Após 19 obras iniciarem o processo de escolha do samba-enredo da Academia para 2023, agora só restam três hinos sonhando em ocupar esse posto no próximo carnaval. O enredo “Delírios de um paraíso vermelho” está sendo desenvolvido pelo recém chegado carnavalesco Edson Pereira. Pedrinho da Flor, Moisés Santiago e Marcelo Motta encabeçam as parcerias finalistas. O site CARNAVALESCO conversou com um representante de cada uma dos três grupos para saber como anda a ansiedade para a grande final e sobre o que veem de mais especial em suas obras. * OUÇA OS SAMBAS FINALISTAS

Foto: Ewerton Pereira/Divulgação Salgueiro

Na parceria de Pedrinho da Flor estão também Arlindinho, Leonardo Gallo, Gladiador, Vanderlei Sena, Ramon Quintanilha, Renato Galante e o compositor vitorioso pelo Salgueiro Demá Chagas que faleceu recentemente. Leonardo Gallo falou sobre a sensação de concorrer em mais uma disputa de samba.

“Está sendo diferente, indescritível porque é muita emoção. Cada disputa é diferente. E essa está tendo um sabor, porque é depois da pandemia e o povo abraçar da forma que abraçou, igual agora na nossa passagem. Não tenho palavras, é muito emocionante. E o nosso samba ele fala na essência do Salgueiro. A gente já começa com ” avistei na subida da ladeira o paraíso “, então já é o morro do Salgueiro. O paraíso é no morro e a nossa escola em si. E o refrão arrebatador”, acredita o poeta.

Com Marcelo Motta também estão os compositores Fred Camacho, Guinga do Salgueiro, Getúlio Coelho, Ricardo Neves, Fabrício Fontes, Ralfe Ribeiro e Francisco Aquino. Ralfe Ribeiro contou um pouco da sua história como compositor no Salgueiro.

“Salgueiro é a minha escola do coração. Sempre parecer ser a primeira vez. A minha história aqui já vem de dois campeonatos, já tenho dois sambas na Avenida. Com esse enredo maravilhoso, nós gostamos bastante da história que o carnavalesco desenvolveu para a gente contar. Nosso desenvolvimento foi muito bom. E sobre o nosso samba acho que a parte que mais vai emocionar é na saída de segunda quando a gente fala ‘quem vendeu a eternidade /que descanse em paz, tô por conta do pecado/ hoje eu quero é mais’ a gente quer brincar, quer festejar do nosso jeito, a gente quer festejar do jeito que o Salgueiro sempre fez na Avenida e com respeito total a toda forma de viver”, entende Ralfe.

Já a parceria de Moisés Santiago também conta com a participação de Líbero, Serginho do Porto, Celino Dias, Aldir Senna, Orlando Ambrósio, Gilmar L Silva e Marquinhos Bombeiro. O compositor Serginho do Porto acredita que são grandes obras concorrendo e espera que a sua seja a escolhida pela diretoria.

“Para mim é uma emoção muito grande. Há dois carnavais que a gente vem aqui, sempre indo para as finais, e a gente espera se Deus quiser conseguir ganhar o concurso de sambas-enredo. Mas, a gente sabe que a gente fez um trabalho, esse trabalho não depende da vitória nossa, depende da vitória da diretoria. E se ela achar que esse é o samba que vai para a Avenida, só temos a agradecer “, explicou o compositor.

O Salgueiro vai realizar a grande final para escolha do samba que vai embalar o seu desfile de 2023 nesta terça-feira, dia 11 de outubro, na quadra da escola localizada na Rua Silva Teles.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui