A Estrela do Terceiro Milênio apresentou no último domingo o samba que marcará sua estreia no Grupo Especial do Carnaval de São Paulo. Em festa organizada na quadra da Coruja, no Grajaú, a escola também apresentou para sua comunidade o intérprete Bruno Ribas, que fará dupla com Grazzi Brasil na liderança do time de canto. Mesmo sem uma tradicional final de samba, ainda era preciso definir qual das obras finalistas seria escolhida. Em reunião realizada durante a festa, definiu-se como vencedora a parceria de Pitty de Menezes, Thiago Meiners, Cláudio Mattos, Wilson Mineiro e Marquinhos Bonsucesso.

Fotos: Fábio Martins/Site CARNAVALESCO

Intérprete da Milênio no desfile campeão do Acesso 1, Pitty de Menezes deixa para a comunidade sua assinatura no samba para 2023, junto de uma equipe que também contou Thiago Meiners, compositor de obras marcantes na história do carnaval, como o samba da atual campeã carioca, Acadêmicos do Grande Rio. Eles conversaram com o site CARNAVALESCO e falaram sobre a vitória de sua parceria.

“Para mim é muito mais que especial. Ganhar na Terceiro Milênio um samba do Grupo Especial, para mim tem um sabor muito grande. Eu que tive a oportunidade de cantar com a Terceiro Milênio no Acesso e ser campeão, e estar contribuindo agora com um samba, para que, se Deus quiser, a Milênio venha a ganhar o Carnaval do Grupo Especial, para mim é um sabor de muita gratidão pelo que essa escola fez por mim. Acreditou em um garoto novo, que não era tão conhecido assim no cenário do Carnaval, ainda mais em São Paulo. Apostaram em mim e deu certo. Eu só tenho o que agradecer à Terceiro Milênio. Esse é um pouco do que eu podia fazer e retribuir por tudo que eles fizeram por mim”, contou Pitty de Menezes.

Sobre assinar o samba de estreia da Estrela do Terceiro Milênio no Grupo Especial, Thiago Meiners demonstrou sentir orgulho. “Muito especial, porque desde o início do processo da disputa, o tratamento que a escola tem com os compositores é muito diferente. É desde a Direção de Carnaval ao carnavalesco. O modo de tratar cada parceria em específico e trabalhar o samba com cada parceria, entendendo a qualidade de cada compositor, a qualidade de cara obra. Foi uma disputa diferente para a gente. Estamos acostumados com outro tipo de disputa, é claro, mas foi muito diferente para a gente e é por isso que ele é tão especial. Foi um processo longo, a Milênio não chegou aqui e anunciou o samba. Teve um processo de gravação, um processo de regravação, dois ou três processos de ajustes, até a escola chegar naquilo que ela acha que é o ideal para o projeto. É como o Pitty falou, a gente é muito amigo, e se isso significou isso tudo para ele, para nós da parceria, que somos todos amigos, isso significa muito”, disse.

Pitty fez uma verdadeira declaração de amor à Terceiro Milênio ao mandar um recado para a comunidade do Grajaú. “O que eu posso falar para a escola, que é uma escola muito forte, com uma comunidade muito forte. A escola está bem servida com meu tio Bruno Ribas. Eu estou substituindo ele lá (na Imperatriz Leopoldinense) e ela está me substituindo aqui. Ele é um excelente intérprete, que vai deixar sua marca também aqui com certeza, se Deus quiser ganhando o campeonato do Grupo Especial. Não importava para mim ganhar o samba ou não ganhar. Eu queria estar participando. Eu quero estar na escola participando. Quero poder desfilar na escola, seja empurrando carro, seja de Harmonia. Eu quero estar na escola porque eu me identifiquei muito com essa escola. Eu posso dizer que, se eu torço para alguma escola aqui em São Paulo, essa escola é a Terceiro Milênio. Eu falei muito com meus amigos que a gente tem o nosso lado profissional, mas se um dia eu voltar para São Paulo, minha maior vontade é de voltar para a Terceiro Milênio. Eu não tenho dúvidas de que meu tio Bruno Ribas vai deixar um grande legado aqui. Ele vai fazer história aqui. Mas eu vou estar juntinho dele ali, do lado dele, sempre acompanhando”, declarou.

