem a mesma percepção técnica. Mas do ponto de vista que o carnaval é uma festa cultural, que da voz ao povo, o ensaio técnico não pode deixar de acontecer. Precisa acontecer. O que existe na realidade é que por conta do pouco tempo e da crise a Liga vai pontuar para todas escolas quais vão querer ou não fazer os ensaios”, disse Gabriel David.

Segundo ele, a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) desistiu de arcar com os custos dos ensaios técnicos e a responsabilidade ficou com as escolas de samba.

“A Liesa sempre arcou com os custos dos ensaios técnicos, deu dinheiro para escolas e ela parou de fazer isso. Ela não previu os problemas que poderiam acontecer e que vieram acontecer. Não se preparou e não preparou as escolas. É equivocado colocar a culpa nas escolas. Na verdade, a culpa é da Liesa. É muito fácil como Beija-Flor falar que vou para o ensaio técnico, mas como Império Serrano pode significar uma ala a menos ou a mais na Avenida. A Liga não tem visão de futuro. Não sabe onde aquilo vai. Não tem planejamento. Não é dinâmica. Lá é tudo muito devagar. Se o prefeito da uma declaração esculachando o carnaval, a Liga tem obrigação de ir lá e responder. A gestão das escolas também tem sua parcela de culpa. “.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui