Um bom desfile da bateria “Cadência da Baixada” da Inocentes de Belford Roxo, no retorno de mestre Washington Paz. Um ritmo marcado pelo andamento confortável e equilíbrio entre os naipes. Com bossas bem integradas ao samba-enredo, a concepção criativa praticamente intuitiva auxiliou no ritmo produzido.

Uma parte de trás do ritmo com boa afinação foi notada. Surdos de primeira e segunda tocaram de modo seguro, assim como surdos de terceira contribuindo dando um bom balanço aos graves. Repiques ressonantes tocaram de forma interligada a um naipe de caixa de guerras consistente.

Nas peças leves, um naipe de tamborins com bom volume executou um desenho rítmico simples, que pontuava as nuances melódicas do samba da escola. Uma ala de chocalhos de nítida virtude sonoro também auxiliou no preenchimento da sonoridade da cabeça da bateria “Cadência da Baixada”. Assim como um naipe de cuícas seguro tocou com solidez.

Bossas com boa integração musical com o samba-enredo da escola de Belford Roxo, se baseavam nas variações melódicas da obra para consolidar o ritmo. O destaque ficou por conta do impacto sonoro provocado pelo bom balanço da bossa do refrão do meio. Sua concepção criativa bem intuitiva ajudou na conexão com o samba da agremiação.

A apresentação na primeira cabine (módulo duplo) foi correta. Já a apresentação na segunda cabine foi, sem dúvida, a mais segura e produtiva do desfile. E na última, mais uma boa e enxuta exibição finalizou o bom desfile da bateria “Cadência da Baixada” da Inocentes de Belford Roxo, sob o somando de mestre Washington Paz.