InícioGrupo Especial'É tradição e o samba continua': integrantes da Vai-Vai falam sobre a...

‘É tradição e o samba continua’: integrantes da Vai-Vai falam sobre a retomada da escola

Componentes exaltaram a força da comunidade e o samba e enredo escolhidos; comissão de frente promete surpresas

Maior campeão do Grupo Especial do carnaval de São Paulo, o Vai-Vai está, pela segunda vez na história, no Grupo de Acesso em 2023. Como fazer com que tal pavilhão tão tradicional da folia paulistana se reerga com força? Para integrantes da comunidade, a força do enredo “Eu Também Sou Imortal”, apresentado pela própria agremiação em 2005, e a comunidade são as principais forças motrizes para o ressurgimento da instituição. O CARNAVALESCO conversou com integrantes da escola da Bela Vista no primeiro ensaio técnica da escola no Anhembi.

Força da comunidade

Dentre os ouvidos, há uma unanimidade: a comunidade da escola segue como a principal força da Vai-Vai. Talita Magalhães, integrante da comissão de frente da escola, dá o tom: “Além do engajamento, que sempre foi muito forte na escola, todos que permanecem com esse engajamento levam a escola para outro patamar. Nós precisamos dessa energia para subir, e está todo mundo empenhado e se dedicando muito. Eu acredito que o amor pela escola fala mais alto nessa hora. Está todo mundo muito empenhado. A comunidade, mais do que nunca, está brilhando”, pontuou.

Fernando Ferreira, que desfila na agremiação há oito anos, concorda. “Sinto a escola muito envolvida, sim. A escola está mais envolvida, esse ano está ainda mais, estamos com a garra de subir e levar a Vai-Vai para onde ela nunca deveria ter saído”, pontuou.

Maria Alice de Carvalho e Juciara Alves, integrantes do Vai-Vai (Foto: Will Fernandes/Site CARNAVALESCO)

Dora Dias, integrante da ala das baianas da escola, destacou o espírito de luta dos componentes para o desfile de 2023. “Nós estamos no lugar errado. O Vai-Vai tem que ficar no Grupo Especial. Agora, o pessoal vem com a fome. Respeito as outras coirmãs, mas Vai-Vai é Vai-Vai. Gosto de todas, mas a minha raiz é Vai-Vai”, destacou, aproveitando para exaltar o glorioso passado da instituição.

Dora Dias integrante da ala das baianas da Vai-Vai (Will Ferreira/Carnavalesco)

Maria Alice de Carvalho também pontuou tal força, falando forte. “A nossa comunidade é muito forte, e quem está aqui é verdadeiramente Vai-Vai. Quem não está, não é”. Ela foi acompanhada de Juciara Alves – que desfilará na mesma ala. “Acho que a força da comunidade e o calor das pessoas vão mudando, trazendo mais emoção e transformação”, pontuou.

Transformação

O Vai-Vai passou por momentos de grande instabilidade desde o primeiro rebaixamento da história da agremiação, no ano de 2019. Darly Silva, conhecido como Neguitão, se afastou do comando da escola pouco depois do rebaixamento, com Anna Maria Murari, vice-presidente de maneira oficial, substituindo-o na prática. Nascida em Roma, a descendência italiana da então integrante do conselho gestor trouxe identificação com a comunidade do Bixiga, região de forte influência de imigrantes do país e com grande quantidade de cantinas – restaurantes típicos do país europeu.

- ads-

Jackson Carvalho, Marcelinho Emoção e Fabão Rodrigues assumem Comissão de Harmonia no Arranco

Para o Carnaval 2025, o Arranco contará com uma Comissão de Harmonia formada por Jackson Carvalho, Marcelinho Emoção e Fabão Rodrigues. Jackson Carvalho começou sua...

Vizinha Faladeira será homenageada com conjunto de Medalhas de Mérito Pedro Ernesto

No próximo dia 23 de abril, a histórica Associação Recreativa Escola de Samba Vizinha Faladeira, uma das pioneiras no cenário do carnaval carioca, terá...

Jorge Silveira exalta preparação da Mocidade Alegre para ganhar duas categorias no Estrela do Carnaval: ‘São Paulo cada vez mais competitivo’

Em 2024, a Mocidade Alegre foi bicampeã do Grupo Especial do carnaval de São Paulo, conseguindo unir beleza e facilidade de leitura para tratar...