InícioGrupo EspecialGrande RioDisciplinada, Grande Rio faz último ensaio de rua do ano perfeita na...

Disciplinada, Grande Rio faz último ensaio de rua do ano perfeita na parte técnica e sobrando na garra dos componentes

Apenas a comissão de frente não participou deste último teste em 2023

A Grande Rio deu um até logo aos ensaios na Avenida Brigadeiro Lima e Silva, a agremiação fará uma pausa para o Natal e Ano Novo nas próximas duas semanas. E fechou com chave de ouro este ciclo, tendo muita correção e eficiência em todos os seus quesitos, disciplinada, organizada mas com a garra do componente para evoluir e cantar bastante o samba de 2024. Apenas a comissão de frente não participou deste último teste em 2023. Evandro Malandro e mestre Fafá mostraram o entrosamento de sempre, e o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Daniel Werneck e Taciana Couto foram muito bem mais uma vez, tendo eficiência nos movimentos e mostrando um algo a mais nas coreografias. Agora o desafio para janeiro é manter o foco e não deixar o nível cair, voltar com o astral e a técnica lá em cima para se preparar para o ensaio técnico na Sapucaí que para a Tricolor de Caxias acontece em 28 de janeiro.

O diretor de carnaval Thiago Monteiro, ao fim do ensaio, avaliou junto a reportagem do CARNAVALESCO como foi o rendimento desta finalização de um primeiro ciclo de preparação para o carnaval 2024.

“A minha avaliação é muito positiva. Esse foi o último ensaio de rua do ano e a gente completa esse ciclo de 2023 de forma muito feliz. Acho que a escola está cantando, está atingindo um nível de canto muito bom. Lógico, é cada vez mais dentro desse nosso processo de sempre, sempre exigindo cada vez mais. Hoje, seguramente, é o ensaio que nós tivemos a comunidade mais presente, mais cheio. E isso é normal, agora em janeiro, além de ter uma escola lotada, a gente vai ter o povo de Caxias ainda mais cheio, embora hoje a presença já tenha sido muito boa”, avalia Thiago.

O diretor de carnaval da Grande Rio também revelou que a escola busca usar os ensaios na Avenida Brigadeiro Lima e Silva, no centro de Duque de Caxias, para testar diversas situações que possam acontecer no desfile oficial na Sapucaí.

“Hoje nós temos umas questões técnicas que a gente ensaia na Brigadeiro e tem conseguido ensaiar isso. A gente tem feito algumas simulações, e até são coisas internas, as pessoas nem percebem, e simulados algumas coisas para que na hora do desfile se precisar, a gente possa lançar mão de uma coisa ou outra. Treino é treino , jogo é jogo, mas a gente tem que tentar no máximo reproduzir o que pode vir acontecer conosco na hora do jogo. Saio muito satisfeito e feliz, parabéns para a comunidade, parabéns para os segmentos, vamos entrar agora em 2024, que é tão curto esse início de ano, mas botando essa onça para rugir forte”, projeta o profissional.

Em 2024, a tricolor de Caxias levará para a Marquês de Sapucaí o enredo “Nosso destino é ser onça”, dos carnavalescos Gabriel Haddad e Leonardo Bora, e será a quarta escola a desfilar no domingo de carnaval.

Mestre-sala e Porta-bandeira

Com o desafio de abrir o desfile já que neste treino não havia comissão de frente, Daniel Werneck e Taciana Couto apresentaram uma coreografia, como característica do casal, mesclando passos mais clássicos do quesito, mas investindo também em movimentos mais coreografados, pontuando bastante o samba. E esses movimentos deram todo um charme e um destaque para a dança, como por exemplo no trecho do samba ” Kiô! Kiô, Kiô, Kiô, Kiera” em que apontavam os braços e os movimentavam como flechas, apontando um para o outro. Vestidos de branco, logo na cabeça do samba, no ” trovejou” , erguiam um braço para o alto e iniciavam movimentos mais intensos. Na segunda vez do refrão do meio, no ” É preta, parda, é pintada feita a mão…” a dupla fazia um movimento muito de muita beleza com os braços e o tronco indo e voltando, na métrica do samba, bem sincronizado, que produziam um belíssimo efeito. Apresentação sem defeitos.

Harmonia

O canto da escola tem sido um destaque e mesmo que muitas vezes o samba seja avaliado ou taxado como uma obra com palavras difíceis, encontros de fonemas que possam dificultar a desenvoltura no canto, a comunidade esteve bem à vontade com a letra e com a melodia da obra, se mostrando bem treinada com as partes que podem dificultar um pouco mais como a entrada da segunda do samba. E importante, o público que acompanhava o ensaio também cantou junto, inclusive as partes consideradas mais “trava-linguas”. Membros da direção de harmonia da escola, que também é formada por Cacá Santos e Andrezinho, Clayton Bola e Jefferson Guimarães falaram sobre o trabalho realizado pela escola para ter êxito no canto da comunidade, com ou sem palavras difíceis.

“O nosso trabalho na quadra tem sido muito intenso para que o canto possa chegar forte na rua, o chão da Grande Rio é tão forte que não tem samba que eles falaram que seria um trava língua. E o chão da Grande Rio está provando que não tem trava língua, a comunidade caiu pra dentro, e cada treino está sendo melhor que o anterior”, acredita Clayton.

“Muitas escolas já vieram com sambas até mais difíceis que o nosso. Na verdade, a gente tem mostrado que não existia dificuldade com o samba, era uma questão de treinamento, ensaio exaustivo e o resultado é esse aí que a gente está vendo no ensaio de rua. Tem coisa para melhorar? Sempre tem. Todo o ensaio é diferente porque a gente sempre tenta melhorar uma coisinha ou outra, para a gente tentar chegar no dia 100%”, entende Jefferson.

Evolução

A escola terminou o seu desfile pela Avenida Brigadeiro Lima e Silva com cerca de pouco mais de 1h10, fruto de uma evolução bem cadenciada, dando oportunidade do componente brincar bastante o samba, no ritmo também de como o departamento musical tem planejado o samba para escola. Mas também com muita garra, e principalmente nas primeiras alas apostando em alguns movimentos coreográficos, algumas alas em si mais voltadas para esse aspecto no seu desfile predominante, e outras mais restritas a alguns pequenos trechos do samba. Pode-se ver no ensaio muita gente carregando algum apetrecho, desde bolas, bastões iluminados ou bastões enfeitados na temática do Natal. Evolução próximo da perfeição, sem buracos ou alas se embolando.

Samba-enredo

A obra escolhida para 2024 da Grande Rio tem características bastante peculiares e se molda ao que Evandro Malandro e Fafá, responsáveis pelo departamento musical da escola, têm pensado para a agremiação em termos de samba e que tem sido chancelado pela diretoria da Grande Rio. Além disso, a obra se apoia muito no enredo, e apresenta muito da encantaria e do misticismo. O andamento também se molda às características da bateria da Grande Rio, e, como tem sido em outras apresentações, neste treino, o samba valorizou muito o trabalho das cordas e permitiu que a parte harmônica dos instrumentos como violão de sete e cavaquinho casasse inclusive com as bossas de Fafá. No trecho ” Sussuarana no sertão que vem e vai” era possível ouvir clareamento e de forma limpa o grave do violão de sete cordas se relacionando com o ritmo mais puxado para uma batida de baião da bateria. Se o samba com suas características mais melódicas será bem visto pelos jurados, apenas na apuração na quarta-feira de cinzas vai se descobrir, mas o que não se pode negar é o ótimo trabalho musical que a escola, principalmente nas figuras de Fafá e Evandro, tem feito com a obra.

Outros destaques

Antes do ensaio, a emissora detentora dos direitos de transmissão dos desfiles da Liesa fez uma ação e gravou alguns vídeos. O processo contou com a participação de Milton Cunha que foi bastante tietado pelo público que compareceu ao ensaio. Antes do treino começar, o presidente Milton Perácio desejou feliz natal e agradeceu a comunidade pela dedicação neste final de ano e único de preparação para o carnaval de 2024. Emocionado, o mandatário convocou de forma bastante inflamada o componente não só no ensaio de hoje a mostrar sua garra, mas para a reta final de preparação a partir de janeiro. Algumas beldades chamaram a atenção do público, como a musa da escola Mulher Melão que vinha logo no início e a musa Luciene Santinha, a frente dos passistas que deram um show de samba no pé. No final, uma grande ala de crianças mexia muito com o público pela fofura e vontade com que cantavam o samba. Assim como foi bonito ver a ala de casais mirins defendendo o pavilhão.

- ads-

Império Serrano anuncia que Darlin não é mais rainha de bateria da escola

O Império Serrano anunciou nesta sexta-feira que Darlin Ferrattry não segue cono rainha de bateria para o Carnaval 2025. Veja o comunicado da escola. "A...

Carnavalescos da Grande Rio promovem visita mediada em exposição neste sábado

Neste sábado, 02 de março, às 14h, acontecerá uma visita mediada pela exposição "Laroyê, Grande Rio!", em exibição no Museu de Arte do Rio,...

União da Ilha anuncia saída do casal de mestre-sala e porta-bandeira

A União da Ilha anunciou nesta sexta-feira a saída do casal de mestre-sala e porta-bandeira, Thiaguinho e Amanda. A dupla recebeu o prêmio "Estrela...