Thiago Meiners se surpreendeu com o que presenciou, e também aproveitou para deixar uma mensagem especial para a escola. “A primeira coisa é que eu fiquei assustado com a força da comunidade. No Rio de Janeiro é óbvio que tem as comunidades que são mais fortes, e isso é natural, são momentos. Mas em São Paulo acho que é a primeira vez que vejo uma comunidade tão forte quanto a da Milênio. Eles gritam e cantam qualquer samba. Eles cantam os sambas antigos, e a escola sempre está gritando o samba. A gente viu, na hora do anúncio, a escola inteira comemorando, e isso foi um motivo de muito orgulho para a gente. Como eu falei, na nossa parceria, todo mundo é do Rio de Janeiro. A gente não tem uma entrada na comunidade, não conhece ninguém da comunidade, e ver o nosso samba ser aceito da forma como foi é muito gratificante. O recado que eu tenho para dar é que ela continue assim. O que eles fizeram no Carnaval passado, e que eu já vi hoje que farão para o próximo, eu acho que é como o presidente disse no discurso dele, eu acho que a Milênio com certeza vem para disputar o campeonato. Acho que, como ele falou, disputar rebaixamento, brigar pra não cair, eu acho que isso é impossível. A Milênio vai brigar pelo campeonato com muito apoio da sua comunidade”, finalizou.

Uma das artistas de maior visibilidade da atualidade no carnaval, a intérprete Grazzi Brasil irá para seu segundo ano como voz principal da Estrela do Terceiro Milênio, desta vez, reeditando com Bruno Ribas a parceria que tiveram em 2020 na São Clemente. A cantora falou sobre a missão de transmitir o samba vencedor para a comunidade.

“Primeiro é um olho no olho, como você pode ver, a comunidade está com a gente. Ela tem uma garra, uma alegria, vontade, então eles acreditam no projeto. É meu segundo ano aqui, no samba das Mulheres (2022), eu olhava para cada mulher e era aquela coisa, eu sinto isso ainda neles, então conseguem ouvir, olhar para a gente, e aí essa missão de transmitir. Interpretar o que vamos levar para a avenida, e falar de alegria, transformar toda tristeza em alegria”, explicou.

Carnaval novo, enredo novo. Grazzi foi grande destaque com uma interpretação marcante do belo samba da Milênio campeão do Grupo de Acesso 1. Para a estreia da escola no Grupo Especial, ela está preparada para levar a mensagem de alegria proposta pelo tema definido.

“É bem diferente né? A princípio dei uma assustadinha, mas levar alegria também é maravilhoso. Mas tapa na cara também é legal, eu gosto. Essa coisa de resistência também curto. Mas o riso também é uma resistência, sorrir é uma resistência, a gente sabe que no dia a dia não está fácil gargalhar, então é isso que a gente vem para mostrar para o povo. Espero que as pessoas curtam, entendam e acredite, como a gente está acreditando no projeto”, concluiu.

‘Entra em cena Terceiro Milênio!’

Bruno Ribas foi recebido com festa na quadra da Coruja. Deu seu grito de guerra pela primeira vez, cantou sambas que marcaram sua carreira e, junto de Grazzi Brasil, cantaram o samba da escola para 2023. Os componentes da Milênio não imaginam a jornada que foi para seu novo intérprete oficial, que viajou de ônibus do Rio de Janeiro até a Rodoviária do Tietê, antes da nova jornada até o Grajaú, que fica no extremo sul da cidade de São Paulo. O cantor falou sobre o que sentiu ao ver a força da comunidade da Estrela do Terceiro Milênio.

“Êxtase, muito bom. Aqui, que coisa boa de receber. Energia forte, então posso colocar que eu viajei 9 horas, o ônibus atrasou, demorou para chegar aqui. Quando cheguei, recebo esse impacto positivo. Nossa Senhora, mudou a força do meu corpo, do meu espírito, da minha mente. Saindo renovado. Foi bom chegar aqui e sentir toda essa energia, valeu a pena. E vai valer a pena todas as vezes que eu vier, receber essa energia gostosa”, declarou.

Bruno terá a missão de substituir Pitty de Menezes no comando da equipe de canto da Terceiro Milênio em sua estreia no Grupo Especial. Ele tem ciência da importância que terá seu trabalho, e está pronto para encarar esse novo desafio.

“Não é só uma responsabilidade, bem como é um fato marcante. O Pitty foi o último samba do Grupo de Acesso, ganha um samba que é o primeiro samba do Grupo Especial, e eu na consideração dele, de mim para ele, de tio e sobrinho, estou aqui assumindo o lugar dele. E fazendo a sequência do primeiro samba no Grupo Especial. É um misto de coisa, não só a responsabilidade, tem muita coisa envolvida. Não sei nem mensurar para chegar ao ponto exato para você, mas é muita coisa é. O que sempre ouvi do Pitty é que estava indo para um bom lugar, e se a referência é essa, basta que eu adeque a bondade e vamos caminhar juntos.”

O intérprete aproveitou para mandar uma mensagem para a comunidade do Grajaú. “Não percamos a alegria. Aproveitando o gancho do enredo, nós não podemos perder a alegria. A alegria é condutora da saúde, da união, da verdade, e alegria é condutora da vitória. Como presidente falou, dá no mesmo competir e ganhar. Se você compete com alegria, isso vai preenchendo, te deixando maior, mais forte, e chega no objetivo com mais facilidade”, finalizou.

‘Um tributo à arte de fazer rir’

Após ser campeão do Grupo de Acesso 1, o carnavalesco Murilo Lobo segue para seu quinto desfile à frente da Estrela do Terceiro Milênio. Assinando o enredo “Me dê a sua tristeza que eu transformo em alegria! Um tributo à arte de fazer rir”, o artista falou sobre como surgiu a ideia proposta para a escola.

“Durante a pandemia, a gente se deu conta de quanto isso fazia falta, de esperar próximo, no meio do samba, curtindo o carnaval. Mas uma coisa que foi presente o tempo todo, foi o humor, e muitas vezes, mudei meu estado de espírito vendo coisas que chegavam para mim via internet. Ai eu falei, gente o humor merece uma pesquisa mais aprofundada. E fazendo essa pesquisa a gente descobre que a comédia sempre foi deixada como uma arte de segunda categoria, mas se você volta na história e começa entender, tem muita coisa bacana. O título principal do enredo é “Me dê sua tristeza que eu transformo em alegria”, esse é o papel do humor, da Milênio no desfile. Mas a coisa principal que entrega o nosso projeto é “um tributo à arte de fazer rir”, então a gente vai do bobo da côrte aos memes da internet, passando pela literatura, pelo rádio, teatro de revista, pelo cinema mudo, pela música, mímica, tantas formas de fazer humor, levando um desfile que vai despertar memória emocional. Esse é nosso objetivo, fazer com as pessoas pensem, lembrem, quem elas eram, quanto aquelas pessoas, artistas, série, fizeram elas felizes. Despertar a felicidade dos outros através das suas próprias vivências”, explicou.

Após seis anos de sua chegada na escola do Grajaú, Murilo amadureceu e se consolidou como um artista marcado por desfiles impactantes, sempre brigando pelo topo. No Grupo Especial, não será diferente, e o carnavalesco está preparado para encarar essa missão, detalhando o andamento dos preparativos para o Carnaval 2023.

“Como a gente ficou muitos anos na escola, em grupos de Acesso, foi se acostumando ao Anhembi. O palco continua sendo o mesmo, a responsabilidade que é muito maior, porque a gente tem coirmãs que são espetaculares, então a gente vai ter que subir nosso sarrafo, trabalhar muito, para chegar no mesmo nível que eles. E de repente, vai que né, dê uma bobagem com os outros e a gente acabe chegando lá. Nós já estamos com barracão em pleno vapor. Construindo alegorias, já reproduzindo fantasia, está acelerado, pois acabou sendo um tempo mais curto, o carnaval foi em abril, então estamos acelerando. Muito atentos com o projeto para conseguir concluir e realmente chegar e fazer bonito como fizemos no último carnaval”, concluiu.

‘Abram alas que a Terceiro Milênio vai passar’

Com um trabalho que vem amadurecendo ano após ano desde a fundação da Estrela do Terceiro Milênio, o presidente Silvão Leite alcançou o sonho de colocar a comunidade do Grajaú no Grupo Especial. Questionado se a ficha já caiu, Silvão foi convicto de suas palavras.

“Para falar a verdade, já caiu sim, pois tudo agora é muito grande, é enorme, tem que ser muito pensado, planejado, então já caiu a ficha. Caiu a ficha também se a gente pretende realmente fazer um carnaval de Grupo especial, tem que trabalhar muito. Até por conta disso, a ficha já passou”, declarou.

Para o presidente, era importante que o enredo de 2023 seguisse a mesma positividade transmitida pelo campeão do Acesso 1. “Nós viemos desse campeonato, enredo que foi emocionante que apresentamos em 2022, que mexeu com emoção das pessoas. Um tema muito atual, e ai quando ganhamos e sentimos energia na avenida. Pensamos que não adianta a gente procurar um tema que vem ao contrário do que estamos sentindo. O que estamos sentindo, é que estamos todos alegres, felizes, com a sensação de dever cumprido, de ter alcançado o objetivo, e então nada melhor que buscar um tema leve. Ai veio o Murilo Lobo que é um louco, faz essa proposta maravilhosa, e a diretoria mais louca ainda, abraça e daí veio”, contou.

