InícioGrupo EspecialEliminatória da Beija-Flor: Parceria de Léo do Piso dá show e obras...

Eliminatória da Beija-Flor: Parceria de Léo do Piso dá show e obras de Junior Trindade e Kirraizinho fazem ótimas apresentações

Parceria de Sidney de Pilares também faz boa apresentação em Nilópolis

A Beija-Flor de Nilópolis abriu as portas de sua quadra, na noite da última quinta-feira, para mais uma eliminatória da disputa para escolher o hino oficial para o Carnaval do ano que vem. Dando sequência a série “Eliminatórias”, a reportagem do site CARNAVALESCO esteve presente e acompanhou mais uma fase da competição. Ao todo, oito obras se apresentaram e o samba da parceria Moisés Silva acabou sendo cortado. A próxima etapa do concurso de samba-enredo da azul e branca ocorrerá em 21 de setembro.

Foto: Eduardo Hollanda/Divulgação Beija-Flor

Em 2024, a Beija-Flor terá como enredo “Um delírio de Carnaval na Maceió de Rás Gonguila”, assinado pelo carnavalesco João Vitor Araújo. Na ocasião, a Deusa da Passarela será a segunda agremiação a passar pelo Sambódromo da Marquês de Sapucaí no domingo, dia 11 de fevereiro, pelo Grupo Especial. Esta será a primeira vez que a azul e branca desfilará nesta posição.

Parceria de Nurynho Almawi: A obra assinada pelos compositores Nurynho Almawi, João Fernandes, Márcio Oliveira, Professora Tânia, Gylnei Bueno e Professora Marli Jane foi a primeira a se apresentar. A torcida não estava numerosa, mas fez barulho, trazendo balões e alguns dizeres em cartazes. Nurynho, que é um dos compositores, comandou a rapaziada do palco e mostrou potência. Sem dúvida alguma o verso “Sou comunidade não dá pra negar” ecoou na apresentação do samba 300, pois foi o mais cantado pela torcida e por algumas pessoas que acompanhavam. Outra parte que se destacou na apresentação foi a chamada para o refrão de cabeça “Maceió, o nosso povo chega pra te ver, com uma vontade louca de vencer, eu vou mostrar por quê”. O refrão do meio não empolgava como o primeiro, talvez, pelo fato dele ser muito corrido e praticamente sem tempo para os intérpretes respirarem. Foi uma apresentação regular da obra.

Parceria de Junior PQD: a obra é assinada pelos compositores Junior PQD, Rodrigo Tinta, Márcio França, Nando Souza, Robinho Donozo, JC Saraiva e com participações especiais de Thiago Sodório, André Araújo e Cleissinho Teixeira. A torcida fez bonito, comparecendo em bom número trazendo as tradicionais bandeiras. O samba foi bem conduzido pelo promissor Ronaldo que pertence ao carro de som da Beija-Flor. A variação melódica “Papai contava, que a realeza esbanjava raça” passou muito bem na quadra, sendo um dos destaques. Um outro destaque é o refrão de cabeça que a torcida cantava bastante. Assim como na primeira parceria, o refrão do meio apenas passou e não levantou a galera. Não foi possivel observar segmentos aderindo ao samba.

Parceria de Junior Trindade: A obra é assinada pelos compositores Junior Trindade, Rômulo Presidente, Gilberto Oliveira, Samir Trindade, Robinho e Thiago Portela. A torcida bem grande deu um show antes mesmo de começar a apresentação, cantando sem parar o refrão principal. Marquinho Art Samba e Tiganá conduziram muito bem o samba. A apresentação foi forte do início ao fim, mostrando que está forte na disputa para ser o hino da Beija-Flor. O refrão principal foi uma explosão na quadra, onde todos cantavam muito. A cabeça do samba, mais uma vez, foi um grande destaque, evidenciando a beleza na melodia. A chamada para o refrão de cabeça com o verso de efeito “Não é delírio algum a minha Escola campeã de novo” era berrado também pela torcida. Durante a apresentação foi possível notar alguns segmentos cantando o samba, como harmonia, bateria e baianas. Uma apresentação convincente e forte da parceria.

Parceria de Léo do Piso: A obra assinada pelos compositores Léo do Piso, Diego Oliveira, Diogo Rosa, Júlio Assis, Manolo e Wilson Tatá, se apresentou logo depois do samba 5 e deu um verdadeiro show. A torcida gigantesca fez uma festa danada durante toda a apresentação com direito até a bolinhas de sabão, agregando com o show que estava acontecendo no palco. Tinga e Pitty conduziram com a mesma excelência habitual. Foram vários pontos de destaques: cabeça do samba fortíssima, melodia que não se arrasta, com variações melódicas tanto na primeira parte quanto na segunda parte do samba. A chamada para o refrão principal provocou um alvoroço na torcida e da galera que acompanha: “Quem nasceu pra vencer não escolhe a missão, tem na veia a coragem e axé no coração”. O refrão principal foi um espetáculo à parte, pois era berrado pela torcida. Alguns componentes da bateria estavam cantando o samba, assim como integrantes da harmonia. Uma excelente apresentação do samba 1 que vai mostrando suas credencias a cada apresentação.

Parceria de Kirraizinho: A obra assinada pelos compositores Kirraizinho, Lucas Gringo, Wilsinho Paz, Venir Vieira, Marquinhos Beija-Flor e Dr Rogério, mostrou que está crescendo na disputa se apresentando muito bem nesta etapa. A torcida estava em grande número e fez bonito na quadra. Emerson Dias foi ótimo na condução do samba e contou com um time de respeito no palco, Igor Vianna, Charles Silva e Igor Pitta. A parte mais cantada pela torcida, sem dúvida, foi o verso “Aqui é Beija-Flor doa a quem doer”. Na verdade, ele não era cantado, era berrado. A melodia não é de fácil compreensão, mas passou bem e não teve problemas. O segundo refrão foi bem animado, e em todas as passadas era possível ver a galera cantando e pulando. Foi possível notar alguns segmentos cantando o samba como baianas e harmonia. Apresentação muito boa do samba 23.

Parceria de Sidney de Pilares: A obra assinada pelos compositores Sidney de Pilares, Jorginho Moreira, Orlando Ambrósio, Lico Monteiro, Cláudio Gladiador, Ailson Picanço e com participações especiais de Myngauzinho, Gigi da Estiva e Richard Valença, passou bem na quadra. A torcida com suas inúmeras bandeiras fez a sua parte berrando o samba em sua totalidade antes mesmo de começar a apresentação. Zé Paulo conduziu muito bem o samba junto com a rapaziada do apoio. O samba conta com uma melodia diferenciada e isso fica visível logo na cabeça. O falso refrão do meio passou muito bem, animado com uma levada gostosa. O refrão de cabeça é forte e foi muito cantado pela torcida. Um dos pontos altos novamente foi na parte do “Ê pajuçara Ê pajuçara” evidenciando a boa melodia da obra e a animação. Foi possível notar alguns componentes cantando o samba. Foi uma boa apresentação do samba 39.

Parceria de Serginho Sumaré: A obra assinada pelos compositores Serginho Sumaré, Xande Ribeiro, Nelson Oliveira, André do Cavaco, Filipe Zizou, Ali Gringojabr e participações especiais de Cláudio Vagareza, Leo Freire e Luciano Gomes, encerrou a noite de apresentações. A torcida do samba 54 também compareceu e fez bonito. Evandro Malandro e Nino do Milênio tiveram uma atuação muito boa na condução do samba. O ponto alto da apresentação foi o segundo refrão que era bem divertido. O samba tem uma caída na segunda parte e melhora na parte “A corte nilopolitana, chega exaltando”. O refrão de cabeça cumpriu bem o seu papel na apresentação. Foi possível observar alguns integrantes da harmonia cantando o samba.

- ads-

Nícolas Gonçalves acerta com Tucuruvi para fazer parceria com dupla de artistas da escola

Além da renovação de Dione Leite e Yago Duarte, o Tucuruvi anunciou a chegada do carnavalesco Nícolas Gonçalves que estará na parceria com a...

Tucuruvi anuncia renovação de carnavalescos para o desfile de 2025

O Tucuruvi anunciou nesta segunda-feira a renovação da dupla de carnavalescos, Dione Leite e Yago Duarte, para o desfile do ano que vem. Confira...

Elogiado e recomendado no passado por Laíla, Marquinho Marino fala da chegada na Beija-Flor: ‘sei do tamanho e magnitude’

Considerado um dos melhores diretores de carnaval do Rio de Janeiro, Marquinho Marino chegou na Beija-Flor. Em entrevista especial para o site CARNAVALESCO, ele...