Concorrendo pela primeira vez e caçula na competição, o jovem João Vitor Tavares Frazão Araujo, 18 anos, professor de dança e estudante, é um dos cinco finalistas do concurso que vai coroar o Rei Momo do carnaval de 2024. Representando a Rosa de Ouro na disputa, começou no mundo do samba aos sete anos de idade, quando desfilou na ala das crianças. Atualmente, ele é muso da agremiação de Oswaldo Cruz. Após passar para a última etapa do concurso, o candidato à corte do carnaval carioca conversou com o site CARNAVALESCO e respondeu uma série de perguntas.

A grande final do concurso que vai definir o próximo Rei Momo acontece no dia 1º de setembro, a partir das 20 horas, na Cidade do Samba com entrada gratuita. A majestade do carnaval de 2024 vai receber um prêmio de R$ 45 mil. O segundo colocado será eleito vice-Rei Momo e receberá uma quantia de R$ 8 mil.

Fotos: Alexandre Macieira e Luciola Villela/Riotur

CARNAVALESCO: Para você, o que representa chegar na final do concurso?

João Vitor: “Representa toda uma dignidade de um passista que luta em busca de seu sonho em busca de defender a sua bandeira, que é o samba, o riscado e a malandragem do passista. Foi o que eu vim representando nessa semifinal e foi isso que me levou à final desse concurso. Para mim, representa toda a luta e força de vontade de chegar até aqui. Chegar tão novo no concurso do Rei Momo do carnaval é mostrar para todos os meninos que sonham que nós podemos sim, conseguimos sim. Ser um espelho para eles, porque hoje sou eu, mas amanhã pode ser outro menino, daqui pra frente podem ser outros meninos. Isso é o legado que eu quero deixar: mostrar para eles que independente de idade, se a gente tem postura e dignidade de conseguir chegar aonde quer, a gente vai à luta. É essa mensagem que eu quero deixar pras pessoas. Não importa a idade. Importa a postura, a dignidade, a compreensão e a consciência. Tudo isso importa bastante”.

CARNAVALESCO: Coroado como Rei Momo, o que você planeja levar para o Carnaval?

João Vitor: “Eu tenho um projeto que atualmente está parado. É o projeto ‘Fazendo o bem sem olhar a quem’ onde eu ajudo moradores de rua. Eu comecei nesse projeto com treze anos de idade e uma das coisas que eu vou investir será neste projeto. Arcar com todos os custos do concurso também. Está sempre representando a corte da melhor maneira, sempre bem arrumado, compostura de um rei. Essas são as minhas metas se eu ganhar o concurso de Rei Momo do carnaval de 2024”.

CARNAVALESCO: Como você vai se preparar para a final?

João Vitor: “Estou me preparando bastante, preparando a minha oratória também. Estou trabalhando com dois professores incríveis, e com bastante treino com a minha mestra Nilce Fran e meu mestre Emanuel Lima. A minha preparação vai ser durante toda semana e incansavelmente, porque eu quero trazer essa coroa pra Oswaldo Cruz – que é onde eu nasci e a gente precisa dessa coroa lá, dessa representatividade”.

CARNAVALESCO: Caso ganhe, o que você vai fazer com o prêmio de R$ 45 mil?

João Vitor: “Uma das coisas que eu vou investir é no meu projeto, além de ajudar a minha escola, porque querendo ou não é uma escola que precisa de ajuda. A gente era da Série Prata da Intendente Magalhães mas, descemos para a Série Bronze. É uma escola com história, com dignidade, que vai à luta e tem uma presidente guerreira – que luta pra colocar um Carnaval na rua. Poder ajudar a minha escola a voltar ao lugar que ela nunca deveria ter saído vai ser muito importante”.