Em seu discurso antes do anúncio do samba, Silvão deu uma forte sobre a escola estar sendo apontada como candidata ao rebaixamento pelo simples fato de ser uma estreante no Grupo Especial. Brigar para se manter na elite nem passa pela cabeça do presidente. O foco dele está no topo da tabela, e garante que é para isso que a Terceiro Milênio está trabalhando.

“É aquilo, a princípio tem toda preocupação de ser a primeira vez no Grupo Especial, a mudança, a régua sobe muito. E a gente com enredo desse, projeto maravilhoso que começamos a trabalhar, buscar uma construção do projeto, percebemos que é um projeto que permite um carnaval maravilhoso. E aí a gente partiu do princípio de que o trabalho que dá para fazer um carnaval para competir é o mesmo que dá para disputar o título. Na maior humildade e sem soberba nenhuma, com todo respeito a todas coirmãs, nosso objetivo é disputar o título. O projeto é muito bonito e tenho certeza de que novamente vai mexer com o público como enredo da Mulher mexeu. Tenho certeza de que o público vai se identificar com esse enredo, projeto, desfile, vai estar lindíssimo. Garanto para vocês que vai ser um desfile que vai marcar época mais uma vez, resultado é aquilo, faz parte de todo contexto, se decide na linha amarela, mas objetivo é disputar o título”, declarou.

Questionado se haveria alguma mensagem a passar às coirmãs do Grupo Especial, Silvão Leite demonstrou respeito pelas agremiações e confiança no trabalho da comunidade do Grajaú.

“Tenho carinho por todas vocês, já de uma certa forma, cada uma de vocês de todas as entidades já inspirou nossa escola nesses 25 anos, mas é assim, carnaval é carnaval, e a gente veio para disputar. Então abram alas que a Terceiro Milênio vai passar”, finalizou.

Na bateria, de olho na ousadia

Liderando a bateria Pegada da Coruja pelo segundo Carnaval, o Mestre Vitor Velloso deu sua opinião sobre o samba escolhido para o Carnaval 2023, já projetando os planos envolvidos para bossas a serem preparadas. O mestre promete uma ousada inovação, que será mantida em segredo.

“Um samba muito interessante, pelo fato dele ser um samba muito sério dessa questão de letra, de melodia. A galera que fez o samba teve uma responsabilidade muito grande na questão do tocar o coração das pessoas, o sentimento. Nós viemos de um samba que emocionou, em 2022, então a responsabilidade era grande. A galera do Pitty conseguiu esse samba que tocasse o coração das pessoas. Sobre bossas, vai ter uma surpresa bem bacana aí. Vamos ter que pedir até autorização para poder fazer o que estamos planejando. Autorização não da escola, mas da Liga-SP. Estamos preparando, vamos começar pensar nisso direitinho, como vai fazer feito. Será em relação ao som, e brincadeira também, mas será mais pelo som”, explicou.

Quanto a proposta do enredo, Vitor elogiou o trabalho que o carnavalesco Murilo Lobo vem preparando diante do tempo curto de preparação, em um pré-carnaval atipicamente menor que o habitual.

“O enredo é muito bacana, o Murilo acertou em fazer um enredo alegre, que emocionasse também. Ao mesmo tempo que é alegre, ele emociona as pessoas. Então o Murilo foi muito feliz, a escola está se preparando já, está muito bonito, fantasias, alegorias, a gente já pode ver que o Murilo já fez, falando em alegorias, muito bacana. Fantasia muito legal, a galera vai ter muita surpresa ai. Bateria a partir desse momento com o samba, fica mais fácil, vamos começar a trabalhar pesado. Quarta, sexta e domingo, trabalho intenso. Pois agora temos praticamente cinco meses para o Carnaval. Então é pouco tempo para quem está acostumado a trabalhar com nove praticamente. E 2023 promete, a escola tem uma grande responsabilidade de abrir o sábado, e fazer um grande carnaval, pois 2022 ficou marcado, tem que mostrar porque chegamos no especial”, declarou.

Para o mestre, é dever da escola aprimorar ainda mais o grande trabalho realizado pela Pegada da Coruja no Carnaval de 2022 ao se preparar para a estreia do Grupo Especial.

