InícioGrupo EspecialEquilíbrio total na Tijuca! Parcerias de Totonho e Júlio Alves fazem melhores...

Equilíbrio total na Tijuca! Parcerias de Totonho e Júlio Alves fazem melhores apresentações da última eliminatória

Parcerias de Sereno e de Eduardo Medrado também se destacaram em mais um dia de disputa

A Unidos da Tijuca fez na noite da última quinta-feira, em sua quadra, mais uma etapa da eliminatória de samba-enredo para o Carnaval 2024. O site CARNAVALESCO, através da série “Eliminatórias”, esteve presente. Abaixo, você pode conferir a análise de cada apresentação. Clicando aqui você vê como foi a semana passada.

Parceria de Márcio André: A primeira parceria da noite foi composta pelos compositores Márcio André, Igor Federal, Daniel Katar, Bello, Diogo Nogueira e Igor Leal. O palco foi bem conduzido pelo intérprete da União da Ilha, Nêgo. A torcida marcou grande presença com balões e bandeiras. Eles cantaram o samba, principalmente, o refrão de cabeça, antes mesmo da apresentação começar e após o término continuaram a cantar o refrão principal. A primeira parte do samba com a sua melodia diferenciada foi um dos grandes momentos da apresentação, pois a cada passada do samba era possível notar os desenhos melódicos que essa primeira parte possuía. A segunda parte caia um pouco a apresentação, não contagiando a galera. O refrão principal foi o grande destaque se levarmos em consideração a parte do samba mais cantada pela torcida. Não foi possível notar os segmentos cantando o samba.

Parceria de Leandro Gaúcho: Segunda parceria da noite foi composta por Leandro Gaúcho, Gustavinho Oliveira, Marcus Lopes, Josemar Manfredini, Aldir Senna e Alexandre Cabeça. A torcida levou bandeiras do Brasil e Portugal e balões. Quando acabou a apresentação a torcida continuou cantando o refrão de cabeça. No início foi possível notar que o som não estava com uma qualidade bacana. Emerson Dias tentou levantar a galera com a sua habitual alegria junto com os cantores de apoio de qualidade e obteve êxito no refrão principal. O diretor de carnaval, Marquinho Marino, e o diretor de Harmonia, Fernando Costa, se desdobraram para resolver o problema do som. O refrão principal foi o grande destaque da apresentação, que foi berrado pela torcida. O refrão do meio era difícil para cantar e a torcida não manteve o mesma regularidade. A melodia na segunda parte do samba, em especial a parte “Em trovas, sonetos”, mais uma vez, foi um dos destaques da apresentação. Algumas integrantes da velha-guarda cantavam o samba com bastante entusiasmo. Infelizmente, o som prejudicou a parceria, pois o samba tem qualidade para produzir mais.

Parceria de Sereno: A terceira parceria foi composta pelos compositores Sereno, Danny da Vila, Jb Oliveira, Camila Lúcio, Deiny e Mano Kleber. Diferente das primeiras torcidas, essa cantava muito o samba todo, e quando chegava no refrão de cabeça explodia. Após o término da apresentação, a torcida continuou cantando o refrão principal. Wander Pires com a sua bela voz conduziu o palco, mas o som atrapalhou também a parceria. A melodia é belíssima, além disso, é uma obra com pegada de avenida. O refrão de cabeça foi muito bem cantado pela galera e outro ponto forte da apresentação foi a cabeça do samba com “Orfeu da Conceição, dedilha o fado em sua lira” a levada é sensacional, e não é só na cabeça, mas a primeira do samba em sua totalidade. A construção melódica na segunda parte também é ótima. Creio que para as próximas apresentações, a parceria pode levar um pouco de mais potência para o palco para ajudar o excelente Wander Pires e os cantores de apoio Wandinho e Danielli Roxo Trindade.

Parceria de Gilmar L Silva: A quarta parceria da noite foi composta por Gilmar L Silva, Mauro Gaguinho de Araruama, Marquinho Bombeiro, Sérgio Pires, Fernando Gogó de Ouro e Pires de Praia Seca. A torcida trouxe balões e bandeiras, assim como as outras que se apresentaram. Serginho do Porto mandou bem demais na condução do palco junto com os seus cantores de apoio. O rendimento do samba foi regular, com grande destaque para o início do refrão de cabeça e para a cabeça do samba. Melodicamente entrega mais na primeira parte do que na segunda parte. Ao longo dos 20 minutos, o samba foi caindo um pouco. Não teve adesão dos segmentos na quadra.

Parceria de Totonho: A quinta parceria foi composta pelos compositores Totonho, Fadico, Marcelo Adnet, Dudu, Gabriel Machado, Rodrigo Alves e com as participações especiais de Cláudio Mattos e Cadu Cardoso. A torcida deu um show a todo momento. Antes mesmo de começar a apresentação, eles cantavam muito principalmente o refrão de cabeça. Eram bandeiras para tudo quanto é lado. O intérprete da Mocidade Alegre, Igor sorriso, conduziu muito bem o palco e contou com a ajuda de luxo de Igor Vianna, intérprete da Unidos de Bangu. A apresentação foi muito forte e contou com alguns trunfos, como por exemplo a virada melódica na segunda parte do samba “Portugal”. A chamada para o refrão de cabeça é sem dúvida outro trunfo da parceria que começa com “Oh Santa! Oh Santa! Fátima vos peço em oração”. Os dois refrãos foram destaques também, principalmente, o primeiro que foi berrado pela torcida e por muita gente que estava assistindo.

Parceria de Júlio Alves: A penúltima parceria foi composta por Júlio Alves, Cláudio Russo, Jorge Arthur Silas Augusto, Chico Alves e D’Sousa. A torcida foi pequena, pois grande parte teve um imprevisto e não conseguiu chegar. Tinga foi excelente no palco, junto com o seu time de apoio e não deixaram cair o samba em nenhum momento. A apresentação foi forte e tiveram alguns pontos de destaques. O primeiro grande ponto é a força que tem o segundo refrão da parceria, um dos melhores de toda a disputa. Tinha uma galera cantando esse refrão, inclusive, alguns integrantes da bateria “Pura Cadência”. O refrão de cima também passou bem assim como na semana passada. As variações melódicas na segunda parte do samba também chamaram atenção. Foi possível notar alguns integrantes da bateria animados com a passagem do samba. Foi uma apresentação muito boa.

Parceria de Eduardo Medrado: A última parceria foi composta pelos compositores Eduardo Medrado, Kleber Rodrigues, Adolpho Konder, Sandro Nery, André Braga e Luiz Pavarotti. A torcida veio numerosa com bastante bandeiras, mostrando ânimo do início ao fim, e mesmo após o fim da apresentação continuou cantando o refrão principal. Tem-tem Júnior e Chitão Martins defenderam bem samba, junto com os cantores de apoio. Diferente da semana passada, a apresentação foi muito boa do início ao fim. A melodia diferente dessa vez encaixou mais principalmente na primeira parte do samba. O refrão de cabeça sem dúvidas foi o grande destaque mais uma vez levantando a galera. Apesar da melodia não ser de fácil assimilação, principalmente, a segunda parte do samba, foi notável a melhoria de rendimento.

- ads-

É a bateria do Zaca! Mestre Serginho se diz contente pela proposta diferente e conquista do Estrela do Carnaval

A “Bateria do Zaca” vive uma fase espetacular. É o segundo ano consecutivo em que a batucada comandada por mestre Serginho conquista os 40...

‘Reflete a alma e a ancestralidade que o Salgueiro tanto valoriza’, diz Jorge Silveira sobre o enredo para o Carnaval 2025

O carnavalesco Jorge Silveira falou sobre o enredo do Salgueiro para o Carnaval 2025, que foi divulgado na noite desta sexta-feira. Intitulado "Salgueiro de...

Conheça o enredo do Salgueiro para o Carnaval 2025

“De corpo fechado”: preparo o tacho de óleo de oliva, arruda, guiné, alecrim, carqueja, alho e cravo. Com o sinal da cruz na fronte,...