“Vou nem falar Acesso e Especial. Hoje temos várias baterias boas no carnaval de São Paulo. Todo mundo dentro da sua proposta, do seu modo de trabalho, está conseguindo desempenhar, fazer bons trabalhos. Hoje como estamos no Grupo de Elite, temos ai, Vila Maria, do Império, Mocidade, Zaca… Você está no meio da elite, a responsa é maior, é um fato. Mas na questão de preparação, a gente vai se preparar muito bem. Como também nos prepararmos no Grupo de Acesso, mas estando no Grupo Especial, se era 100%, tem que ser 200%, vamos chegar firme”, concluiu.

Ciência de ser parâmetro dos jurados no sábado

Casal nota 40 no Grupo de Acesso 1, Daniel de Vitro e Edilaine Campos seguem com a Terceiro Milênio para o Carnaval de 2023 após um intenso trabalho para o desfile do título, que durou dois longos anos em função da pandemia da Covid-19. O Mestre-Sala fez uma análise deste processo e da passagem pelo Sambódromo do Anhembi.

“Pelas contas, nós fizemos 366 ensaios. É a somatória dos ensaios específicos, mais os ensaios de quadra. Contanto os gerais de Anhembi, os específicos de Anhembi e mais os de academia que nós fazemos. Foi um Carnaval muito difícil. Não foi um Carnaval fácil. Foi um Carnaval que tivemos as prorrogações que todos conhecem. O “vai ter não vai ter”. Foi um Carnaval psicologicamente difícil para todos nós. Foi um Carnaval que mexeu com a nossa emoção. O samba era um samba que mexia com uma história, a Edilaine homenageada na escola. Foi um “boom” de emoção pra gente. Foi muito difícil. A parte física da gente tava ok, a dança tava ok. O que a gente teve que trabalhar foi o emocional”, disse de Vitro.

Após as glórias da importante conquista, 2022 é página virada. A Porta-Bandeira encarregada de apresentar o pavilhão da Estrela do Terceiro Milênio em transmissão televisionada para todo o mundo falou sobre as expectativas para a estreia da Coruja no Grupo Especial. A prioridade é causar uma grande impressão positiva com a dança do primeiro casal.

“Grande, porque nós estamos empolgados. A gente está acreditando. A comunidade tem certeza de que a gente conseguiu e vai ter um Carnaval incrível. O projeto do Murilo está sensacional. Nós estivemos sábado na Fábrica do Samba, para a apresentação das fantasias para os chefes de ala, que é uma mais bonita que a outra. Eu comentei com o Murilo que alguns Carnavais, de alguns carnavalescos, você olha a fantasia e fala “nossa, lembra a do ano passado”, “olha, parece a de dois mil e pouco, mudou uma cor ou outra”. Está totalmente diferente. Quem viu a Milênio em 2022, quando vê-la novamente em 2023, vai se surpreender novamente, positivamente, porque a escola está muito colorida, está muito alegre. Tem temas ali que você vai olhar e vai lembrar algum episódio, em algumas alas. A gente está muito feliz, de verdade, e confiante. O trabalho já está sendo feito, nós estamos ensaiando desde julho toda quinta-feira na Fábrica com a nossa preparadora Ana Reis. É como eu falei para ela, que nós seremos o parâmetro em todos os sentidos. Quando a Milênio entrar no sábado, as escolas de sexta já passaram. Ela será a primeira a desfilar, então o jurado irá olhar para a gente e nós seremos o parâmetro da noite. Se está bom algum movimento, vamos triplicar. Eu quero o triplo disso, para o jurado ter o comparativo para a próxima escola. Não quero ser melhor, nem pior. Não quero menosprezar os nossos adversários, mas para quando o jurado olhar para a Terceiro Milênio, ter a sensação de que está ali uma forte candidata. Não a campeã, mas uma forte candidata”, declarou Edilaine.

Análise do samba-enredo para 2023

Assim como vem se tornando comum nos sambas apresentados pelas agremiações, não apenas para 2023, como nos últimos anos, a obra escolhida pela Terceiro Milênio segue uma construção que prioriza a boa leitura do enredo, se esforçando para apresentar criatividade e originalidade diante do engessado regulamento do Carnaval de São Paulo.

O samba começa com um estilo que lembra brevemente a obra anterior, com o verso “Sou eu”. Se bem cadenciado na Avenida, permitirá aos componentes brincarem enquanto cantam com a força que está se tornando característica da comunidade do Grajaú.

É uma obra conservadora em sua concepção, mas gostosa de se ouvir e bem coerente com a proposta do enredo. Com Grazzi Brasil e Bruno Ribas nos microfones principais, a expectativa de render uma bela apresentação no Sambódromo do Anhembi é positiva. Que façam valer da força da Coruja mais feliz do Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui